segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Executado a bala e encontrado de cuecas

Rodrigo Souza Silva foi assassinado com dois tiros na cabeça. O corpo dele foi encontrado só de cuecas por volta de meia noite de sexta-feira para sábado (13), no Bairro Cidade Jardim, Parauapebas.

Segundo o delegado Thiago Carneiro, a vítima praticava algumas condutas criminosas, como roubo e tráfico de drogas, o que leva a polícia a crer tratar-se de acerto de contas, mas o caso continua sendo investigado.

Operação Sentinela
No final de semana, precisamente nas noites de quinta-feira, sexta-feira e sábado (11, 12 e 13), a Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, DMTT, Conselho Tutelar e demais órgãos voltados à defesa do cidadão, deslanchou a Operação Sentinela.

A operação resultou no fechamento de 43 bares, onze prisões de pessoas suspeitas, captura de um foragido de Justiça, apreensão de 8 automóveis e mais de 50 motocicletas com situação de documento irregular.

Fiscalização eletrônica
A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi), começou a instalar em pontos da cidade alguns radares que vão funcionar com link do Detran para auxiliar na fiscalização do trânsito de veículos na cidade.

De acordo com Hipólito Gomes, titular da Semsi, a instalação dos equipamentos do sistema ainda se encontra em andamento. Serão instalados mais de 30 radares em pontos estratégicos das ruas de Parauapebas.

Os radares vão flagrar velocidade de veículo em excesso, fotografar a placa e encaminhar para o Detran, que por sua vez emite multas ao motorista infrator. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Foragido de Goiás é preso em Parauapebas

Após trabalho minucioso de investigação e campana, a Polícia Civil prendeu na última terça-feira (9), em Parauapebas, o foragido Marcelo Alves Rodrigues, condenado por ter matado a ex-companheira dele com seis disparos de arma de fogo, em outubro de 2008, na cidade de Mara Rosa, Estado de Goiás.

De acordo com o delegado Thiago Carneiro, de Parauapebas, após matar a ex-mulher Marcelo Rodrigues foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio, e era fugitivo de duas cadeias goianas.

Em Parauapebas, Marcelo tinha alugado um lava jato, às margens da VS 10, onde trabalhava e foi preso. “Apuramos que ele é um indivíduo bastante perigoso e frio”, adiantou a autoridade policial.

O cumprimento do mandado da prisão contra Marcelo, que encontrava em aberto, ficou de ser comunicado ao Poder Judiciário e, posteriormente, o acusado será transferido para a jurisdição onde cometeu o delito. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Vereador pede melhorias para três bairros

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (9), na Câmara Municipal de Parauapebas, o vereador Antônio Chaves, Major da Mactra (PSDB), solicitou melhorias na infraestrutura do município. Os pedidos foram realizados por meio das indicações n° 147 e 148/2014.

Na primeira proposição, o parlamentar solicita a instalação de sistema de iluminação pública nas ruas dos bairros São Lucas I e Águas Lindas. “A falta de iluminação aumenta os riscos e a insegurança das pessoas que precisam transitar nos bairros durante a noite, sem contar os altos índices de violência que atingem nossa cidade. Por isso, é urgente o atendimento de iluminação para estes bairros”, justificou.

Na Indicação 148/2014, o vereador pediu ao Executivo o encascalhamento e a limpeza das ruas, bem como a implantação do sistema de distribuição de energia elétrica no Bairro Bela Vista II. “As dificuldades estruturais desse bairro são imensas. É possível encontrar acúmulo de lixo e mato, além de vias seriamente desgastadas. Não podemos esquecer que no local residem mais de 400 famílias, tornando urgente a necessidade dessas melhorias”, explicou o vereador. (Maria José Silva Monteiro)

domingo, 7 de setembro de 2014

Dois assassinatos num período de 48 horas em Parauapebas

Voltamos a noticiar mais uma vez neste blog a triste notícia de violência desenfreada no município de Parauapebas, desta vez com o registro de dois assassinatos no período de 48 horas: Davi da Silva Freitas e Waldemir Batista Daniel.

