sábado, 31 de março de 2012

Árvore cai sobre ônibus e mata três operários da Vale em Carajás





Ao retornar do serviço com vários trabalhadores das minas de Carajás por volta de meia-noite e 40 minutos da madrugada desta sexta-feira (30), um ônibus da Transbrasiliana foi atingido em cheio por uma enorme árvore de castanheira, provocando a morte de três funcionários da mineradora Vale.
As vítimas são os trabalhadores José Lima Marinho, 37 anos, natural de Brejo (MA); Celson Barboza da Silva, 37 anos, natural de Santo Antonio dos Lopes (MA); e Francisco Barros Soares, 49 anos, natu-ral de Parnaíba (PI). Os corpos das três vítimas foram encaminha-dos pelo delegado Antonio Miranda Neto para submeter-se a exame de necropsia no IML de Marabá.
A reportagem apurou junto a populares na delegacia de polícia e numa funerária da cidade que no local do acidente, ocorrido no km 17 da Estrada do Manganês que dá acesso à Mina do Azul, na Serra dos Carajás, morreu apenas o funcionário Celson Barboza da Silva, que seria supervisor de minas da empresa Vale.
Os outros dois operários, José Lima Marinho e Francisco Barros Soares, que foram levados para o hospital Yutaka Takeda, no nú-cleo urbano de Carajás, faleceram antes mesmo de receber atendi-mento na casa de saúde.
Na delegacia e na funerária, funcionários da Vale fizeram tudo para impedir membros da imprensa local a tomar conhecimento da si-tuação das vítimas e até a identidade dos três operários mortos.
DEMORA
Um trabalhador que vinha no ônibus e saiu ileso do acidente, pois viajava nas últimas poltronas, confirmou em off para a reportagem que uma vítima morreu na hora, e as outras duas estavam consci-entes, implorando para que fossem retiradas do local, mas só foram socorridas mais de nove horas depois do acidente, portanto, por volta das 10 horas da manhã, por uma única ambulância.
Segundo ainda o operário, chovia forte na hora do acidente, não ha-via energia elétrica no local e que o ônibus transportava 11 pessoas, dentre esta apenas uma mulher.
De acordo com o delegado Antonio Miranda Neto, embora o aci-dente tenha sido provocado pela natureza, a Polícia Civil estaria fazendo boletim de ocorrência “para efeito jurídico e assegurar direito às famílias das vítimas”.
Em nota, a Assessoria de Imprensa da Vale informou que a minera-dora “lamenta profundamente o ocorrido” e informa que está pres-tando toda a assistência necessária aos empregados e seus familia-res. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Operação ‘Eirene’ coloca quatro atrás das grades em Parauapebas

Márcio Luiz, Jhones Souza, João Ambrósio e José Cardoso

Sérvulo Cabral, Alberto Teixeira, Antonio Miranda e Bruno Fernandes


Uma ação da Polícia Civil dentro da operação denominada “Eirene”, realizada no início da manhã desta sexta-feira (30), resultou nas pri-sões de quatro elementos suspeitos de traficar droga em Parauape-bas, três deles reincidentes.
Os quatro homens presos são Jhones Souza Silva, 20 anos; Márcio Luiz Ataíde, 40 anos, o “De Belém”; João Ambrósio Silva, 70 anos; e José Carlos Cardoso, 43 anos. “De Belém” foi preso e libertado há menos de uma semana, acusado de participar de duas mortes; José Carlos Cardoso foi preso em julho do ano passado por tráfico de drogas; e João Ambrósio Silva foi preso há cerca de dois anos, envolvido também em tráfico de entorpecente.
A operação contou com a participação do superintendente regional de Polícia Civil, delegado Alberto Teixeira, e mais os delegados Sérvulo Cabral, da Divisão de Inteligência; e Bruno Fernandes Lima e Antonio Miranda Neto, ambos de Parauapebas.
À reportagem, o delegado Alberto Teixeira explica que a Operação Eirene, que vem sendo coordenada pela Superintendência Regional de Polícia Civil no Sudeste do Pará, já foi realizada nos municípios de Marabá, Nova Ipixuna, Canaã dos Carajás e agora em Paraua-pebas.
“O objetivo da operação é fazer cumprir mandados de busca e apreensão e efetivar prisão temporária de elementos acusados no envolvimento de tráfico de drogas e associação ao tráfico”, explica o superintendente.
O delegado Sérvulo Cabral adiciona que a operação faz parte da estratégia de segurança pública adotada para combater a criminalidade na região sudeste, uma vez que as estatísticas mostram que a violência vem se mantendo em cidades localizadas no interior do estado.
Por último, o delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, informa que na operação de ontem (30), que ficou de continuar durante a noite, a Polícia Civil conseguiu fazer cumprir 15 mandados de busca e apreensão e expedir igual número de prisões temporárias contra pessoas suspeitas, mas até meio-dia de ontem apenas quatro foram presas.
Como resultado da operação, foram apreendidos em poder dos acusados vários objetos de procedência duvidosa, entre estes dois relógios de pulso, aparelhos de celular, droga, notebook, modem, câmeras fotográficas, dinheiro e outros. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Motociclista é atropelado na rodovia PA 160 e morre no local




