sábado, 27 de dezembro de 2014

Região sudeste registra 19 mortes violentas no período de Natal


Em apenas três dias (24, 25 e 26), dezenove corpos foram necropsiados pelo Instituto Médico Legal (IML) em Marabá. As mortes foram motivadas por homicídio com uso de arma de fogo, faca, machado e paulada; acidente de trânsito, descarga elétrica e causa não determinada. Os mortos são dos municípios de Marabá (8), Parauapebas (6), Piçarra (2), Nova Ipixuna (1), Itupiranga (1) e Eldorado do Carajás (1).

As vítimas de Marabá foram Daniel da Conceição Cardoso, de 9 anos (arma branca); Valdeane Feitosa de Souza, de 15 anos (golpes de machado); Gorete Gomes Silva, de 41 anos (arma branca); José Luiz Lopes da Silva, de 54 anos (causa indeterminada); Diomedes Ramos Cordeiro, de 28 anos (arma de fogo); José Elsivan Sousa Costa, de 29 anos (golpes de faca); Marcos Vinicius Martins Lima (arma de fogo) e um homem morto a paulada até então não identificado.

Em Parauapebas, perderam a vida Eilton Ferreira da Silva, 36 anos (traumatismo craniano); Luiz Rodrigues Pereira (acidente de trânsito); Cleber Leonias Costa (acidente de trânsito), Edilson Cabral (acidente de trânsito) e dois corpos ainda sem identificação, sendo um por disparo de arma de fogo e outro por traumatismo craniano.
Já em Piçarra, foram vítimas de mortes violentas Ronyson dos Santos Ferreira, 23 anos (descarga elétrica); e Francisco Torquato de Assis Neto, de 58 anos (arma de fogo).

As outras vítimas fatais foram Estevon Souza Gonçalves, 23 anos, de Nova Ipixuna (arma de fogo); Carlos André Pereira Alves, 21 anos, de Itupiranga (arma de fogo); e Expedito Modesto de Souza, 73 anos, de Eldorado do Carajás (arma branca).

Na avaliação das autoridades policiais da região, a principal causa do aumento das mortes nesta época do ano é o consumo exagerado de bebida alcoólica, quando os ânimos ficam mais exaltados e os freios inibitórios mais relaxados.

Apesar do alto índice de ocorrências, a maior parte dos crimes neste feriado, segundo a Polícia Civil, está praticamente elucidada e com a autoria definida. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Adolescente mata colega com tiro acidental em Serra Pelada

Um adolescente de 15 anos de idade tirou a vida do próprio colega, Neilton Mendes Lima, também de 15 anos, com um disparo acidental de arma de fogo na manhã desta segunda-feira (22), no Distrito de Serra Pelada, município de Curionópolis.

De acordo com o que informou à reportagem o cabo PM Aurélio, a vítima e o autor do disparo estavam acompanhados de mais um adolescente da mesma faixa etária. Moradores da Avenida Grota Rica, Bairro Açaizal, vila de Serra Pelada, os três jovens estavam trabalhando com a colheita de frutas em uma chácara, próximo a uma localidade conhecida como Bananal.

O adolescente manuseava uma espingarda de fabricação caseira, conhecida como "por fora", quando esta disparou e atingiu a cabeça de Neilton, que morreu ainda no local. O responsável pelo disparo e o colega que testemunhou tudo isso se apresentaram, acompanhados de familiares, no Destacamento da Polícia Militar de Serra Pelada, de onde foram encaminhados ainda na segunda-feira para a Delegacia de Polícia Civil em Curionópolis. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Dois homens assassinados a bala e facada

Duas mortes foram registradas neste final de semana em Parauapebas: Pablo Ferreira Bezerra, de 36 anos, e João Francisco dos Santos. Na manhã de domingo (21), o corpo de João Francisco dos Santos foi encontrado na Rua F5, no Bairro do Ipiranga. A Polícia Civil acredita que, aparentemente, o homem foi assassinado em outro local e teve o cadáver desovado no bairro. A vítima apresentava duas perfurações por arma branca.

A Polícia Civil foi acionada por volta das 7 horas, mas acredita-se que o homicídio tenha ocorrido ainda na madrugada. No local foram conseguidas poucas informações, já que a rua costuma ser bastante vazia e escura. Vizinhos disseram ter ouvido latidos de cachorros entre 3 e 4 horas da madrugada.

Por volta de 2h30 de sábado (20), a Polícia Civil foi comunicada de que houve um homicídio em uma residência na Rua Padre Jorge, Bairro da Paz. Conforme registrado em Boletim de Ocorrência pela própria Polícia Civil, Pablo Ferreira Bezerra, de 36 anos, foi vítima de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte.

Conforme informações da Polícia Civil, Pablo Bezerra foi alvejado com um tiro na costela, provavelmente de revólver calibre 22. Ainda de acordo com a PC, havia outras duas pessoas na casa quando dois homens chegaram numa motocicleta Honda CG Titan, de cor preta, e anunciaram o assalto. Um deles foi o responsável pelo disparo que tirou a vida da vítima. O telefone celular da companheira de Pablo foi roubado pelos homens, antes que fugissem. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Carceragem municipal do Rio Verde tem novo diretor

A carceragem municipal do Rio Verde, em Parauapebas, vem sendo dirigida, desde a última segunda-feira (15), por Arnaldo de Mello Henriques Neto, que veio designado pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) para dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado após o órgão sofrer a intervenção que resultou na saída da então diretora Maíra Sousa.

Arnaldo Neto começou trabalhando como agente prisional e foi chefe de segurança antes de chegar ao cargo de direção que exercia na unidade penal de Capanema, até vir para o sudeste do Pará.

Ele chega com uma missão complicada de se enfrentar. A cadeia do Rio Verde, construída para abrigar 45 homens, é conhecida pelo excesso de fugas e superlotação. Atualmente, ela está abrigando 115 apenados.

