quinta-feira, 31 de março de 2011

Confronto entre bandidos e polícia deixa três homens mortos

Francisco Alves da Silva1

Francisco Alves da Silva2

Kleber de Brito Ferreira1
 
Kleber de Brito Ferreira2
 
Lindomar Araújo

Armas e objetos apreendidos
 
Populares no local do tiroteio

Ao reagir à ordem de prisão de 12 policiais civis e militares, três homens acusados como perigosos assaltantes da região sudeste do Pará dispararam fogo contra a polícia, que contra-atacou e liquidou a vida do trio, enquanto uma quarta pessoa conseguiu fugir do tiroteio.
As vítimas são os indivíduos Francisco Alves da Silva (32 anos, natural de Imperatriz-MA), Kleber de Brito Ferreira (25 anos, natural de Lago da Pedra-MA) e Lindomar Araújo.
O confronto entre a polícia e os assaltantes teve início por volta das 11 horas desta quarta-feira (3) e durou cerca de quatro horas depois, no Bairro Bela Vista, precisamente na Rua Floriano Peixoto, qd. 3 lt. 3, em Parauapebas, onde os bandidos moravam e foram fuzilados.
Em declarações prestadas à reportagem do CORREIO DO TOCANTINS, o delegado Antonio Miranda informa que os assaltantes são de alta periculosidade e por isso já vinham sendo investigados há um mês pela polícia pelos crimes de assaltos praticados a bancos nos municípios de São Geraldo do Araguaia, Marabá e outras cidades.
Segundo o delegado, a quadrilha vinha praticando assaltos na região e mantendo Parauapebas como local de refúgio, tendo inclusive comprado duas motos e dois imóveis para se esconder após a prática dos crimes.
“Esses três elementos eram um braço de outra quadrilha que foi presa recentemente no Estado do Maranhão acusada de praticar assalto a bancos em Belém”, explica Antonio Miranda. Ele acrescenta que em dois assaltos bancários que fizeram em São Geraldo do Araguaia os bandidos se apoderaram das importâncias de R$ 25 mil e R$ 45 mil, dinheiro que teriam aplicado na compra de imóveis e motos em Parauapebas.
Por seu turno, o capitão PM Luiz Pontes complementa que foram apreendidos pelos três homens mortos duas motos, três revólveres, munições, aparelhos de celular, porta-cédula e documentos pessoais e de motos.
O tiroteio ocorrido em plena luz do dia entre polícia e assaltantes deixou a população vizinha da casa dos acusados apavorada, após ouvir dezenas de disparos no confronto. O temor era que alguma bala perdida acertasse alguma pessoa do bairro. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

RJ: 40 mil PMs com pistolas para uso pessoal e intransferível

Cada PM terá sua arma e a levará para casa, para maior controle e combate ao desvio
Todos os cerca de 40 mil policiais militares do Estado do Rio de Janeiro receberão pistolas calibre .40 do comando da corporação.
As armas ficarão acauteladas pelos PMs e cada uma delas será de uso individual e intransferível ‑ como já ocorre na Polícia Civil.
A medida, segundo o relações-públicas da PM, coronel Henrique Lima de Castro Saraiva, tem como objetivo possibilitar aos comandantes das unidades um controle maior sobre o armamento usado por seus subordinados e dificultar o desvio de armas. Cada PM será responsável pela sua pistola e terá que responder à corregedoria da corporação no caso de perda por qualquer razão.
A PM já adquiriu um lote de nove mil pistolas que serão distribuídas a unidades em breve. Outros lotes serão comprados ainda este ano.
Outra medida adotada pelo comandante-geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte, foi determinar uma inspeção nos paióis de todas as cerca de 60 unidades da Polícia Militar ‑ incluindo os 40 batalhões, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), as academias de formação profissional e até os hospitais ‑ para saber a situação deles.
Além de contabilizar a quantidade de munição, coletes, armas, armamentos químicos e não letais, as inspeções vão apontar possíveis desvios. Também serão vistoriadas as armas em poder de PMs cedidos ao Tribunal de Justiça e ao Ministério Público. (Gustavo Goulart, O Globo)

terça-feira, 29 de março de 2011

Mulher encontrada morta a facadas


 
A  casa Degela Raimunda Silva Chaves, residente na Rua Ângela Diniz nº 18, Bairro da Paz, em Parauapebas, registrou ocorrência na delegacia de Polícia Civil dando conta que a mãe dela, Francisca Chagas Pereira da Silva, 44 anos de idade, auxiliar de serviços gerais, natural de Pio XII (MA), foi assassinada por volta de 01h30 da madrugada do último sábado (26), vítima de golpes de faca.
Na ocorrência policial colhida pelo delegado Timóteo de Oliveira Soares, a filha da vítima conta que só veio tomar conhecido da morte da mãe dela pela manhã de sábado, quando foi comunicada pelo ex-companheiro de Francisca Chagas, conhecido por “Parazinho”.
Levada para o hospital municipal já sem vida por homens do Corpo de Bombeiros, a vítima apresentava perfurações nos braços e abaixo do peito esquerdo, “possivelmente provocadas por faca”. O crime ocorreu próximo da danceteria denominada “Bolero”, localizada na Rua Santa Maria, Bairro da Paz, por motivos que Degela Raimunda diz desconhecer.
Ainda de acordo com a filha, a mãe dela era separada, morava sozinha e costumava sair à noite nos finais de semana para se divertir nos bailes da cidade. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Acip doa computadores para polícia