Ao tentar ultrapassar uma carreta numa curva da rodovia PA 160, nas proximidades do viaduto, em Parauapebas, o motoqueiro Joatan da Silva Ribeiro, 36 anos, natural de Valença do Piauí (PI), que resi-dia na Rua F20, quadra 154, lote 7, Bairro Cidade Jardim, Parauape-bas, foi violentamente atingido por uma camioneta utilitária e morreu na hora.
O trágico acidente ocorreu por volta das 13 horas da última quinta-feira (29), na rodovia PA 160, nas proximidades do viaduto, saída da cidade.
De acordo com testemunhas no local do acidente, ao fazer a ultra-passagem na curva, Joatan da Silva Ribeiro não tinha visão e bateu de frente a moto (placa JWC 3425-Parauapebas) contra a camioneta (placa JVK 2746-Parauapebas) que vinha em sentido contrário.
Agentes do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) e da Polícia Rodoviária Estadual estiveram no local fazen-do os levantamentos de praxe e orientando o tráfego de veículo, para evitar outros acidentes.
O corpo da vítima foi recolhido do local do acidente por agentes funerários, com supervisão da Polícia Civil, e encaminhado ao IML em Marabá. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sexta-feira, 30 de março de 2012

Delegacia-Geral da PC convoca policiais para troca de revólveres por pistolas e substituição de coletes

A Delegacia-Geral da Polícia Civil está convocando os policiais civis que estão na área operacional; que ainda tem revólver cautelado e que estejam com coletes balísticos vencidos, a procurar a Diretoria de Administração, no mais breve espaço de tempo, para providen-ciar a troca do armamento e do equipamento.
Para usar o novo armamento da Polícia Civil, a Pistola calibre .40, modelo 840, o policial civil deverá fazer, durante dois dias, às quin-tas e sextas-feiras, o Curso de Habilitação para Uso da Pistola. O curso é restrito apenas a quem ainda tem revólver cautelado.
Durante o curso, o policial irá aprender, desde as instruções de uso do armamento, até montagem e desmontagem, manutenção e tiro. As inscrições ao Curso são feitas na secretaria da Delegacia-Geral Adjunta no Complexo da Polícia Civil.
Quanto aos coletes balísticos, a partir de agora, os policiais civis da área operacional passarão a usar os coletes nível 3A que propor-cionam maior proteção ao servidor. (Polícia Civil)

quinta-feira, 29 de março de 2012

Homoafetivos reclamam de banheiro exclusivo para eles em Parauapebas



Ana Cristina Carmona

DJ Lobato

Ana Cristina Carmona, residente na Rua Araguaia, Bairro da Paz, em Parauapebas, líder do movimento de LGBT (Lésbicas, Gays, Bis-sexuais e Travestis) e do Instituto Abrace a Diversidade, diz à reportagem do CORREIO DO TOCANTINS que a disponibilização de banheiros exclusivos em boates e outros locais destinados à categoria é uma ofensa à classe de homoafetivos.
Em sua avaliação, mesmo que ela admita ser lésbica, ela não usaria um banheiro que tivesse na porta a inscrição LGBT, “porque eu sou mulher, independentemente de minha opção sexual. Da mesma forma é um gay não assumido”.
O problema surgiu em Parauapebas porque algumas mulheres heterossexuais vêm reclamando a presença de homossexuais usando as toaletes femininas em bares, restaurantes e casas noturnas, situação que viria provocando constrangimentos às mulheres.
Talvez pensando em resolver este problema, o dono de uma boate em Parauapebas construiu banheiros destinados a mulheres, homens e LGBT, mas Cristina Carmona discorda da iniciativa, por considerá-la discriminativa, uma forma de exclusão.
A líder do movimento pró-homoafetivo lembra que em alguns grandes centros do país casas noturnas criaram banheiros para homens, mulheres e LGBT, mas essa ação foi recusada pela categoria, “pois é uma discriminação, e agora inventaram isso em Parauapebas”, reclama.
Com relação aos travestis, Cristina Carmona diz que, por lei, eles podem e devem usar o banheiro feminino, porque a orientação sexual deles é feminina, e por isso seriam constrangidos e até humilhados se usassem o banheiro destinado aos homens.
“As mulheres têm que entender que eles estão vestidos com trajes femininos, pensam e agem como mulher e suas orientações sexuais são femininas”, justifica Carmona, acrescentando que dia desses numa casa noturna do Bairro da Paz um travesti amigo dela foi agredido fisicamente por um segurança do estabelecimento por ter usado o banheiro feminino.
Indagada pela reportagem sobre a quantidade de lésbicas, gays, bissexuais e travestis existentes em Parauapebas, Ana Cristina Carmona informou que a cidade conta com cerca de mil pessoas publicamente assumidas.
Na opinião da comerciante Vanete Pereira, mulher homossexual deve usar o banheiro masculino, enquanto o homossexual masculino deve utilizar o espaço destinado às mulheres, “porque o que está em questão é anatureza humana”, completa.
“Eu mesma já presenciei travesti usando o banheiro junto comigo, mas nenhum deles me desrespeitou, exibindo a genitália, até porque eles mijam agachados, igual a nós, mulheres”, conta Vanete Pereira.
Ouvido pela reportagem, Antonio Carlos Lobato Medeiros, o popular “DJ Lobato”, da boate Pirâmide, ratifica que a casa noturna construiu uma toalete exclusiva para GLBTT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais), mas garante que o espaço é opcional, usa quem se enquadrar na categoria.
“Nos três anos de existência de nossa boate, sempre fomos elogiados em poder proporcionar um espaço privado para quem quiser usá-lo, mas se alguém ou algum movimento ou entidade se sentir ofendido, estamos abertos ao diálogo para reverter a situação”, frisou o DJ Lobato, dizendo-se surpreso com a reação da líder do movimento pró-homoafetivo. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Mulher que matou recém-nascido em Parauapebas foi presa no MA