“Há aqui um grande histórico de fugas e outras situações que perturbam a disciplina interna e a ordem pública, mas isso já foi corrigido pelo interventor, pois antes havia uma gestão independente do órgão que regula as diretrizes de manual operacional. Essas diretrizes foram ajustadas para que se evite esse tipo de situação”, declarou Arnaldo Neto.

O novo diretor acrescenta que em sua gestão será intensificado o trabalho com o intuito de inibir essas ações por parte dos internos. “Meu lema de trabalho é ordem, disciplina e justiça. Aquilo que é direito vamos fazer o máximo possível para que todos os privados de liberdade tenham, para que possam também cumprir seus deveres", completou.

Arnaldo Neto vê o trabalho de reintegração do preso ao ambiente social como um dos mais árduos da segurança pública. “É difícil, mas vamos fazer isso dentro do que a lei de execuções prevê. Estamos ainda com o objetivo de contribuir e fortalecer os laços com o Poder Judiciário e outros órgãos de segurança pública, para que a sociedade alcance benefícios disso”, defendeu.

Por fim, o diretor da carceragem agradeceu o empenho do juiz Líbio Moura, da Comarca de Parauapebas, em dar atenção especial aos processos dos internos da cadeia. “Quero agradecer ao juiz que tem se empenhado em rever os processos e dado atenção especial à situação processual. Isso tem sido um ponto fundamental para a queda dessa população carcerária”, frisou.

O diretor aguarda a conclusão das obras da nova unidade prisional que está sendo construída no município. “Acredito que no início do ano serão retomadas e intensificadas as obras da penitenciária, para que essa unidade do Rio Verde seja desativada e todos comecem a ser direcionados para o novo presídio. Porém, não temos informações de datas de inauguração”, ponderou. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Ladrões furtam moto em condomínio

Acusados de furtar uma motocicleta modelo Pop de dentro de um condomínio fechado, Gilvane de Sousa, 22 anos, e dois adolescentes foram pegos de surpresa pela Polícia Militar enquanto dormiam em uma residência no Bairro Altamira, em Parauapebas. O trio foi conduzido até a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil por volta das 10h30 desta quarta-feira (17) e reconhecido pelo proprietário do veículo.

Segundo relato, a vítima viu os suspeitos sentados na porta do condomínio, assim que chegou em casa, por volta da meia noite de terça-feira (16). Cerca de uma hora depois, um vizinho chegou e já não viu mais o veículo. “A moto estava praticamente dentro da residência, em um condomínio murado, e o portão estava só encostado. No outro dia, só estava o lugar”, lamenta Jailson Fagundes, a vítima.

No dia seguinte, o dono da Pop descobriu o local onde os três assaltantes estavam escondidos e procurou a PM, a quem passou as informações necessárias. Ao receber a denúncia, os policiais militares se dirigiram até o lugar indicado, encontraram Gilvane e os dois menores, e recuperaram a motocicleta.

Questionado pela reportagem a respeito do furto, Gilvane negou qualquer participação, alegando que estava na casa da sogra dele na madrugada em que aconteceu o crime. "Nunca furtei nenhuma moto e nem vim na delegacia”, afirma o acusado.

O sargento PM Evaldo orienta as vítimas de furto ou assaltos que procurem a polícia e tentem passar o máximo de detalhes possíveis, para ajudar no trabalho de captura dos assaltantes. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

‘Garupa’ de motocicleta morre em colisão

Um acidente de trânsito tirou a vida de Cloves Castro da Silva, de 37 anos, por volta de meio-dia desta segunda-feira (15), em Parauapebas. Conforme uma testemunha, a vítima estava na garupa de uma motocicleta Honda Biz, quando houve a colisão.

Segundo foi apurado, o piloto da moto ultrapassava em alta velocidade uma caçamba que estava estacionada na Rua Parauapebas, Bairro Nova Carajás, no momento em que o motorista da caçamba colocava o veículo em movimento. Os dois veículos se chocaram lateralmente, mas o piloto da moto, que não foi identificado, conseguiu saltar.

Cloves Silva, no entanto, acabou preso à caçamba e foi arrastado por ela, morrendo ainda no local. A equipe de resgate do Corpo de Bombeiros socorreu o piloto e o encaminhou ao Hospital Municipal de Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Dupla presa com crack em Parauapebas

Gilmar Alvice Castilho, conhecido por “Cabelo Louro”, e Diomar Fernandes Mesquita foram apresentados na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, por volta de meio-dia de domingo (14), e autuados por tráfico de drogas, após a Polícia Militar ter flagrado crack em posse dos dois.

De acordo com informações registradas pelo Grupo Tático Operacional (GTO), responsável pela prisão, o serviço de inteligência da PM vinha monitorando um endereço no Bairro dos Minérios que serviria como ponto de apoio para os dois traficarem crack e fez a prisão da dupla.

Com Diomar, ainda conforme o relato policial, foi encontrada uma embalagem plástica contendo a droga. Os militares afirmam ter interrogado ele, que teria confessado, além de entregar a participação de Gilmar, informando que o parceiro atuava na distribuição do entorpecente. Por fim, Diomar ainda teria apontado outro imóvel onde haveria mais droga escondida.

Os militares foram ao local apontado e encontraram mais duas embalagens pesando 51 gramas da mesma substância. Foi apreendido também um veículo Chevrolet Celta, de placa MW 4666, em posse dos presos, apresentando perfurações por vários disparos de arma de fogo na lateral direita, além da porta, e um projétil de arma de fogo dentro do veículo. Diomar teria informado durante esse interrogatório que os valores arrecadados com o tráfico eram depositados na conta bancária da esposa dele.