Oriovaldo Mateus entrega computadores ao delegado Antonio Miranda

A diretoria da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (Acip), a pedido do delegado Antônio Miranda, diretor da Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, entregou na noite desta segunda-feira (28) dois microcomputadores completos que serão usados na delegacia.
De acordo com o delegado Miranda, o pedido à Acip foi feito depois que um raio caiu nas proximidades da Seccional de Polícia e danificou 15 computadores, deixando o órgão incomunicável com vários serviços.
A entrega dos computadores foi feita durante reunião que acontece todas as segundas-feiras na sede da Acip, localizada no Bairro Rio Verde, com a participação de todos os diretores da entidade.
Acip preocupada com a segurança
Essa não é a primeira vez que a direção da Acip atua ajudando na questão da segurança pública no município. Ainda na gestão do ex-presidente da entidade, José Rinaldo Alves de Carvalho, a diretoria lutou pela instalação do programa Disque Denúncia, que já está em funcionamento há mais de um ano e vem conseguindo grandes resultados no combate à criminalidade nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás e até mesmo Marabá.
Outra bandeira de luta encabeçada pela Acip é em relação à cadeia pública que fica localizada no Bairro Rio Verde, que já foi palco de diversas fugas. A entidade já comandou vários atos em relação às péssimas condições do prédio da antiga delegacia e também já fez reformas nas celas para que fossem evitadas outras fugas comandadas por vários detentos que superlotam as dependências da cadeia.
Para Oriovaldo Mateus, atual presidente da Acip, um dos papéis da entidade é lutar pela melhoria de assuntos importantes, como a segurança pública, “e com certeza vamos continuar nos empenhando ao máximo possível para melhorias não apenas na segurança, mas também em outros diversos assuntos, visando a melhoria da qualidade de vida de nossos associados e da comunidade em geral”, relata Oriovaldo Mateus. (Bariloche Silva)

sábado, 26 de março de 2011

Operação das polícias averigua pontos suspeitos de venda de drogas




Uma guarnição da Polícia Militar comandada pelo capitão Luís Pontes, com apoio do Grupo Tático da PM, e o delegado Antonio Miranda, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, averiguou nesta sexta-feira (25) em vários pontos suspeitos dos bairros da Paz, Liberdade II, Altamira e Vila Rica, no período das 15 às 18 horas, em busca de drogas e arma de fogo.
A iniciativa das polícias Civil e Militar foi motivada por várias denúncias da população feitas ao sistema Disque Denúncia nos últimos dias. Após verificação da eventual presença de drogas ou outros tipos de crimes, as pessoas suspeitas foram liberadas.
Na avaliação do delegado Antonio Miranda, embora a guarnição da polícia não tenha flagrado nenhum tipo de crime na operação, ele considera que só o fato da presença de uma equipe de segurança pública nos bairros da cidade já inibe a ação de eventuais bandidos contra pessoas. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Polícia promete esclarecer até segunda-feira morte de mulher






Durante coletiva concedida à imprensa, o delegado de Polícia Civil Antonio Miranda e o major PM Sérgio prometeram dentro de dez dias esclarecer o grau de envolvimento do soldado Alain Luís Monteiro da Silva, integrante do Grupo Tático da Polícia Militar, na morte da mulher Albeniza Rodrigues de Moraes, que foi assassinada a tiros na última sexta-feira (18) em Parauapebas. O prazo de dez dias, contado a partir da data do homicídio, encerra na próxima segunda-feira (28).
Na inquirição dos repórteres, o delegado Antonio Miranda informou que, mesmo ainda sem a conclusão das investigações, a polícia judiciária já havia autuado em flagrante delito o soldado Alain Silva, que até esta quarta-feira (23) se encontrava sob vigilância se restabelecendo dos ferimentos praticados pelo padrasto e filho da vítima após o assassinato da mulher.
De acordo com Antonio Miranda, a arma supostamente usada pelo soldado Alain, uma pistola calibre ponto 40, foi apreendida no local do crime e encaminhada para ser examinada pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.
Major Sérgio garantiu na coletiva com a imprensa que no dia do crime ao deixar o quartel para curtir folga o soldado Alain teria deixado a arma dele na guarnição policial. Porém, a informação passada aos repórteres é que a arma encontrada no local do crime é semelhante à usada pela Polícia Militar.
DEPOIMENTO
No depoimento do filho da mulher assassinada, David Rodrigues Moraes, conhecido por “Praga”, 20 anos, natural de Parauapebas, residente na Rua Araguaia nº 25, Bairro da Paz, conta que se encontrava sentado na porta de casa na companhia do padrasto Francisco Correa, conhecido por “Índio”, e da mãe dele, quando foi surpreendido com um homem que chegava numa moto modelo Titan com capacete preto efetuando disparos com arma de fogo em sua direção.
Com os primeiros disparos, o depoente e a mãe dele correram para o interior da residência, quando então a mulher foi atingida nas costas com um tiro certeiro, caindo morta na sala da residência.
Ao presenciar o fato, “Índio” se apoderou de um facão e saiu no encalço do matador da companheira dele, que tentava ligar o motor da motocicleta, derrubando e golpeando o pistoleiro por três vezes à altura do abdômen.
No depoimento, “Praga” diz que ao retirar o capacete da cabeça do atirador reconheceu como sendo integrante do Grupo Tático da Polícia Militar, passando a golpear o indivíduo com o próprio capacete.
“Praga” conta que no mês de julho do ano passado foi vítima de tentativa de assassinato provocada pelo policial por motivos que ele diz desconhecer. Até o fechamento desta matéria, o padrasto dele se encontrava foragido. (Waldyr Silva)

quinta-feira, 24 de março de 2011

Preso casal que pratica ‘conto do paco’