Em atendimento a mandado de prisão preventiva decretado no últi-mo dia 24 de fevereiro pelo juiz Líbio Araujo Moura, titular da 3ª Va-ra Penal da Comarca de Parauapebas, a polícia prendeu nesta quarta-feira (28), na cidade de Mirador (MA), a mulher Delma Pereira de Souza, 22 anos, acusada de ter dado a luz a um bebê e após o parto ter matado o próprio filho no projeto Salobo, município de Marabá. O crime ocorreu no dia 21 de dezembro do ano passado.
Segundo depoimento colhido na época pela polícia, a acusada se encontrava alojada num dos aposentos de uma empresa que presta serviço no projeto minerário, quando, aproveitando a ausência de companheiras de quarto, teve dores de parto, deu a luz ao bebê do sexo masculino e matou o próprio filho, usando um alicate de ma-quiagem, ferindo-o à altura do pescoço.
Delma Pereira escondia a gravidez, usando cinta apertada à altura da barriga, mas as colegas de trabalhos desconfiavam do comporta-mento dela, que andava enjoando certos tipos de alimentos.
Ao ser encaminhada às pressas, sagrando muito para o hospital Yutaka Takeda, em Carajás, as mulheres vasculharam o quarto e, para sua surpresa, encontraram o bebê já sem vida escondido numa gaveta do guarda-roupa do alojamento.
A acusada chegou a ser ouvida pela polícia em Parauapebas e a submeter-se a acareação com testemunhas sobre alguns pontos conflitados do depoimento dela, quando foi liberada e advertida para não deixar a cidade, até que fosse pronunciada ou não sobre a culpabilidade do crime.
De acordo com o delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, Delma viajou para o Maranhão, onde foi presa ontem e deverá der recambiada para Marabá, onde vai responder pelo crime que cometeu, com pena que varia de 12 a 30 anos de reclusão. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 27 de março de 2012

Polícia prende acusados de matar duas pessoas em Parauapebas

Jorge e Márcio
A partir de um importante depoimento colhido de um adolescente de 15 anos, a polícia localizou e prendeu dois homens acusados de na semana passada ter liquidado duas pessoas, uma na última quinta-feira (22), Leandro de Araújo Tavares, 27 anos, e a outra na madru-gada de sábado (24), Antonio Carlos Silva Martins, de 38 anos.
Acusados presos são os sujeitos Márcio Luz Ataide Quaresma, co-nhecido por “De Belém”, e Jorge Maicon Mana da Rocha, o “Man-gu”, de 18 anos de idade, os quais se encontram à disposição da Justiça.
À reportagem, o delegado plantonista Nelson Alves Júnior lembrou que a primeira vítima, Leandro de Araújo Tavares, foi executada com um tiro na cabeça quando estava dormindo numa rede por motivos que envolveram tráfico de droga, enquanto que Antonio Carlos Silva Martins foi assassinado com tiro de espingarda porque reclamara da altura de som que estava sendo tocado pelos acusa-dos, que residem numa invasão denominada “Chácara das Nuvens”, em Parauapebas.
A polícia chegou ao conhecimento que um bando fortemente armado, inclusive com pistola .40 (ponto 40), estaria preparado em cima do morro para acertar o investigador Odorico de Almeida Lima, mais conhecido por “Almeida”, pelo fato de o policial ter participado de uma operação que resultou na morte do comparsa conhecido por Neto, na época em que o finado delegado André Albuquerque dirigia a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Ladrões furtam reboque com lancha e um deles é preso



Encontra-se preso em Parauapebas, à disposição da Justiça, o comerciante Pedro Júnior Rodrigues, 32 anos, natural de Araguari (MG), residente na Rua Duque de Caxias, em Eldorado do Carajás, acusado de furtar uma lancha com reboque em Parauapebas por volta das 14h30 da última quinta-feira (22).
De acordo com o que apurou a reportagem junto à polícia, Pedro Júnior Rodrigues furtou a lancha com reboque na companhia do comparsa identificado apenas por Flávio, o “Zezinho”, que escapou da polícia.
Conforme denunciou a vítima Enoque de Souza Damasceno, 51 anos, mestre obras, residente no Bairro Novo Brasil, em Parauape-bas, os ladrões arrombaram os cadeados de um galpão localizado na Rua A15, quadra 31, lote 25, Bairro Cidade Jardim, em Parauape-bas, e levaram os equipamentos.
Acionada pelo quartel do 23º BPM em Parauapebas, uma guarnição da 3ª Companhia da PM em Curionópolis, composta pelo sargento Vicente, cabos Cláudio e Tânia e soldado Fernandes, prendeu Pedro Júnior Rodrigues em flagrante delito quando o mesmo passava em Curionópolis com destino a Eldorado do Carajás cerca de 30 minutos depois do furto em Parauapebas, mas o outro acusado escapou do cerco da polícia.
Segundo depoimento do sargento PM Vicente, a polícia avistou uma caminhonete modelo L 200 de cor azul puxando o reboque com a lancha em cima. “Ao perceber a polícia, o condutor da L 200 abandonou o veículo e correu para o mato, mas foi agarrado e depois confessou o crime”.
À polícia, Pedro Júnior disse que a picape foi emprestada de um amigo dele conhecido por Paulo Roberto, que mora em Eldorado do Carajás. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Jovem é liquidado em Palmares Sul com golpe na garganta