Ao ser ouvido pela Polícia Civil, Diomar informou que estava em Parauapebas há apenas quatro dias e que trabalha no comércio de confecções. Disse ainda que conheceu Gilmar nesse período e que havia tratado de dividir o aluguel da casa onde ambos foram presos.

Questionado sobre envolvimento com a prática de tráfico, Diomar informou que só falaria em juízo. A respeito do carro apreendido, respondeu que o veículo pertencia a um irmão dele. "Acho que ele colocou o carro do lado de fora da garagem e quando o dia amanheceu estava com os buracos de tiro", tentou justificar.

Já Gilmar informou que chegou à cidade há aproximadamente uma semana, quando conheceu Diomar, durante uma festa. Ele acrescentou que está desempregado e confirmou que dividia a casa com o novo colega. Perguntado sobre o tráfico, o acusado negou e afirmou ser apenas usuário.

Ao responder sobre a droga apreendida, Gilmar afirmou não ter visto nada e acredita que tenha desmaiado na hora. Por fim, ele confirmou já ter sido preso pela Polícia Federal, acusado do mesmo crime, e ter cumprido pena por aproximadamente três anos no Estado de Mato Grosso do Sul. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 13 de dezembro de 2014

Motorista de micro-ônibus atropela e mata

Até esta sexta-feira (12), o motorista que conduzia um micro-ônibus da Coocavump (Cooperativa dos Condutores Autônomos de Veículos Utilitários e Motos de Parauapebas), responsável pelo atropelamento e morte do ciclista Valdeci Araújo de Oliveira, 27 anos, natural de Jacundá (PA), na noite de quinta-feira (11), não havia se apresentado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas.

O ciclista pedalava sua bicicleta na Rua Presidente Kennedy, Bairro Beira Rio, quando, ao passar pelo terminal rodoviário, foi atropelado e arrastado para dentro do estacionamento.

Conforme o sargento Ronaldo, do Corpo de Bombeiros, a vítima teve traumatismo crânio-encefálico. "Quando chegamos aqui, o rapaz se encontrava embaixo da van, preso com a bicicleta dele. O veículo deve ter passado por cima da cabeça, porque tem sinais de traumatismo. Verificamos as pupilas e colocamos o aparelho que verifica pulso e respiração, sendo constatada a morte dele", explica o bombeiro.

Ainda segundo o sargento, quando os bombeiros chegaram ao local o motorista, ainda não identificado, já não estava mais. Como o micro-ônibus pertence a uma cooperativa, o sargento Ronaldo diz que fica fácil localizar o proprietário e o condutor. O bombeiro informou ter ouvido de populares que testemunharam o acidente que o motorista não viu o ciclista.

"Os populares disseram que ele [ciclista] estava passando quando a van entrou e o motorista não viu, só percebendo que tinha atropelado alguém depois, quando avisaram que Valdeci foi arrastado por aproximadamente 20 metros", reiterou o oficial.

A reportagem entrou em contato com a direção da cooperativa, que se identificou apenas como Raimundo e afirmou estar muito ocupado para se manifestar acerca do caso. (Vela Preta/Waldyr Silva)

‘Negão do Morro’ é preso com petecas de crack e dinheiro

O indivíduo Raimundo Santana Reis, conhecido por “Negão do Morro”, foi preso pela Polícia Militar, na última quinta-feira (11), em Parauapebas, em posse de várias petecas de crack e aproximadamente R$ 1 mil em espécie.

Segundo o delegado Thiago Carneiro Rodrigues, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, o preso já vinha sendo investigado pela polícia, que o considera como grande fornecedor de drogas no município.

“Ele ainda vai ser ouvido nesta sexta-feira (12), mas preliminarmente nos confessou o crime. Vamos apurar a origem dessa droga e tentar identificar outros envolvidos no tráfico", explica o delegado. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Mulher é assassinada dentro de bar com tiro na cabeça

A Polícia Civil está investigando o assassinato de Josianny Carneiro da Cruz, de 26 anos, ocorrido por volta de 2h30 da madrugada de quinta-feira (11), em um bar na Rua Marabá, em Parauapebas, para saber se a causa foi homicídio ou latrocínio.

Segundo explicou para a reportagem o delegado Nelson Alves Júnior, titular da Divisão de Homicídios, dois homens chegaram ao bar, um entrou armado com um revólver calibre 38 e atirou na vítima, sem que ela reagisse. Ainda de acordo com a autoridade policial, Josianny Carneiro estava bebendo com outra mulher, com quem mantinha relação homoafetiva, e mais dois homens.

"Os bandidos chegaram 20 minutos depois de ela ter chegado e passaram a dizer que era um assalto. Mas achamos estranho, porque a mulher não tinha dinheiro. Não sei se foi uma armação para a vítima, que estava num local pouco frequentado”, avalia o delegado, acrescentando que a polícia está ouvindo testemunhas para chegar ao pistoleiro.

O corpo de Josianny foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Marabá, onde a reportagem conversou com uma das irmãs dela, que preferiu não gravar entrevista, alegando ter poucas informações a respeito do homicídio. A irmã, no entanto, bastante emocionada, disse acreditar que o crime tenha sido decorrente de um assalto. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Idoso é assassinado a facadas em casa

O idoso Mário Miranda da Silva (foto), 62 anos, conhecido como “Cabo Velho”, foi assassinado a facadas por volta das 14 horas de sábado (6), dentro da própria residência, na Rua Dom Pedro I, Bairro Rio Verde, em Parauapebas. Segundo testemunhas, Mário Miranda, que morava sozinho, levou três facadas, sendo duas no abdômen e uma na boca.

De acordo com a testemunha Jorge Santos, que colheu informações no local, o suposto assassino era negro, baixo, de aproximadamente 1,65 metro de altura e tinha aparência indígena. O homicida teria chegado à residência junto com a vítima.