A polícia prendeu nesta terça-feira (22) o casal Francisco de Nazaré e Marinalva Gomes dos Santos (39 anos, natural de Caxias-MA), residente na Rua do Arame nº 57, Bairro Rio Verde, em Parauapebas. Os dois são acusados de aplicar na porta de bancos o golpe denominado “conto do paco”.
Em depoimento à polícia, Marinalva Gomes revela que aprendeu a prática do crime com um elemento de prenome Edivan, conhecido por “Tatu”, no município de Marabá, onde começou a executar o golpe contra pessoas inexperientes em portas de agências bancárias.
Marinalva Gomes confessou que a última vez que cometeu este tipo de crime foi na segunda-feira (21) desta semana, em frente à agência bancária da Caixa Econômica Federal, em Parauapebas.
A mulher dá detalhes no depoimento como pratica o “conto do paco”, explicando que o parceiro dela fica no interior da agência observando quem saca dinheiro e se a suposta vítima se encontra sozinha, enquanto ela se posiciona do lado de fora do estabelecimento bancário.
Quando o cliente sai do banco, o marido dela mostra quem é a vítima, a mulher passa à frente e deixa cair uma bolsa, fato que a pessoa pega o objeto e avisa. Nesse momento, os bandidos oferecem uma recompensa, mas que a vítima tem que deixar sua bolsa como garantia, devido à ganância das pessoas. Só minutos depois percebe que foi enganada pelos golpistas. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

OAB promete apoio a colega que foi mantido em cárcere privado


Uma comissão da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Parauapebas, formada pelos advogados Ademir Donizete Fernandes (presidente da subseção), André Luís da Silveira Marques, Rômulo Oliveira, Emanuel Augusto, Vanderlei Oliveira e Elissen Ferreira, esteve nesta terça-feira (22) na delegacia de Polícia Civil local para pedir celeridade no inquérito que apura o caso em que o advogado Jakson Souza e Silva denunciou ter sido mantido em cárcere privado e sofrido ameaça de morte.
Na matéria, divulgada pelo CORREIO na edição 2187, Jakson Silva conta que por volta de meio-dia da última sexta-feira (18) ele foi mantido por vários minutos em cárcere privado, ameaçado de morte e teve um dos pneus de seu carro furado com um tiro de revólver. O fato ocorreu na garagem do empresário Antonio dos Reis Pereira Pinheiro, conhecido popularmente por Tota, proprietário de postos de combustível e de uma frota de ônibus em Parauapebas.
Na reunião que mantiveram com os delegados Antonio Miranda e Nelson Júnior, os advogados tomaram conhecimento sobre o andamento das investigações e tomadas de depoimentos das pessoas envolvidas no caso de ameaça e cárcere privado sofrido por Jakson Silva.
Na oportunidade, os causídicos nomearam o advogado André Luís Marques para trabalhar no acompanhamento das investigações e demais procedimentos judiciários, visando esclarecer o caso e punir os responsáveis acusados pela vítima.
Em declarações prestadas à reportagem, Ademir Fernandes explica que a OAB sai em defesa do associado Jakson Silva porque este, conforme declarou em depoimento, estava em trabalho, na condição de advogado, quando sofrera as ameaças de morte, fora mantido em cárcere privado na propriedade do acusado e tivera um dos pneus de seu veículo atingido por arma de fogo.
O advogado André Marques, militante na área criminal, explica que até o momento em que a comissão da OAB visitava a delegacia nenhum procedimento de investigação havia sido tomado pela polícia para investigar o caso.
De acordo ainda com André Marques, a OAB solicitou ao diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, delegado Antonio Miranda, urgência no andamento da investigação e envio do processo ao Ministério Público, para que este tome as medidas cabíveis, punindo os eventuais culpados na denúncia.
Com a pressão dos advogados, à noite da última terça-feira (22) o acusado Antonio “Tota” e o empregado deste prestaram depoimento. O advogado Jakson Silva foi convidado para fazer o reconhecimento do empregado de “Tota” que procedeu ao disparo no pneu do veículo. (Waldyr Silva)

terça-feira, 22 de março de 2011

Segurança patrimonial é preso com arma de fogo sem registro



Uma guarnição do Grupo Tático da Polícia Militar, comandada pelo sargento PM Erivelton Carias, prendeu na madrugada desta segunda-feira (21) o segurança de patrimônio Josimar da Silva, 25 anos, natural de Jacundá (PA), residente na Rua Rui Barbosa nº 316, Bairro Guanabara, em Parauapebas, portando um revólver marca Taurus, calibre 32, com quatro munições intactas, sem o competente registro.
Segundo informou na ocorrência policial o sargento Carias, além da arma de fogo, foi apreendida também uma moto marca Honda, modelo Titan KS, placa JUK 0667 (Parauapebas), que estava em poder do acusado, e detido Edimael Mendes, amigo de Josimar, mas este foi liberado, por não portar nenhuma arma. A prisão do segurança ocorreu nas proximidades do bar e lanchonete “Opção”, no Bairro da Paz, em Parauapebas.
Na delegacia, Josimar confessou que possui a arma de fogo há um ano, a qual diz ter comprado na cidade de Jacundá. Disse que presta serviço de segurança patrimonial na empresa Sacramenta e que portava a arma no cós da calça porque saiu tarde do serviço e precisava se prevenir de assaltos. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Carroceiro é encontrado morto com paulada na nuca