Foi encontrado sem vida, com um profundo golpe de faca ou facão no pescoço, o lavrador Antonio Cleiton Alves Mesquita, 23 anos, na-tural de São João do Araguaia (PA). O homicídio ocorreu por volta das 8 horas da manhã do último sábado (24), na Vila Palmares Sul, a 10 quilômetros do centro de Parauapebas.
Em depoimento prestado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, Antonio Alves Mesquita, 60 anos, tio da vítima, residente no Bairro Liberdade, Parauapebas, explicou que o sobrinho dele costumava ir a Palmares nos finais de semana para se reunir na casa de amigos.
Há duas semanas, ainda de acordo com o tio da vítima, Antonio Cleiton saiu de cada dizendo que ia se juntar com um grupo de pes-soas para invadir uma área localizada nas proximidades da Vila Palmares Sul, e desde então não tinha mais comparecido em casa.
Para surpresa de Antonio Alves Mesquita, na manhã de sábado ele foi avisado por um amigo que o sobrinho dele havia sido encontrado morto com o pescoço degolado na Vila Palmares Sul. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 24 de março de 2012

Homem liquidado a bala numa rede na invasão Chácara das Nuvens




A polícia ainda não tem pistas suficientes para localizar e botar na cadeia o assassino (ou assassinos) de Leandro de Araújo Tavares, 27 anos, natural de Brasília (DF), que residia na invasão denominada Chácara das Nuvens, em Parauapebas.
O corpo da vítima foi encontrado sem vida por volta das 6 horas da manhã da última quinta-feira (22) estendido numa rede com um tiro na boca em sua residência construída de madeira.
Segundo apurou a polícia no local do crime, vizinhos chegaram a ouvir disparo de arma de fogo no início da madrugada de quinta-feira (22), mas não souberam fornecer dados que pudessem levar a polícia até o matador ou matadores do rapaz, que morava no local há apenas três dias.
De acordo com uma testemunha, ela e uma vizinha ainda chegaram a presenciar Leandro de Araújo Tavares agonizando com vida na rede, perdendo muito sangue, porém, sem falar nada. A vítima morreu antes mesmo das guarnições do Corpo de Bombeiros e das polícias Militar e Civil chegar ao local, que é de difícil acesso.
Por sua vez, a madrasta de Leandro, Rosemary Correa Alves, 31 amos, residente no Bairro Cidade Jardim, Parauapebas, informou à polícia que a vítima era usuária de droga, mas disse desconhecer as razões da morte do rapaz, até mesmo porque há dias ele não visitava a casa do pai e da madrasta. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Dois acusados de tráfico de droga fora de circulação

Francisco da Silva Coelho, "Seu Chico"

Robson Souza de Meneses



Serviço de inteligência da Polícia Civil em Parauapebas colocou no xadrez na última quinta-feira (22) mais dois homens acusados de vender droga na cidade: Francisco da Silva Coelho, conhecido por “Seu Chico”, 55 anos, mecânico, natural de Vitória do Mearim (MA), residente na Rua C, nas proximidades da Feira do Produtor, Bairro Cidade Nova, Parauapebas; e Robson Souza de Menezes, 20 anos, natural de São Luís (MA), residente na Rua Jerusalém, Bairro Vila Rica, Parauapebas.
“Seu Chico” foi detido por volta das 10 horas, na Rua São Paulo, próximo do hospital municipal, Bairro Primavera, no momento em que ele passava três cabeças de crack para o consumidor Leandro Clares dos Santos e recebia a importância de R$ 20,00. O acusado diz que não é traficante, mas confessa que é usuário de droga.
Já Robson Souza de Menezes foi agarrado pela polícia às 19h30, na praça das Casas Populares I, depois de vir sendo monitorado há vários dias. Segundo a polícia, Robson comercializava crack por meio de sistema disque droga, por celular.
A ação da polícia resultou na apreensão de 20 pepitas de crack na residência do fornecedor de droga para Robson, numa invasão loca-lizada nas proximidades das Casas Populares I. (Vela Preta-Waldyr Silva)