"Conforme informações de testemunhas, o acusado caiu e a vítima o ajudou a se levantar. O idoso e acusado entraram na residência, e depois de cinco minutos alguém entrou na casa e deu o alarde que ‘Cabo Velho’ estava morto", explicou Jorge Santos.

Informações dão conta que horas antes do crime o idoso teria recebido salário e estaria com cerca de R$ 1.000 em mãos. Porém, não se sabe se o dinheiro foi levado ou não da casa do idoso. Momentos antes do assassinato, Mário Miranda foi visto ingerindo bebida alcoólica em companhia do suposto assassino. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 6 de dezembro de 2014

Homem executado a bala pode ter sido vítima de acerto de contas

Antonio Marcos de Souza Reis, de 35 anos, foi executado com vários tiros por volta das 21h30 da última quarta-feira (3), na Avenida I, Bairro dos Minérios, em Parauapebas. A esposa da vítima relatou que ela estava aguardando o esposo buscá-la na escola em que estuda, mas ele começou a demorar.

Já preocupada, a mulher recebeu a notícia de que Antonio Marcos havia sofrido um atentado no caminho. A esposa seguiu para o local onde o crime teria ocorrido e se deparou com o marido já morto.

Informada sobre o crime, uma guarnição da Polícia Militar se dirigiu ao local e tomou conhecimento que Antonio estava pilotando uma motocicleta quando foi surpreendido por dois homens em uma moto Honda Pop 100, de cor preta. Ele foi alvejado, inicialmente, por um único tiro e caído da motocicleta em que estava. Antonio ainda conseguiu correr, pedindo ajuda, mas os bandidos, audaciosos, seguiram a vítima, efetuando mais três disparos, sem se preocupar com a presença de várias pessoas que passavam pelo local.

O caso foi registrado junto à Polícia Civil, que investiga o homicídio, no intuito de chegar até os assassinos. Acredita-se que a execução se deu por um possível acerto de contas, já que nenhum pertence da vítima foi levado pelos pistoleiros. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Eletricista cai de poste e morre

O eletricista Carleandro Soares, 26 anos, morreu na madrugada de sexta-feira (5), no Hospital Municipal de Parauapebas, após cair de um poste no final da tarde de quinta-feira (4), no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas.

De acordo com José Cláudio Freitas, ninguém testemunhou a queda, mas um transeunte passava pelo local quando viu a vítima, ainda viva, caída no chão. Imediatamente, o homem acionou uma ambulância e esta encaminhou Carleandro para o hospital, já em coma, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ainda conforme José, a vítima era casada e morava há aproximadamente três anos em Parauapebas. O corpo do eletricista foi trasladado para São Pedro da Água Branca, no Maranhão, de onde ele era natural, e onde ainda vivem seus pais. José Cláudio, que conhecia a vítima há muitos anos, diz que o rapaz era trabalhador, pessoa de boa índole e evangélico. (Luciana Marschal/Waldyr Silva)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Dupla flagrada e presa com arma de fogo

No momento em que uma guarnição da Polícia Militar fazia ronda de rotina no Bairro Tropical, em Parauapebas, na última quarta-feira (3), os policiais suspeitaram das atitudes de dois homens em uma motocicleta, abordaram e prenderam a dupla.

Jorge Maicon Viana da Rocha, 21 anos, natural de Parauapebas; e Ygor Luiz Teixeira Quaresma, 19, natural de Belém, foram detidos e encaminhados à Polícia Civil, acusados de porte ilegal de arma de fogo.

Os dois foram avistados na entrada do Bairro Tropical e quando perceberam a presença policial aceleraram a motocicleta Yamaha YBR de cor preta, em direção às Casas Populares. Os policiais acompanharam a dupla e viram quando o da garupa se desfez de um objeto, jogando-o para fora da estrada.

Após conseguir abordar os dois, eles foram questionados sobre o que jogaram fora e acabaram contando que havia sido um revólver. Os policiais retornaram ao ponto onde viram a ação e começaram a procurar pelo objeto, encontrando um revólver pouco tempo depois. Na avaliação da Polícia Militar, a arma seria utilizada em assaltos. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Homens mascarados assassinam jovem

Francisco Jean Oliveira da Silva, de 22 anos, natural de Fortaleza (CE), foi assassinado na noite de terça-feira (2) na frente da mãe dele, no Bairro Nova Carajás, em Parauapebas. Segundo informações do pai da vítima, Geraldo Pereira da Silva, dois homens com os rostos cobertos por máscaras se aproximaram em uma motocicleta preta e mataram Francisco com um único tiro na cabeça, fugindo em seguida. “Ele estava no quintal de casa com o irmão, a mãe e um amigo”, conta.

Conforme explicou à reportagem, Geraldo Silva soube da notícia quando chegou à residência e por isso diz não saber se o filho vinha sendo ameaçado, se possuía envolvimento com drogas ou fazia atividades ilícitas.

Segundo ainda o pai da vítima, Francisco Jean esteve preso por algum tempo, ao se envolver em uma situação de roubo. “Ele deu uma carona para um amigo de moto e quando chegou em um lugar o cara pulou da moto e roubou um celular de uma pessoa”, diz, acrescentando que o filho acabou sendo preso pelo erro do conhecido. “Ele até estava indo assinar todo mês no Fórum”, explica Geraldo Silva. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Caminhonete bate na traseira de motocicleta e esmaga cabeça de piloto

Um acidente envolvendo uma motocicleta Honda Pop 100 e uma caminhonete D-20, ocorrido por volta das 20h30 do último domingo (30), na zona rural de Parauapebas, provocou a morte do jovem Eduardo de Sousa Silva, de 18 anos, e levou a namorada dele, Andreia Cristina, para o hospital.