Foi encontrado sem vida por volta de meio-dia desta segunda-feira (21) o corpo do carroceiro Silvestre Jonas da Silva, 45 anos, natural de João Lisboa (MA), que residia na Rua Santo Antonio nº 1223, Bairro Altamira, em Parauapebas.
De acordo com registro policial feito por Rosana Idalma da Silva, filha da vítima, o pai dela saiu de casa por volta das 7 horas da manhã do último domingo (20), dizendo que ia buscar o animal (cavalo) que puxa a carroça pra ele trabalhar, como sempre fazia diariamente, mas não retornou mais para casa.
No boletim de ocorrência, a filha não soube informar os motivos que levaram à morte do pai dela, que, segundo a moça, bebia muito e procurava confusão nos bares da cidade.
A reportagem levantou com populares que o carroceiro Silvestre Jonas estivera na noite de domingo para segunda-feira se divertindo na casa de festa denominada “Forró do Sítio”, no Bairro Altamira, bebericando e exibindo dinheiro, fato que teria provocado o latrocínio.
O corpo da vítima foi encontrado numa pequena lagoa localizada na Rua Princesa Diana, no Bairro Altamira, e resgatado por homens do Corpo de Bombeiros, na presença de policiais civis, militares e populares. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

domingo, 20 de março de 2011

Polícia cumpre mandados, apreende carro, moto e outros objetos


Uma guarnição de policiais militares e civis saiu às ruas de Parauapebas na tarde desta sexta-feira (18) para cumprir sete mandados de justiça e apreendeu um veículo marca Polo, uma motocicleta marca Traxx e equipamentos eletrônicos, todos adquiridos ilegalmente por roubo, assaltos e lavagem de dinheiro originado pela venda de drogas.
De acordo com o delegado Antonio Miranda, os mandados de busca e apreensão dos veículos e objetos ocorreu em virtude de levantamento feito pela polícia sobre a vida pregressa de traficantes de drogas e a aquisição dos produtos por meio de dinheiro de origem ilegal.
A maioria dos objetos foi apreendida numa loja especializada na comercialização de produtos automotivos pertencente ao traficante Josafá de Souza da Silva, o “Jamaica”, que foi assassinado na sexta-feira da semana passada em Parauapebas.
Na avaliação da autoridade policial, além de prender os traficantes, a polícia parte também para a apreensão de bens utilizados e adquiridos pelos bandidos, desarticulando e enfraquecendo a ação criminosa daqueles que ainda não foram colocados atrás das grades.
O capitão PM Luiz Pontes sustenta que a principal meta das polícias Militar e Civil é colocar na cadeia e apreender os bens de todo e elemento que pratique qualquer tipo de crime no município. “Desta forma, a polícia vai proporcionar tranquilidade às famílias de bem que moram nesta cidade”, sentenciou o policial.
Além da apreensão dos dois veículos (moto e carro) e dos equipamentos de som, na operação de ontem a polícia encontrou também munição de arma de fogo, droga e um revólver, bens avaliados em mais de 50 mil reais.
A moto foi apreendida na residência de uma pessoa conhecida apenas por “Irmão”; vários objetos na casa de Ovidio Duarte Bezerra Filho; e o veículo e os produtos automotivos na loja de som que pertencia a “Jamaica”. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

sábado, 19 de março de 2011

Sistema Disque Denúncia premia colaboradores em Parauapebas

Delegado Miranda e Márcia Guimarães

Convidados na solenidade

Delegada Regina e delegado Miranda

A coordenação do Sistema Disque Denúncia, por meio do Prêmio Gol, premiou com cartão de crédito WebCard e certificados mais de dez policiais civis e militares e demais colaboradores civis que contribuíram na agilização da prisão de pessoas denunciadas pela população.
Os policiais premiados são lotados no 23º Batalhão de Polícia Militar, 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e Conselho Tutelar de Parauapebas.
PREMIADOS
Foram premiados com cartão WebCard os sargentos PMs Ademilson de Souza e Edilson Duarte Miranda; cabos Cilvane da Silva Sousa e Jedaías Gomes dos Prazeres; soldados José Carlos Nogueira de Araújo Filho, Eliel Rosa de Sousa, Alain Luiz Monteiro e Francisco da Silva Souza.
Receberam também cartão de crédito a IPC Maria de Fátima de Oliveira e o escrivão ad hoc José Edilberto de Sousa. Do Conselho Tutelar, a premiada com WebCard foi a conselheira Letícia do Socorro Freire Rossy.
Da Polícia Civil, foram contemplados com certificados os delegados Antonio Miranda Neto (diretor da 20ª Seccional) e Maria Regina Cardoso Rodrigues (titular da Deam), enquanto que da Polícia Militar foi contemplado com certificado o capitão Sérgio, subcomandante da guarnição local.
Em declarações prestadas à reportagem, a coordenadora do Disque Denúncia, Márcia Guimarães, explica que a premiação, mesmo considerada singela, é uma forma de reconhecer a agilidade desses profissionais de segurança pública em atender às denúncias feitas pela população e colocar atrás das grades pessoas nocivas à sociedade.
A coordenadora exemplifica que um dos casos que mereceram premiação aos policiais foi a prisão de um advogado que foi flagrado com 57 petecas de crack na cidade, notícia que foi veiculada em outubro do ano passado pelo Jornal CORREIO DO TOCANTINS.
Márcia Guimarães aproveita para agradecer a participação da imprensa na divulgação dos serviços prestados pelo sistema de Disque Denúncia, que no mês de janeiro último completou um ano de funcionamento em Parauapebas. No período de um ano, o sistema recebeu pelo telefone 3346-2250 cerca de 30 mil denúncias da população, o que dá uma média de 2.500 denúncias por mês. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Advogado é mantido em cárcere privado por empresário