Secretário de Planejamento é acusado de estuprar servidora em Canaã





Até ontem, sexta-feira (23), continuava foragido da polícia o secre-tário municipal de Planejamento e Gestão da Prefeitura de Canaã dos Carajás, Jurandir Ferreira, conhecido por “Bekão”, residente no Bairro Jardim das Palmeiras, Canaã, acusado de estuprar a servidora pública municipal de iniciais T.O.C, 42 anos, residente no Bairro Novo Horizonte, Canaã dos Carajás, atual diretora de Habitação do Instituto de Desenvolvimento Urbano (Idurb) de Canaã dos Carajás.
O caso ocorreu no início da madrugada da última quarta-feira (21) na residência do acusado e foi comunicado pela vítima ao delegado José Euclides Aquino da Silva no início da tarde de quarta-feira (21).
O acusado foi nomeado secretário municipal da Prefeitura de Canaã dos Carajás há pouco mais de um mês pelo vice-prefeito Itamar Francisco da Silva, no momento em que este assumiu a titularidade do Poder Executivo, uma vez que o prefeito Anuar Alves da Silva fora afastado do cargo pela Justiça.
De acordo com depoimento da servidora, na segunda-feira (19) ela fora convidada por telefone pelo secretário a comparecer na residência dele por volta das 23h30 para conversar sobre trabalho.
TOC disse que estranhou o horário para tratar de negócios, e acabou não atendendo ao chamado. No dia seguinte, terça-feira, ela disse que ligou para Jurandir, perguntando se ela poderia passar na prefeitura para conversar com ele, mas o secretário respondeu que estava muito ocupado, e que mais tarde retornava a ligação.
Segundo ainda TOC, depois de meia-noite de quarta-feira (21) Jurandir ligou dizendo novamente para ela comparecer na residência dele, para tratar de assuntos de interesse dela. Ela disse que hesitou por alguns momentos, mas como ouvira falar que o secretário tinha família em casa, resolveu atender à convocação do secretário.
Antes de deixar sua residência em seu carro, a mulher informa que passou o número do celular escrito numa viatura da Polícia Militar para um dos filhos dela e avisou se caso ela demorasse que ele ligasse pra ela e também para a polícia.
Ao chegar à residência de Jurandir, este trancou o portão, soltou um cachorro pitbul na área externa da casa, mandou a diretora sentar-se no sofá e informou que tinha uma boa proposta de melhora para ela, mas ela tinha que ser cúmplice dele em todos os sentidos.
“Aí ele começou a se aproximar de mim, querendo tocar nos meus seios e dizendo que era tarado por mim”, conta a mulher à reportagem, ainda em prantos, acrescentando que ela tentou se esquivar por várias vezes, mas o homem agia com muita violência, chegando a bater no rosto dela, nas nádegas e puxar os cabelos da vítima.
Ela conta que, sem força, foi levada para o quarto do secretário, onde este a despiu e tentou manter relação sexual sem preservativo. Somente depois de muito apelo dela é que o homem resolveu usar camisinha.
De acordo ainda com a depoente, ela só foi liberada da casa do tarado depois das 2 horas da manhã, quando então ela se dirigiu para casa e narrou o fato para o filho adolescente e pela manhã passou o assunto para um amigo e uma amiga, que sugeriram que ela comunicasse o caso à polícia.
EXAMES
Em declarações prestadas à reportagem pelo delegado José Euclides Aquino da Silva, na tarde da última quinta-feira (22), em Canaã, ele informou que naquele mesmo dia havia encaminhado a vítima para ser submetida a exame de conjunção carnal e atos libidinosos no IML de Parauapebas e somente após ter os resultados em mãos estaria solicitando à Justiça a prisão preventiva do acusado.
Em Canaã, a reportagem conseguiu conversar com Jurandir Ferreira por telefone, mas ele se negou a dar esclarecimentos sobre as denúncias que pesam contra sua pessoa, sugerindo que o repórter procurasse o advogado dele, Marcos Tavares da Silva.
À reportagem, o causídico respondeu que o cliente dele foi vítima de uma "armação política" preparada possivelmente pela suposta vítima ou por algum superior dela.
“Como é que uma mulher sai de sua casa mais de meia-noite para tratar de assuntos trabalhistas?”, indaga o advogado Marcos Tava-res, assegurando que nas próximas horas ele estaria apresentando seu cliente à polícia. (Waldyr Silva)

quinta-feira, 22 de março de 2012

Sem-teto são acusados de invadir loteamento e promover vandalismo





Edna Luciana Ramos, presidente da Associação Habitacional e Co-munitária dos Moradores dos Bairros Bom Viver I e II, em Paraua-pebas, denunciou à polícia que a área dos bairros onde estão sendo comercializados os lotes urbanos foi invadida há mais de uma semana por dezenas de famílias que se dizem sem-teto.
A presidente da associação garante que a entidade comprou da Uni-ão a posse da terra há seis anos e de lá pra cá vem comercializando os lotes para moradia popular. Ela informa que a associação possui todas as documentações de transação de posse da área.
Segundo Edna Luciana Ramos, os invasores permanecem na área há mais de uma semana, estão cercando lotes particulares, destruindo plantações e hortas caseiras, promovendo vandalismo e até ven-dendo lotes a preços que variam de R$ 100,00 a R$ 2 mil. “Até as áreas públicas e de preservação deixadas no loteamento para a prefeitura estão sendo ocupadas pelos sem-teto”, denuncia.
Em declarações prestadas à reportagem do CORREIO DO TO-CANTINS, Edna Ramos revela que a associação conta hoje com algo em torno de 600 associados que já adquiriram lotes para morar no novo bairro, e eles não podem perder o que já investiram lá.
“Acabamos de entrar na Justiça com pedido de reintegração de posse da área. Então, faço aqui um apelo para que as autoridades competentes impeçam este tipo de crime, expulsando os invasores do local, para que seus verdadeiros proprietários possam se esta-belecer em paz nos lotes que adquiriram para morar”, apela a presidente da associação.
ÁREA DA UNIÃO
Diego da Silva Rodrigues, um dos ocupantes da área, frisou à re-portagem que não estava ali para confiscar lotes de pessoas que es-tariam pagando pela propriedade para construir casas e mo-rar. “Entramos aqui porque moramos de aluguel há vários anos na Vila Palmares Sul e também porque tomamos conhecimento que esta área de cinco alqueires pertence à União”, justifica.
O invasor acrescenta que a empreendedora do loteamento, no caso a Associação Habitacional e Comunitária dos Moradores dos Bair-ros Bom Viver I e II, teria entrado com requerimento junto ao Incra solicitando a posse da área, mas o órgão fundiário teria negado o pedido, permanecendo a propriedade rural pertencendo à União.
CARTA APÓCRIFA
No início desta semana, uma carta apócrifa (sem assinatura) de uma lauda chegou às mãos do delegado Antonio Miranda Neto, dando detalhes e nomes de integrantes de uma suposta quadrilha de “alta periculosidade” que estaria por trás da invasão do loteamento, que fica localizado às margens da estrada de acesso à ferrovia, entre o centro de Parauapebas e a vila Palmares Sul.
De posse das informações, Antonio Miranda Neto começa a inves-tigar os nomes dos integrantes da suposta quadrilha que estaria co-ordenando a invasão da área dos Bairros Bom Viver I e II. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Homem sofre atentado em Parauapebas e morre em Tucuruí