Conforme informações do tio da vítima, Eleilton Santos, prestadas à Polícia Civil, a caminhonete colidiu contra a traseira da motocicleta, derrubando o casal. O motorista da caminhonete fugiu após passar por cima da cabeça de Eduardo com o veículo. Mesmo utilizando capacete, Eduardo morreu na hora, enquanto Andreia foi socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Parauapebas.

Eleilton Santos informou ainda que o sobrinho não tinha o costume de trafegar pela estrada à noite, mas sempre visitava parentes que vivem na região durante o dia. O piloto da motocicleta não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A Polícia Civil está investigando a morte do rapaz. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) do município e liberado para os familiares após a necropsia. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Polícia Militar manda ex-detento de volta para cadeia por tráfico de droga

A Polícia Militar prendeu Randeson Câmara Araújo, de 23 anos, no início da madrugada do último domingo (30), em posse de 80 gramas de crack, além de balança de precisão, cinco aparelhos celulares e três facas. A prisão se deu na Rua Ary Barroso, em frente à Escola Irmã Laura, no Bairro Caetanópolis, em Parauapebas.

Conforme informações do sargento PM Ademilson, o rapaz vinha traficando droga na cidade e é reincidente. “Ele é vagabundo e assaltante, mas conseguimos tirá-lo de circulação”, afirmou o militar, acrescentando que Randeson saiu recentemente da cadeia, onde esteve preso por aproximadamente cinco anos pelo crime de roubo.

Procurado pela reportagem, Randeson preferiu não se manifestar a respeito das acusações. Ele foi apresentado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e se encontra à disposição da Justiça. (Vela Preta/Waldyr Silva)

domingo, 30 de novembro de 2014

Polícia Civil explica à imprensa como prendeu matador de Bárbara Lira

Durante coletiva de imprensa na tarde deste domingo (30), o superintendente regional de Polícia Civil, delegado Marcelo Delgado, agradeceu ao apoio que recebeu da imprensa, polícias Militar e Civil, e deu detalhes sobre a prisão de Douglas Pantoja Corrêa, 21 anos, acusado de ter assassinado a garota Bárbara Lira Ferreira, 13 anos de idade.

“O trabalho da polícia foi bem feito. Dar a notícia desta prisão nos motiva a trabalhar cada vez mais em prol dos munícipes”, destacou Marcelo Delgado, afirmando que estava há uma semana sem ver sua esposa e familiares por estar envolvido totalmente nas investigações do crime da garota Bárbara Lira Ferreira.

O crime que ceifou a vida da estudante ocorreu no dia 22 de novembro, nas proximidades da Praça da Bíblia, onde a garota foi encontrada sem vida, estuprada e golpeada no pescoço e no coração.

Segundo a polícia, o homicida é natural de Belém do Pará, mora em Parauapebas há seis anos, é evangélico e frequentava a mesma igreja que Bárbara Lira congregava, a Deus é Amor.

Na coletiva, os delegados Marcelo Delgado e Thiago Carneiro apresentaram à imprensa Douglas Pantoja, que em declarações prestadas aos repórteres confessou o crime e em poucas palavras disse que não tinha mais nada a falar, e estava arrependido.

“Através de investigações em sigilo absoluto com o apoio de outros policiais, inclusive de outros municípios, conseguimos levantar informações e provas que foram apresentadas ao juiz criminal Líbio Moura, que por sua vez decretou a prisão do elemento Douglas Pantoja Corrêa. Tivemos informações que ele estava em São Domingos do Araguaia, a 210 quilômetros de Parauapebas, e a partir daí fomos até o outro município e tivemos êxito na prisão do acusado”, relatou Thiago Carneiro.

O delegado Marcelo Delgado ficou dois dias naquele município e conseguiu prender o acusado no sábado (29), que estava se dirigindo para a igreja evangélica Deus é Amor, na companhia dos pais.

No momento da prisão, Marcelo Delgado e sua equipe estavam descaracterizados, porém, Douglas Pantoja Corrêa não esboçou reação à prisão.

“No final da semana passada duas mulheres foram assassinadas de formas semelhantes em Parauapebas. Porém, foram casos isolados e graças a um trabalho de inteligência da Polícia Civil os dois acusados estão presos e à disposição da Justiça”, enfatizou Marcelo Delgado, afirmando que a imprensa e população de modo geral precisam ter cautela em divulgar informações.

“Não podemos acusar pessoas inocentes, como, por exemplo, o namorado da garota Bárbara, que foi julgado pelas redes sociais. Quando uma pessoa compartilha uma foto com informações falsas, ela também responde junto. Afinal, isso gera um pânico desnecessário à população”, relatou a autoridade.

Douglas Pantoja Corrêa era ex-namorado da jovem Bárbara Lira. De acordo com os delegados que desvendaram o crime, Bárbara terminou o relacionamento com Douglas e iniciou o namoro com outro jovem, porém ainda vinha tendo contatos via aplicativo whatsapp com Douglas.

Na sexta-feira (21 de novembro), Bárbara e Douglas teriam marcado um encontro. Por volta das 23 horas, Douglas foi até a residência de Bárbara e a levou em uma motocicleta modelo biz para o Morro dos Ventos, nas proximidades da Praça da Bíblia.

Em depoimento, Douglas Corrêa confirmou que no local manteve relações sexuais com Bárbara Lira, com o consentimento da vítima, e logo após a esfaqueou. De acordo com Marcelo Delgado, por mais que a relação sexual fosse com o consentimento de Bárbara, se caracteriza estupro, tendo em vista que a garota é menor de 14 anos de idade.