Advogado Jakson Silva
 
Empresário "Tota"

O advogado Jakson de Souza e Silva, 41 anos, natural de Santana do Araguaia (PA), residente na Rua B nº 585, Altos, Bairro Cidade Nova, ex-presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Parauapebas, denunciou na delegacia de polícia que por volta de meio-dia desta sexta-feira (18) foi mantido por vários minutos em cárcere privado, ameaçado de morte e teve um dos pneus de seu carro furado com um tiro de revólver.
Segundo declarou em depoimento, o autor de toda esta façanha foi o empresário Antonio dos Reis Pereira Pinheiro, conhecido popularmente por Tota, proprietário de postos de combustível e de uma frota de ônibus em Parauapebas.
De acordo com Jakson Silva, o fato aconteceu no escritório do empresário “Tota”, localizado na garagem da empresa Pinheiro, na Rua Marechal Rondon, Bairro Rio Verde, para onde o causídico havia sido convidado pelo empresário para receber honorários.
Para surpresa do advogado, no lugar de pagamento “Tota” apresentou um documento de subestabelecimento no qual dispensava os serviços de Jakson Silva, fato que este não concordou, motivando discussão entre ambos.
No calor da discussão, o causídico disse ter concordado com a assinatura do documento, mas desde que seus honorários atrasados fossem todos pagos naquele momento, proposta que não foi aceita pelo cliente. Neste ínterim, “Tota” teria declarado que o advogado não sairia dali enquanto não assinasse o documento.
Consta ainda no depoimento que “Tota” chamou um funcionário e ordenou que não deixasse o advogado sair do local, mantendo fechados os portões da empresa. Caso ele insistisse, o empregado estava autorizado a efetuar disparos contra o depoente.
Nesse momento, Jakson entrou em seu veículo, um Fiat Uno de cor prata, ligou o motor do carro e quando tentava sair da garagem foi surpreendido com o funcionário, que não soube identificar, apontando uma arma em sua direção. Ignorando a situação, o advogado avançou e o funcionário disparou um tiro num dos pneus do veículo.
Como os portões da garagem continuavam fechados, o advogado só conseguiu sair do local depois que pediu socorro à polícia, que foi ao local e liberou o depoente.
ACUSADO NEGA
Procurado pela reportagem, o empresário admite o entrevero ocorrido entre ele e o advogado, mas nega que tenha mantido o advogado em cárcere privado e autorizado funcionário dele a disparar contra os pneus do carro do causídico.
“Como eu iria mandar funcionário meu atirar nos pneus do veículo do advogado, se não tenho arma e nem tampouco meus funcionários”, indaga “Tota”, sem, no entanto, explicar de onde saiu a arma que disparou em um dos pneus do carro do advogado Jakson Silva.
O empresário admite que deve um mês de honorário para Jakson Silva, mas sustenta que só vai pagar quando o documento de subestabelecimento for assinado. O pneu avariado do veículo do advogado se encontra na delegacia de polícia para ser encaminhado para perícia técnica. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