No momento em que ajudava o pai dele numa lojinha de variedades localizada na área popularmente conhecida por “Pé Inchado”, no Bairro Cidade Nova, em Parauapebas, o assaltante Edásio Pereira Feitosa, 23 anos, conhecido por “Pompeu”, natural de Parauapebas, residente na Rua Estocolmo nº 1354, Bairro Novo Horizonte, sofreu um atentado à bala, sendo atingido no rosto e no ombro.
O atentado ocorreu por volta das 18h30 da última terça-feira (20). “Pompeu” ainda foi encaminhado às pressas com vida para o hospital municipal de Parauapebas, onde foi submetido a cirurgia, e na manhã de ontem (21) foi transportado para Tucuruí, onde morreu por volta das 16 horas desta quarta-feira.
A tentativa de homicídio foi registrada na Delegacia de Polícia por Elvis Pereira Feitosa, 22 anos, irmão da vítima. Conforme disse El-vis em depoimento, minutos depois do ocorrido chegaram à resi-dência dele dois homens desconhecidos informando que “Pompeu” tinha sido alvejado de bala e morto na mercearia do pai dele.
Ao dar o recado, os dois homens, que usavam uniforme de uma em-presa prestadora de serviço na região, deixaram a residência numa moto Biz e desapareceram, enquanto Elvis Feitosa saiu às pressas para a loja do pai dele para checar a ocorrência.
Na mercearia, o depoente tomou conhecimento que o irmão havia si-do atingido à bala e tinha sido encaminhado para receber atendi-mento no hospital municipal. Soube ainda que os pistoleiros eram dois homens com as mesmas características dos desconhecidos que foram à casa de Elvis avisar sobre o ocorrido.
VIDA PREGRESSA
No dia 7 de agosto do ano passado, Edásio “Pompeu” foi preso em Parauapebas em flagrante delito acusado pelos crimes de roubo e porte de arma de fogo. No momento da abordagem, feita pela guarnição da Polícia Militar composta pelo sargento Luís Carlos e os soldados Rosário e Ailime, Edázio, que estava acompanhado do comparsa Marcus Aurélio Mourão Lima, o “Ratinho”, reagiu à ordem dos policiais e disparou contra a viatura da PM, acertando três balaços no pára-brisa do veículo.
Segundo depoimento do sargento Luís Carlos, prestado na época na delegacia de Polícia Civil, momentos antes de serem localizados os dois acusados havia assaltado uma farmácia na Rua 14, Bairro União. De posse das características dos supostos assaltantes, a polícia saiu ao encalço e os prendeu.
Junto com a dupla a polícia apreendeu o revólver, a moto usada pelos bandidos, dois aparelhos de celular e a importância de R$ 128 em espécie. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Homicida é flagrado com crack


Durante policiamento ostensivo na cidade, o sargento PM L.Carlos e o soldado PM Artur flagraram Israel Henrique Cândido, o “Pink”, 21 anos, natural de Tangará da Serra (MT), residente na Rua Tó-quio, Bairro Altamira, em Parauapebas, com 16 petecas de crack acondicionadas em papel.
O flagrante ocorreu por volta de 0 hora de segunda para terça-feira (20), na Rua Kairo, Bairro Novo Horizonte, Parauapebas. Pesa ainda contra Israel “Pink”, segundo informou a polícia, porém, sem deta-lhes, o crime de homicídio.
Em depoimento à polícia, Israel “Pink” revelou que já foi usuário de crack durante três anos, mas ultimamente havia deixado o vício. Quanto à droga encontrada em seu poder, o acusado explica que o entorpecente foi entregue a ele por dois desconhecidos que disseram para ele “acertar a parada, mas eu disse pra eles que não era traficante, e foi quando a PM chegou e me flagrou com a droga”, lamenta. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Filho ingrato bate no pai com pedaços de madeira e pedra