Além de Douglas Corrêa ter confessado o crime, as autoridades policiais estão com várias provas que confirmam a confissão, como o aparelho celular de Bárbara Lira, encontrado com o acusado. A motocicleta usada no crime também foi apreendida e passará por perícias para ver se vestígios de sangue são encontrados no veículo. (Bariloche Silva/Waldyr Silva)

sábado, 29 de novembro de 2014

Matador confessa que assassinou mulher por ter sido atingido por tapa

Vandeilton Lopes Pedrosa, de 33 anos, conhecido por “Neguinho”, confessou ter assassinado uma mulher a facadas, simplesmente porque ela desferiu um tapa no rosto dele. Tão banal quanto o motivo da morte foi a razão pela qual começou a discussão que levou ao desfecho trágico.

De acordo com o homicida, a vítima, identificada como Lucileine da Silva, 35 anos, falou que desejava mudar de nome e ele respondeu que "isso não existe". Em seguida, a mulher, apelidada de Francilene, o agrediu com tapa na cara.

O homicídio ocorreu no domingo (23), dentro de uma residência no Projeto de Assentamento Jatobá, a cerca de 20 quilômetros de Palmares II, zona rural de Parauapebas, mas Vandeilton só foi preso por volta de 1 hora da madrugada de quinta-feira (27). A Polícia Civil havia divulgado um retrato falado do acusado.

"Nós estávamos bebendo e foi uma discussão sobre o nome dela. Ela falou que queria trocar de nome e eu falei que isso não existe. Eu me sentei e ela me deu um tapa na cara", relata Vandeilton Pedrosa. Os dois estavam na casa de um vizinho do acusado.
Depois de desferir dois golpes de faca contra Lucileine, um deles no pescoço, 

Neguinho saiu da casa e se dirigiu para o local onde diz trabalhar com serviços gerais. Após pegar alguns pertences, foi até a estrada e conseguiu uma carona.

O autor do crime narra que, ao receber as facadas, a vítima saiu correndo até a área externa da residência e caiu no quintal da casa. Durante a entrevista, Vandeilton alegou que estava bêbado no momento em que tudo aconteceu e afirma estar arrependido.

A polícia chegou até o assassino a partir de uma denúncia anônima. Neguinho foi localizado e preso em seguida. Ao chegar à delegacia e ser interrogado pelo delegado, ele confessou a autoria do crime.

Vandeilton foi autuado por homicídio qualificado, por ter sido um motivo fútil e também pela impossibilidade de defesa da vítima, diz a polícia.

Após levantamento, a Polícia Civil afirmou que os dois não tinham nenhum envolvimento amoroso e que a morte foi realmente provocada por uma discussão entre Neguinho e Lucileine.


Na ocasião, o delegado informou que Lucileine estava na companhia de dois homens. "Um era o dono da casa e o outro era o Neguinho. O dono da casa se ausentou por alguns minutos e deixou Neguinho na companhia da vítima", contou o delegado. Depois de retornar, após 10 minutos, o proprietário da residência encontrou sangue perto da cama e um rastro de sangue que levava até a área externa da casa. Do lado de fora, em um local com mato, o proprietário descobriu o corpo da vítima, que tinha o pescoço cortado. "Não temos dúvida de que foi Neguinho que cometeu o crime", afirmou o delegado Nelson Júnior. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Assassino deixa carta acusando vítima de ser estuprador

O autor do assassinato de Raimundo Nonato da Conceição, de 52 anos, deixou uma carta próxima ao corpo da vítima, acusando-a de ser um estuprador. O homem foi encontrado morto dentro da própria residência, no Bairro Primavera, em Parauapebas. A Polícia Civil acredita que o bilhete seja uma tentativa do homicida querer desvirtuar as investigações.

"A carta pode ser usada contra o autor do crime. Podemos mandá-lo escrever e enviar isso para a perícia, para saber se aquela escrita do bilhete é compatível com a do autor”, explica o delegado Nelson Alves Júnior, da Divisão de Homicídios.

Raimundo Nonato morava sozinho e foi encontrado morto por volta das 16 horas da última quinta-feira (27). O delegado suspeita que o assassino seja alguém conhecido da vítima. "Certamente, a vítima levou o assassino para dentro da casa dela, uma pessoa que ela já conhecia, porque a casa estava fechada e o cadáver estava do lado de dentro", afirma a autoridade.

Dentro do quarto onde o corpo da vítima foi localizado vários objetos se encontravam revirados e dois aparelhos de televisão foram levados da casa. Os peritos encontraram um saco plástico na cabeça da vítima, o que leva a crer que Raimundo Nonato foi assassinado por sufocamento. A Polícia Civil supõe que o autor do crime estava atrás de certa quantia em dinheiro que Raimundo vinha guardando para construir um imóvel.

Segundo informações da polícia, vítima e algoz estariam bebendo juntos no domingo (23), dia em que o delegado acredita que Raimundo tenha sido assassinado, por conta do estado de decomposição em que o corpo se encontrava. "A vítima era muito fraca para beber e, após ingerir bebida, dormiu e foi sufocada".

O cadáver foi descoberto depois que vizinhos sentiram o mau cheiro e avisaram a polícia. Raimundo Nonato trabalhava em um posto de combustíveis de Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Delegado nega possibilidade de ‘serial killer’ em Parauapebas

Depois da morte da adolescente Bárbara Lira Pereira, de apenas 13 anos, vários grupos em redes sociais, como o whatsapp, passaram a espalhar informações infundadas a respeito do autor desse e de outros crimes parecidos em Parauapebas. O delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, descartou a possibilidade de que exista um assassino “serial killer” na cidade.

“Infelizmente, grupos em redes sociais estão divulgando vários informes, causando uma verdadeira sensação de pânico na cidade”, afirma o delegado. Ele ressalta que existe um grupo de whatsapp criado exatamente para facilitar a comunicação entre a Polícia Civil e a imprensa local, a fim de evitar esse tipo de especulação.

Thiago Carneiro informou que as autoridades policiais já estão tomando as medidas necessárias para punir esse tipo de atitude, mandando intimações para pessoas que já estão sendo identificadas para responderem criminalmente por enviar mensagens falsas via celular.