quinta-feira, 17 de março de 2011

Polícia recaptura quatro fugitivos do Crama de Marabá

Rosiane da Conceição
 
Márcia Felipe

Sabrine Machado
 
Tiago dos Santos

O serviço de inteligência da Polícia Militar recapturou em Parauapebas no início da noite da última terça-feira (15) quatro detentos que fugiram do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama) em Marabá. Os fugitivos recapturados são os indivíduos Sabrine Machado dos Santos, Tiago dos Santos Ferreira, Rosiane da Conceição Pereira da Costa, mulher de Tiago, e Márcia Felipe da Silva.
De acordo com informações do capitão PM Luiz Pontes, Tiago foi detido pela polícia por volta das 19 horas de terça-feira (15) numa vila de quartos localizada na São Jorge nº 5, Bairro da Paz. Pressionado pela polícia, Tiago informou que a mulher dele, Rosiane, e a colega de cela Sabrine se encontravam na Praça Faruk Salmen, Bairro Guanabara, onde foram detidas minutos depois e encaminhadas, juntamente com Fábio, à delegacia de polícia.
Márcia foi flagrada por volta das 20h30 comercializando drogas na Rua Fortaleza, mais conhecida por Rua do Meio, no Bairro Rio Verde. Os quatro foram recambiados pela polícia nesta quarta-feira (16) ao Crama, em Marabá.
FICHAS
Conforme a ficha dos foragidos recapturados, Tiago Ferreira, conhecido por “Tiaguinho” no mundo de crime, escapuliu do Centro de Recuperação no dia 8 de fevereiro último, onde respondia pelas penas do art. 157 (violência física e roubo) do Código Penal Brasileiro. Constam como endereços de Tiago a Rua do Aeroporto nº 160, Bairro Amapá, Marabá; Av. Amazonas, Qd. 53, Lt. 30-P; Folha 33, Nova Marabá; e Rua São Jorge nº 5, Bairro da Paz, Parauapebas.
A mulher de Tiago, Rosiane da Conceição (25 anos), fugiu da casal penal em Marabá quatro dias depois do marido dela, portanto, dia 12 de fevereiro deste ano. Ela responde pelos crimes constantes no art. 288 (formação de quadrilha) do CPB e pelo art. 14 (porte ilegal de arma) da Lei 10.826/03. Rosiane tem como endereços Folha 27, Qd. 11, Lt 31, Nova Marabá, e Rua Pão de Açúcar, s/nº, Rondon do Pará.
Sabrine Machado (25 anos) fugiu da penitenciária de Marabá juntamente com Rosiane da Conceição, no dia 12 de fevereiro último. Ela responde pelos crimes previstos nos artigos 33 (liberdade provisória) e 35 (tráfico de drogas) da Lei 11.343/06 e tem como endereço a Rua Pedro Álvares Cabral, s/nº, Bairro Altamira, Parauapebas.
A polícia não informou o conteúdo da ficha de Márcia Felipe, mas ela é acusada de tráfico de drogas. Os quatro foram presos pela guarnição composta pelos PMs capitão Robson, cabo Meneses e cabo Santarém, sob o comando do capitão Luiz Pontes, após receber informações sobre os foragidos por meio do sistema Disque Denúncia. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Assaltante revela ter executado cliente por causa de um quadro de fotografia

Preso na noite da última segunda-feira (14), depois que assaltou um supermercado, manteve como refém o dono de um bar e se entregou à polícia, Genézio Rosa de Jesus Júnior (foto), 22 anos, natural de Santa Luzia (MA), residente na Rua Aparaí, Qd. 25, Lt. 11, Bairro Park dos Carajás, em Parauapebas, confessou ser ele o autor da execução do cliente José Raimundo Moreira de Oliveira, 43 anos, natural de Buriti Bravo (MA), que residia na Rua Santo Antonio nº 20, Bairro Rio Verde.
Genézio executou a vítima por volta das 12h50 do último dia 7, no endereço onde o cliente residia, com um tiro de arma de fogo, simplesmente porque Raimundo teria reclamado da qualidade dos serviços de ampliação de uma fotografia.
No depoimento à polícia, o restaurador de foto explicou que sacou de sua arma, um revólver calibre 38, pelo fato de a vítima ter encomendado um trabalho, recebeu a mercadoria, “mas ficou me enrolando para pagar os 200,00 reais, depois que estive na casa dele por aproximadamente dez vezes para receber o valor do quadro”, disse, no depoimento.
Com relação ao assalto ao supermercado, Genézio Rosa declarou que praticou o ato juntamente com um comparsa conhecido apenas pelo prenome de Tiago, que ele disse não saber onde ele mora.
Ainda no depoimento, Genézio contou que no assalto ao supermercado ele e Tiago utilizaram um revólver 38 e uma espingarda calibre 16 de cano cerrado. Após ser perseguido pelos seguranças do estabelecimento comercial, Tiago conseguiu escapar e Genézio tomou como refém o comerciante José Alberto Lima da Silva, 50 anos, natural de Balsas (MA), residente na Rua A nº 215, Bairro Cidade Nova. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Adolescente executado com tiro e espancamento na cabeça



Foi enterrado às 16 horas de ontem (16) o corpo do jovem Renato Alves de Almeida, 15 anos, natural de Parauapebas, que residia na Rua Lauro nº 308, Bairro Nova Vida, em Parauapebas.
Renato Alves foi encontrado sem vida no aterro da estrada que dá acesso ao Centro Administrativo da Prefeitura de Parauapebas, Bairro Beira Rio II, por volta das 8h30 da manhã da última terça-feira (15), com ferimentos de bala e sinais de espaçamento na cabeça.
De acordo com dona Neusa Alves de Almeida, mãe da vítima, o filho dela era homossexual, mas por isso nunca tinha se envolvido em problemas por onde andava. “Ele saia à noite, mas sempre retornava antes de meia-noite, ia pro quarto dele e dormia”, declarou Neusa de Almeida, que é antiga servidora pública municipal.
Ainda de acordo com a mãe do rapaz, ela tomou conhecimento que Renato fora visto na noite anterior num carro de cor prata, que ela soube identificar a marca, na companhia de pessoas desconhecidas, e não retornou mais para casa. “Como ele costumava chegar por volta de meia-noite e ia para o quarto dormir, acordei de manhã, deixei pronto o café para e ele e fui pro meu trabalho”, conta Neusa de Almeida, adicionando que tomou conhecimento sobre a morte do filho por volta das 11h40 da manhã de terça-feira (15).
Lamentando pela violenta morte do filho, a servidora pública pede que a polícia investigue o assassinato do rapaz e coloque os culpados na cadeia, “porque ele era menor de idade, estudante, não era viciado em droga e não tinha nenhuma passagem pela polícia”, lamenta Neusa de Almeida. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