O trabalhador Antonio Teixeira Vieira, residente na Rua Espírito San-to, Bairro Liberdade, Parauapebas, procurou a Delegacia de Polícia na manhã desta quarta-feira (21) para denunciar que fora barbara-mente agredido com pedaço de madeira pelo próprio filho, Antonio Teixeira Vieira Júnior.
Equipe de reportagem do CORREIO DO TOCANTINS registrou quando Antonio Teixeira Vieira chegou por volta das 20h30 de terça-feira (20) ao hospital municipal desmaiado para receber atendimento, meia hora depois de ter sofrido a agressão.
Na manhã de ontem (21), na delegacia, a vítima contou para este Jornal que havia comprado a casa onde mora com o filho e a nora, passou o imóvel para o filho violento, e agora era obrigado a deixar a residência e morar em Jacundá, “porque esta é a segunda vez que ele me agride violentamente”.
Antonio Teixeira Vieira pegou cinco pontos na cabeça. Ele disse que as porradas com pedaço de madeira atingiram a cabeça, costelas e pernas dele. “Depois que eu corri, ainda fui atingido com duas pe-dras nas costas”, completa.
Perguntado por que tanta ira no coração do filho desnaturado, Antonio Vieira respondeu que “só pode ser ciúme da mulher dele comigo”. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 21 de março de 2012

Policiais civis capturam assaltantes de banco em Conceição do Araguaia



Investigações realizadas pela equipe do Núcleo de Apoio à Inves-tigação (NAI.), da região do Araguaia Paraense, sob o comando do delegado Lúcio Flávio Filho, resultaram na captura de mais uma quadrilha de assaltantes de bancos.
Os acusados foram encontrados na cidade de Conceição do Ara-guaia, sul do Pará, onde a operação contou com a colaboração do delegado Gabriel Henrique Alves Costa, titular da delegacia do município.
A quadrilha foi flagrada com armas e munições, dentre elas duas pistolas, uma de calibre .40 e outra de calibre 380, carregadores para o armamento, um revólver calibre 38 de seis polegadas, dezenas de munições dos mais variados calibres, inclusive de fuzil 762, um colete à prova de balas, uma algema, duas camisas e dois distintivos da Polícia Civil do Estado do Ceará, além de diversos documentos de veículos e 422 gramas de pasta de cocaína.
"A ação policial foi rápida e enérgica, não possibilitando meios nem tempo para que os criminosos fugissem. Eles foram presos no cen-tro da cidade, no momento em que se reuniam", explicou o delegado Lúcio Flávio.
Os presos são Izaac Wellington Magnum da Silva Borges, Erivelton Freitas Alves, Willar Marques Xavier e Jhonatas Evangelista de Li-ma. O bando planejava assaltar uma agência dos Correios em Caro-lina, no Maranhão. Dos presos, apenas dois não são paraenses. Eri-velton é cearense e Jhonatas é rondoniense. Eles foram encontrados em uma casa alugada no Setor Alto Araguaia. As armas foram trans-portadas por Erivelton de ônibus escondidas em uma bolsa.
No final do ano passado, a Polícia Civil prendeu uma quadrilha de assaltantes no momento em que o bando planejava sequestrar o ge-rente de um banco e a família dele, na cidade de São Félix do Xin-gu. "Agora, prendemos essa quadrilha, em Conceição do Araguaia, também antes de eles cometerem assaltos. Isso demonstra que o apa-rato da Segurança Pública no Estado do Pará está desempenhando bem o papel de Polícia Judiciária de investigar e efetuar prisões", garantiu Lúcio Flávio.
O delegado salienta a importância de a sociedade contribuir, por meio de denúncias, para a captura de criminosos. "Contamos com o apoio da sociedade que, através do Disque Denúncia, fone 181, dá-nos informações valiosíssimas que levaram à prisão dos bandidos. Em todos esses casos, o sigilo da fonte é mantido e não revelamos a identidade das pessoas que ligam para a polícia e colaboram com a Justiça", enfatiza. (Fonte: Site Polícia Civil)

terça-feira, 20 de março de 2012

Mulher é encontrada morta no Bairro Jardim Canadá

Foi encontrada morta na tarde desta segunda-feira (19), em adiantado estado de decomposição, a mulher Janaína de Loiola Azevedo, 26 anos de idade, natural de Amarante do Maranhão (MA), sobre um colchão na residência da vítima, localizada na Av. J, Quadra 11, Apartamento 8, no Residencial Santa Maria, Bairro Jardim Ca-nadá, em Parauapebas.
Segundo informou em depoimento à polí-cia o namorado de Janaína de Loiola Aze-vedo, o corpo da vítima foi localizado por ele na tarde de ontem (19) no apartamento da namorada ainda com as compras de supermercado que ela fizera no último sábado (17).
Como não foi presenciado nenhum sinal de violência pelo corpo da vítima, a polícia presume, preliminarmente, que Janaína de Loiola Azevedo tenha sofrido um mal súbito e morrido sem receber socorro.
O corpo da vítima foi encaminhado ainda nesta segunda-feira (19) pelo delegado Bruno Fernandes de Lima para ser submetido a “exame pericial sexológico forense, além de coleta de material (substância hematóide e esperma) no órgão genital da vítima”, ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Marabá, para possível verificação de estupro ou violência sexual. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Quinteto é colocado atrás das grades acusado de tráfico de drogas