Por conta da informação de que uma foto do namorado de Bárbara estaria circulando pelas redes sociais de maneira caluniosa, a reportagem questionou o diretor da 20ª Seccional a respeito do depoimento do rapaz. O delegado voltou a afirmar que as investigações seguem em sigilo, para não atrapalhar o trabalho da polícia.

Sobre rumores levantados na cidade de que os recentes casos de mulheres mortas ou violentadas em Parauapebas pudessem ter o mesmo autor, Thiago Carneiro afirmou que a polícia acredita serem casos bem diferentes. “Estamos apurando todos os casos com afinco, com o apoio de todos os delegados da Polícia Civil”, concluiu.

Outra adolescente
Surgiu mais uma adolescente vítima de violência sexual no Bairro Tropical II, em Parauapebas. Trata-se de uma jovem de 14 anos que foi estuprada dentro da própria residência, na última segunda-feira (24), e em seguida socorrida por uma vizinha, que a encaminhou para o hospital público municipal. Espancada e ainda submetida a ameaças de morte, a garota sobreviveu e se encontra internada em uma unidade de saúde.

O caso dessa adolescente está sendo também investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Manifestação
Em protesto contra o alto índice de violência na cidade, um grupo de mulheres organiza para a tarde do próximo sábado (29) uma manifestação pelas ruas de Parauapebas. O protesto deve cobrar das autoridades mais segurança para o município. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Polícia prende quadrilha de assaltantes

Uma guarnição da Polícia Militar prendeu por volta das 10 horas de quarta-feira (26), em Parauapebas, cinco homens acusados de assaltar um açougue e levar mais de R$ 9 mil em dinheiro e joia. Após o assalto, o bando roubou também uma motocicleta modelo Biz e chegou a trocar tiros com uma equipe da Polícia Civil, com a qual se deparou.

Os acusados são os indivíduos Thiago Silva de Lima, 22 anos; Rafael Silva de Brito, 18 anos; Rafael Serafim, 26 anos; Edmilson Serafim de Seixas, 28 anos; e Erick Kevim dos Santos, 19 anos. Depois de presos, alguns deles foram reconhecidos pelo dono do estabelecimento assaltado.

O bando roubou a quantia de R$ 4.880 e uma corrente de ouro no valor de R$ 4.500 durante o assalto ao açougue. Na tentativa de fuga, se viram obrigados a abandonar as três motocicletas que pilotavam, incluindo a Biz, roubada no momento em que fugiam, um revólver calibre 38 e os produtos do roubo. Segundo o tenente PM Costa, eles também estariam consumindo drogas no interior do domicílio.

Ouvido pela reportagem, Thiago Lima negou participação no roubo, mas admitiu que ele estava consumindo na casa onde foram presos. Ele afirmou não saber de quem eram as armas encontradas. “Não roubei nada”, disse Thiago. Rafael Serafim também negou qualquer envolvimento.

Francisco Chagas, dono do açougue, relatou que os assaltantes estavam armados e agiram com violência, chegando a levar clientes para a residência do proprietário e os fizeram deitar no chão. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Dono de boate é assassinado dentro do próprio estabelecimento

A Polícia Civil de Parauapebas trabalha em cima de várias linhas de investigação para tentar descobrir os autores dos três disparos que mataram Cleber Maracaipe Bezerra, de 27 anos.

Conhecido como “Fofo”, Cleber Bezerra era proprietário de uma casa noturna localizada no Bairro Guanabara, onde foi alvejado por volta de 1 hora da madrugada do último sábado (22).

“As primeiras informações dão conta que dois indivíduos chegaram numa moto e um deles efetuou três disparos de arma de fogo contra a vítima, que veio a óbito no local”, relata o delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas.

A polícia instaurou inquérito para apurar todas as possíveis linhas de investigação. “Sabemos que a vítima era uma pessoa de personalidade forte e dona de uma boate que estava em ascensão na cidade. Era comum ele ter discussões com clientes que não queriam pagar a conta”, informa o delegado plantonista Paulo Junqueira.

Há 15 dias, segundo o delegado, Cleber teve uma discussão muito forte com um rapaz que não quis pagar a conta no estabelecimento dele. O cliente teria ameaçado retornar ao local e fazer alguma coisa contra a vida do proprietário da casa noturna.

Segundo ainda a polícia, “Fofo” também já foi usuário de drogas e teve uma recaída ainda este ano, quando passou quatro meses usando entorpecentes. “Precisamos saber se ele ficou com alguma dívida com traficantes”, acrescenta Paulo Junqueira.

Ele acrescenta que a vítima já havia sido presa por cárcere privado, na época em que era dono de uma boate no município de Tucumã, onde mantinha algumas garotas de programa presas e que só podiam sair com a autorização dele.

Outra situação que vem sendo apurada pela Polícia Civil é o fato de um rapaz ter sido preso dentro da boate de “Fofo” por tráfico de drogas. Na época, o dono do estabelecimento foi conduzido até a delegacia junto com o acusado, mas logo foi liberado. Na semana em que o rapaz havia sido preso, um bilhete chegou até a boate ameaçando a vítima por conta da prisão.
“Ele era um cara famoso na cidade, conhecido e benquisto por suas funcionárias, mas seu estilo de vida era de alguém que tinha várias desavenças. Estamos fazendo levantamento de todas essas situações até chegarmos a um verdadeiro autor do crime”, conclui o delegado Paulo Junqueira, acrescentando que a polícia ouviu as mulheres que trabalham na boate e está apurando imagens das câmeras do estabelecimento e das ruas que ficam próximas ao local do crime. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Amigos e familiares demonstraram dor e revolta no enterro de adolescente

Aos gritos de “justiça, justiça, justiça!”, amigos e familiares da jovem Bárbara Lira Pereira, 13 anos, encontrada morta na manhã do último sábado (22), demonstraram dor e revolta durante o enterro da adolescente assassinada, que aconteceu nesta segunda-feira (24), em Parauapebas.