terça-feira, 15 de março de 2011

Bandido assalta supermercado e mantém dono de bar como refém


Assaltante

Refém

Cenário

Curiosos
 Depois de assaltar o supermercado “Baratão”, localizado na Rua A, entre as ruas 4 e 5, no Bairro Cidade Nova, o bandido Genésio Rosa de Jesus Júnior, 23 anos, foi surpreendido e perseguido por seguranças e dirigentes do estabelecimento, até entrar no bar denominado “Fundo de Quintal” e tomar com refém o proprietário do comércio, José Alberto.
Conforme apurou a reportagem junto à polícia, o assalto ao supermercado ocorreu por volta das 19h20 desta segunda-feira (14). Quando foi surpreendido por segurança do estabelecimento, Genésio de Jesus Júnior disparou alguns tiros com o revólver que conduzia e foi perseguido no meio da rua até chegar ao bar, onde manteve o proprietário como refém.
Enquanto isso, a polícia foi acionada e uma guarnição comandada pelo capitão Luiz Pontes, na companhia do próprio comandante da Policia Militar, major Juniso Honorato, com apoio do Grupo Tático da PM, começou a negociação com o assaltante.
Na negociação, Genésio Júnior solicitou a presença da imprensa e um aparelho celular para fazer uma ligação. O aparelho foi cedido pelo cap. Pontes e o sequestrador fez uma ligação para uma pessoa de prenome Romário.
Depois de cerca de duas horas de conversa, o assaltante resolveu se entregar à polícia, liberando o refém e colocando a arma sobre uma mesa do bar, quando então a polícia verificou que o revólver não tinha mais nenhuma cápsula intacta.
A polícia teve um grande trabalho para manter a integridade física do bandido, porque a multidão de curiosos tentou linchar o elemento, chegando a jogar pedras e outros objetos na direção do acusado, que foi conduzido para prestar depoimento na Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, onde se encontra recolhido à disposição da justiça. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Trabalhador é executado a facada e a bala



O corpo do trabalhador Inácio Mesquita da Paz, 26 anos, natural de Zé Doca (MA), foi encontrado por volta das 6 horas da manhã desta segunda-feira (14) às margens da rodovia PA-160, sentido Canaã dos Carajás, nas proximidades da entrada do residencial WTorre, em Parauapebas, com várias facadas e marcas de quatro tiros de arma de fogo.
Parentes da vítima que não quiseram se identificar informaram à reportagem que Inácio Mesquita era usuário de droga e praticava pequenos furtos, provavelmente para comprar o entorpecente que consumia. A vítima trabalhava havia apenas 15 dias numa empresa terceirizada da mineradora Vale.
ATROPELAMENTO
Por volta das 16h30 desta segunda-feira (14), uma van de placa HPI 8687 (Parauapebas) e número de ordem 111, dirigida pelo motorista conhecido por “Moleza”, atropelou e matou o ciclista José Maria da Conceição da Silva, 38 anos, natural de Pio XII (MA), em frente à casa de nº 580 da Rua Uruguai, Bairro Casas Populares II, em Parauapebas.
Populares no local do acidente fatal comentaram com a reportagem que a maioria dos motoristas de vans que exploram o serviço alternativo de transporte de passageiros trafega pelas ruas da cidade em alta velocidade, na disputa por usuários, e que talvez por isso tenha ocorrido o atropelamento do ciclista. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Envolvido em tiroteio é fuzilado na casa de namorada

Jamaica
 
Chiquinho

Foi fuzilado por volta das 21h40 da última sexta-feira (11), em Parauapebas, com vários tiros na cabeça e nas costas, o elemento Josafá de Souza da Silva, conhecido por “Jamaica”, 24 anos, solteiro, natural de Nova Olinda (MA).
A vítima foi executada por dois homens, até agora desconhecidos da polícia, que chegaram à residência da namorada de “Jamaica”, localizada na Rua Tiradentes nº 1526, Bairro Rio Verde, onde a vítima se encontrava, e dispararam contra o rapaz, que ainda chegou a correr para dentro da casa, mas foi alcançado e baleado novamente, morrendo antes de chegar ao hospital.
A priori, informações de terceiros davam conta que “Jamaica” havia sido executado por Francisco Antonio Barros Freire, conhecido por “Chiquinho”, que no início do mês de fevereiro deste ano promoveu um tiroteio contra “Jamaica” na quadra sintética localizada no Bairro Cidade Jardim.
Na tentativa de acertar “Jamaica”, que acabou fugindo das balas, “Chiquinho” alvejou sete pessoas que seriam do grupo de “Jamaica”, uma delas inclusive se encontra em cadeiras de rodas, em consequência dos disparos.
Avisada na época pelo delegado Antonio Miranda, a polícia prendeu “Chiquinho” no dia 6 de fevereiro em Marabá, quando o mesmo se encontrava no interior de um ônibus que partiria para São Luís (MA). Na bagagem, a polícia encontrou três revólveres em poder “Chiquinho”. Como até hoje ele se encontra preso em Marabá, a polícia descarta a possibilidade de “Chiquinho” ter matado “Jamaica”.
VIDA PREGRESSA
De acordo com o delegado Antonio Miranda, a polícia já vinha investigando “Jamaica” pelo crime de tráfico de cocaína e lavagem de dinheiro. Antes da morte dele, o próprio delegado já havia pedido a prisão temporária da vítima.
A autoridade policial diz ter provas concretas da participação de “Jamaica” em vários assaltos na cidade. “Tratava-se de um indivíduo de alta periculosidade, que lavava dinheiro numa empresa de som automotivo e no bloco carnavalesco Carregos”, diz Antonio Miranda, acrescentando que a polícia continua investigando o caso do tiroteio entre “Jamaica” e “Chiquinho”, para que não ocorram outras mortes. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