Alex Miranda de Souza

Erisvaldo Nascimento de Oliveira
 
Jovenilson Silva Neres

Genival da Silva Sousa

Laudilene Alves Carneiro



Em duas operações distintas, a Polícia Militar colocou na cadeia no último final de semana, em Parauapebas, cinco pessoas acusadas de comercializar entorpecente na cidade e na zona rural.
O quinteto é formado pelos indivíduos Alex Miranda de Souza (25 anos, natural de Moju-PA), Erisvaldo Nascimento de Oliveira (28 anos, natural de Lago Verde-MA), Genival da Silva Sousa (35 anos, natural de Abaetetuba-PA) e a mulher deste, Laudilene Alves Car-neiro (31 anos, natural de Centro dos Ferreira-GO), que foram presos na Vila Sanção num alojamento de uma empresa que presta serviço no Projeto Salobo, município de Marabá, e Jovenilson Silva Neres (36 anos, natural de Vitorino Freire-MA), que foi detido em Parauapebas.
Junto com os cinco acusados a polícia apreendeu uma boa quan-tidade de maconha prensada e vários papelotes contendo crack.
À guarnição da Polícia Militar do destacamento da Vila Sanção, composta pelo sargento Jorge e o cabo Valtônio, o elemento Geni-val da Silva Sousa confessou que a droga apreendida lhe pertencia, a qual tinha comprado na cidade de Abaetetuba (PA), “mas apenas para consumo com os companheiros de alojamento”, negando, porém, ser traficante de droga, e que Laudilene Alves Carneiro é apenas companheira dele, mas não é usuária de entorpecente.
Em depoimento, Alex Miranda de Souza disse que não é usuário de droga nem tampouco traficante, e que desconhece a quem pertencia a droga encontrada no alojamento. Erisvaldo Nascimento de Oli-veira, por sua vez, confessa que é usuário de maconha, mas nega que a droga encontrada lhe pertença.
Com Jovenilson Silva Neres, que foi flagrado na madrugada de sábado (17) numa briga com um desafeto na frente de uma casa de show localizada no Bairro Liberdade, a polícia encontrou na resi-dência do acusado uma embalagem plástica contendo crack e outra dentro da capa do colchão de solteiro, além de uma caixa em cima do guarda roupa com diversos fios de cobre utilizados para realizar as amarras das “petecas de crack” a ser comercializadas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Jovem perde controle de moto, bate em poste e morre no hospital




Ao perder o controle da moto que ele pilotava, o jovem Rafael Lima da Silva, 18 anos, natural de Jacundá (PA), que residia na Rua Daniela Perez nº 458, Bairro Guanabara, Parauapebas, projetou-se contra um poste de luz elétrica, foi encaminhado às pressas ainda com vida ao hospital municipal, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu na casa de saúde pública. O acidente de trânsito ocorreu por volta das 19h30 do último domingo (18) no Bairro da Paz.
Numa funerária da cidade, onde aguardava inconsolável na manhã de ontem (19) o embalsamento do corpo do filho para ser transportado para a cidade de Jacundá, onde a vítima seria enterrada pelos demais familiares, Edimar Máximo da Silva, pai do rapaz, não soube dar detalhes à reportagem sobre as circunstâncias que levaram Rafael Lima da Silva a provocar o acidente fatal.
“Só sei que ele estava pilotando a moto, perdeu o controle do veículo e se projetou contra um poste de cimento”, explica Edimar Máximo da Silva, visivelmente emocionado com a perda do filho. (Waldyr Silva)

Operação ‘Eirene’ começa a ser deslanchada em Parauapebas





Depois de uma reunião para traçar metas e estratégias entre os comandos das polícias Militar e Civil com representantes de órgãos como Detran, Polícia Comunitária, Conselho Tutelar e outras enti-dades, teve início em Parauapebas no último final de semana a operação “Eirene”, que vem sendo deslanchada no estado em vários municípios paraenses.
Segundo o ten-cel. Roberto Coracy, comandante do 23º BPM em Parauapebas, por enquanto ainda não seria possível a divulgação do calendário da operação “Eirene”, que visa diminuir o índice de cri-minalidade em Parauapebas. “Podemos adiantar, no entanto, que a operação vai ser realizada tanto à noite como durante o dia, envol-vendo, além das polícias Militar e Civil, vários órgãos e entidades que trabalham com a comunidade”.
O comandante local da PM lembra que dados oficiais revelam que Parauapebas se destaca como o quarto município paraense a empregar o maior número de trabalhadores (Dieese), possui cerca de 95 mil residências (Saúde), tem o segundo maior PIB do estado, conta com uma enorme rede bancária, população flutuante que che-ga a 70 mil pessoas e é detentor da maior mineração do mun-do. “Isso exige mais atenção dos órgãos de segurança pública”, re-conhece Roberto Coracy.
O delegado Antonio Miranda Neto adianta que a operação “Eirene” (Deusa da paz, na mitologia grega) vai ser deslanchada pelos órgãos de segurança pública e entidades envolvidas com a comunidade duas vezes por mês, além dos patrulhões, que já vêm sendo reali-zados aos sábado e domingos, com a finalidade de reprimir a cri-minalidade no município.
A primeira ação da operação ocorreu na rodovia PA 275, saída da cidade, quando vários veículos foram parados, inclusive vans e ônibus, para verificação de documento dos carros, de condutores e também dos passageiros.
Na primeira blitz da operação, uma criança foi impedida de continuar viagem pelo Conselho Tutelar, porque os responsáveis não condu-ziam os documentos pessoais da menor. (Vela Preta/Waldyr Silva)