A cena do crime leva a crer que a vítima foi abusada sexualmente antes de ter sido assassinada a facadas. Um inquérito policial foi instaurado e agora a polícia tem prazo de 30 dias para tentar identificar o autor do homicídio e prendê-lo.

O corpo da garota foi encontrado por funcionários de uma obra perto da Praça da Bíblia, no Morro dos Ventos, por volta das 10 horas de sábado (22). Depois de encontrarem a menina já sem vida, os trabalhadores procuraram a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil para informar sobre o cadáver.

Segundo o delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional, a maior parte das informações corre em segredo de justiça, com intuito de não atrapalhar as investigações. Ele diz que o corpo da adolescente foi periciado e passou por exame sexológico forense e necropsia.

O delegado plantonista Paulo Junqueira informou à reportagem que o corpo da jovem apresentava aspectos que havia acontecido estupro antes da garota ser morta. “A calcinha estava ao lado do corpo, a saia estava levantada e havia uma embalagem de camisinha ao lado da vítima”, conta o delegado, acrescentando que Bárbara foi assassinada com dois golpes de faca, um no pescoço e outro no peito.

De acordo com informações cedidas por familiares de Bárbara, a vítima saiu da residência por volta das 23 horas da última sexta-feira (21) para atender a um encontro marcado através do aplicativo whatsapp.

Câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais próximos da casa da garota registraram o momento em que ela saiu de casa, montada na garupa de uma moto modelo Biz de cor branca, para rumo desconhecido, com um homem que ainda não foi identificado pelas autoridades policiais.

“Temos notícias de que ela teria recebido mensagens pelo whatsapp, para um encontro. Mas todas as linhas de investigação estão sendo apuradas. Não podemos dar nenhuma certeza, porque é preciso verificar todo tipo de informação até chegar a uma conclusão, para indiciar o autor e pedir a preventiva dele”, completa o delegado Paulo Junqueira.

A adolescente tinha um namorado de 16 anos e o relacionamento tinha o consentimento da família, sendo que os dois estavam pensando em marcar noivado em breve. O namorado de Bárbara afirmou que a última vez que viu a garota foi na quarta-feira (19), porém, não suspeitou de nada em relação ao crime cometido há dois dias depois. A menina era evangélica, congregava na Igreja Deus é Amor e estudava na escola municipal Carlos Henrique. (Vela Preta/Waldyr Silva)

domingo, 23 de novembro de 2014

Polícia apreende carga de madeira ilegal

A Polícia Civil apreendeu na madrugada de sexta-feira (21) um carregamento de madeira ilegal que estava sendo transportada em um caminhão na zona rural do município de Parauapebas.

Os policiais desconfiam que a madeira seja da espécie castanheira e estimam a quantidade de 25 metros cúbicos. “Vamos apurar, no decorrer do inquérito policial, para saber a origem e o destino final dessa madeira”, explica o delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil.

No momento da apreensão da madeira foi preso, em flagrante delito, o motorista do caminhão que transportava a carga, Jeferson Lopes da Silva. “Conseguimos obter êxito tanto na prisão quanto na apreensão do referido material”, afirma o delegado, que se preparava para ouvir em depoimento o acusado.

Segundo a polícia, o motorista não apresentou nenhum documento legal autorizando o transporte da mercadoria. “Muitos desses transportes tentam driblar tanto a fiscalização federal, neste caso, o Ibama, quanto a polícia, mas estamos atentos para efetuar as prisões desses indivíduos”, promete a autoridade policial.

De acordo com a Promotoria de Justiça da Defesa da Probidade Administrativa, a castanheira não pode ser comercializada, visto que é uma espécie de madeira em processo de extinção e protegida pela Lei nº 9.605/98, que dispõe sobre crimes ambientais. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 22 de novembro de 2014

Tatuador é assassinado com dois disparos

O tatuador José Fernando Morais Santos, 21 anos, foi assassinado a tiros dentro de um bar no Bairro dos Minérios, em Parauapebas. O rapaz teria sido chamado para fazer uma tatuagem naquele local. Familiares acreditam que ele tenha sido vítima de uma armadilha.

De acordo com a mãe da vítima, um rapaz teria ido até a casa deles, na quarta-feira (19), para chamar José Fernando, que foi com ele de carona na garupa de uma motocicleta.

“Ainda falei: meu filho, cuidado. Mas ele disse pra eu não me preocupar, pois iria terminar uma tatuagem que havia iniciado no dia anterior, e que voltaria logo”, explicou Antônia de Fátima Morais Santos, mãe do tatuador.

Ela acrescenta que depois disso recebeu a notícia de que o filho havia sido vítima de disparos de arma de fogo por volta das 21 horas de quarta-feira (19). O rapaz ainda chegou a ser levado com vida para um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 4 horas da madrugada de quinta-feira (20).

Segundo Eliomar Santos, pai de José Fernando, a pessoa que levou o filho dele de moto tem o prenome de William e trabalha em uma borracharia da cidade. Ele descreve que o homem que disparou duas vezes à queima roupa contra a vítima era alto, magro, branco e pilotava uma motocicleta modelo Bros, de cor vermelha.

Conforme ainda a família, José Fernando já havia enfrentado problemas com o vício nas drogas. Porém, o rapaz teria passado pouco mais de seis meses em um tratamento no Estado de Minas Gerais, onde conseguiu alcançar a recuperação.

O pai de José Fernando e a proprietária do bar onde a vítima estava no momento do assassinato ficaram de ser ouvidos pela Polícia Civil de Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)