sexta-feira, 11 de março de 2011

Família de ‘Divino Boca Quente’ apela por justiça

Divino Boca Quente


Wanderson Antunes

Dizendo-se que a família continua clamando por justiça para ver o caso do assassinato do pai dele esclarecido e os verdadeiros acusados na cadeia, Wanderson Lúcio Antunes, filho de Valdivino Luiz Antunes, popularmente conhecido por “Divino Boca Quente”, que foi executado em 14 de maio do ano passado, esteve na redação da Sucursal do CORREIO DO TOCANTINS em Parauapebas para informar que o inquérito que apura o assassinato da vítima foi encaminhado na semana passada pelo Ministério Público à 3ª Vara Criminal.
Segundo explicou Wanderson Antunes, o MP teria declarado na pessoa do promotor Danyllo Colares que o inquérito não tinha elementos para decretar a prisão de Francisco das Chagas da Luz (Chaguinha) e de seu filho Dhioni Almeida Luz (Preto), acusados de planejar e executar “Boca Quente” em seu próprio estabelecimento comercial.
O filho da vítima informou que, mesmo sendo comunicado pelo Ministério Público no dia 7 de junho de 2010 para que se tomasse providência para preventiva dos acusados, o então delegado André Albuquerque não tinha avançado muito pouco sobre o caso, deixando inconclusivos as investigações e o inquérito.
De acordo ainda com Wanderson, ao substituir André Albuquerque, o delegado Antonio Miranda encerrou o inquérito com as informações existentes e o encaminhou ao MP para que este tomasse as providências necessárias, que por sua vez encaminhou o processo à 3ª Vara Criminal “sem requerer a prisão dos acusados e sem representar o pedido de prisão, já que André Albuquerque não o fez”.
EXECUÇÃO
Valdivino Luiz Antunes foi assassinado no dia 14 de maio em um açougue no Bairro da Paz, em Parauapebas, com um tiro pelas costas que acertou sua cabeça, vindo a falecer no hospital municipal horas depois.
Segundo Wanderson Antunes, o pai dele estava trabalhando com cobrança de dívidas difíceis de receber. Quando foi executado, a vítima tinha uma dívida de 16 mil reais para receber de Chaguinha, proprietário do açougue em que Divino foi morto, dívida esta que teria ocasionado uma discussão entre cobrador e devedor, na qual Divino teria agredido Chaguinha e este teria planejado se vingar.
Procurado pela reportagem, o delegado Antonio Miranda avaliou que o delegado André talvez não tenha tido tempo de investigar o caso porque sua atenção estava voltada para o caso Ana Karina.
A reportagem do CT conversou na manhã desta quarta-feira (9) com Francisco das Chagas da Luz, o “Chaguinha”, a respeito das acusações imputadas sobre sua pessoa e do filho dele, Dhioni Almeida Luz (Preto), mas ele se recusou a falar sobre o assunto, dizendo que no dia do crime ele e “Preto” não estavam em Parauapebas. O promotor Danyllo Colares não foi localizado pela reportagem. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Presos dois homens que planejavam assaltar ótica em Parauapebas

José Carlos e Fábio Gomes

Material apreendido com a dupla

O serviço de inteligência das polícias Militar e Civil conseguiu prendeu por volta das 16 horas da última segunda-feira (7) dois homens que estavam planejando assaltar uma loja de venda de óculos no comércio de Parauapebas.
Os acusados são Fábio Gomes de Oliveira (26 anos, solteiro, segurança privada, natural de Porto Velho-RO e residente na Rua Matogrosso nº 14, Bairro Liberdade, Parauapebas) e José Carlos Costa Oliveira (28 anos, motorista, natural de Itinga-MA e residente na Rua 15 de Novembro nº 763, Centro, Açailândia-MA).
De acordo com o capitão PM Luís Fontes, os dois acusados são indivíduos que apresentam alta periculosidade à sociedade, tendo sofrido inclusive prisões no Estado do Maranhão e ultimamente ambos estavam com prisão preventiva decretada pelo delegado Antonio Miranda por crimes de assalto praticados em Parauapebas.
No carro em que a dupla foi detida e presa, um Corsa de placa JUJ 4774 (Açailândia), a polícia encontrou um revólver calibre 38 com oito balas intactas, mais de cem reais em espécie e a documentação do veículo. Fábio Gomes e José Carlos foram capturados na residência do primeiro, localizada na Rua Matogrosso nº 14, Bairro Liberdade.
Segundo informou o delegado Antonio Miranda, a dupla presa faz parte de uma quadrilha de assaltantes que vem agindo nas regiões sul do Maranhão e sudeste do Pará, até então sem ser interceptada pela polícia.
Pesa também contra Fábio Gomes e José Carlos a acusação de que os dois teriam assaltado ônibus em estrada no município de Marabá e no último sábado (5) os dois teriam tomado de assalto uma empresa na cidade de Açailândia (MA), de onde roubaram o revólver calibre 38 encontrado escondido no veículo.
Fábio Gomes é acusado ainda de ter participação num assalto que ocorreu no final do ano passado numa loja de departamento (Morenta) de Parauapebas, onde ele era segurança particular.
Procurado pela reportagem para se reportar sobre as acusações, os presos se negaram em prestar qualquer informação, alegando que não ia adiantar em nada as declarações deles. (Vela Preta/Waldyr Silva)