A primeira vítima deste final de semana foi Davi da Silva Freitas, executado com disparos de arma de fogo no início da madrugada da última quinta-feira (4) por dois homens numa motocicleta quando Davi chegava à residência dele, no Bairro Cidade Jardim.

A reportagem apurou junto à polícia que ao chegar em frente da casa Davi Freitas estacionou a motocicleta para entrar na residência e foi surpreendido e atingido mortalmente por dois tiros de revólver disparados por um dos desconhecidos que chegaram noutra moto.

Segundo explicou o delegado Nelson Alves Júnior, o atirador disparou duas vezes contra a vítima, sendo um tiro na testa, no momento em que Davi estacionava a moto, e outro na nuca, quando o mesmo se encontrava agonizando no chão.

A outra vítima fatal foi Waldemir Batista Daniel, 24 anos, encontrado morto na manhã de sexta-feira (5) nas imediações do Parque de Exposições Agropecuárias, onde estava ocorrendo a Feira de Agronegócios de Parauapebas (Fap).

“Ele foi morto depois de uma confusão na parte externa da Fap. Houve uma correria, ouviu-se um estampido e a vítima foi atingida na cabeça”, explica o delegado Nelson Júnior, acrescentando que Waldemir Daniel morava no Bairro Palmares Sul.

A Polícia Civil continua investigando os dois homicídios do final de semana com o intuito de colocar atrás das grades os matadores e apresentá-los à Justiça. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Presença de agentes da PF no prédio da prefeitura gera especulação

A presença de 8 agentes da Polícia Federal na manhã da última terça-feira (2) no prédio do Centro Administrativo de Parauapebas, onde ficam instalados o Gabinete do Prefeito e várias secretarias municipais, chamou a atenção da imprensa e gerou muita especulação por parte de alguns veículos de comunicação com relação às informações publicadas.

A presença dos agentes no prédio da prefeitura, especificamente na Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Comissão de Licitação, cumpria mandado de busca e apreensão de documentos fiscais expedido pelo juiz Heitor Moura Gomes, da 2ª Vara da Justiça Federal, em Marabá.

De acordo com o mandado de busca e apreensão (nº 13/2014), com data de 27 de agosto, o objetivo da ordem judicial era apreender “documentos, contratos, autos de processos de licitação, notas de empenho, planilhas, conteúdo de dispositivos de memória de armazenamento etc” que comprovem supostas irregularidades em licitação ocorrida em 2013 sobre contratação de transporte escolar de alunos da rede pública municipal de Parauapebas, ainda nos primeiros meses de governo da atual gestão.

Em entrevista coletiva concedida à imprensa, o delegado federal Antônio Carlos Cunha de Sá explicou que as denúncias foram feitas ao Ministério Público Federal pela Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Parauapebas, após veiculação de matérias pela imprensa local.

Segundo a autoridade federal, após a apreensão dos documentos, os mesmos serão analisados para saber a regularidade do processo e quem foram os responsáveis pelos encaminhamentos, e se a aplicação dos recursos ocorreu realmente como deveria ser.

“Não houve dificuldades na transição dos policiais, há não ser para encontrar alguns procedimentos, mas por conta do tamanho e da proporção dos documentos que estavam guardados”, explicou o delegado, acrescentando que o inquérito deve ser concluído em 30 dias, mas tendo em vista a complexidade dos fatos, das questões envolvidas, deve perdurar se houver necessidade.

Nota da Prefeitura
Em nota enviada à imprensa, a Prefeitura de Parauapebas esclarece que “todas as solicitações feitas pelo Ministério Público Federal referentes ao processo foram atendidas oportunamente. O governo municipal busca trabalhar de forma transparente, pautado no compromisso como recurso público, portanto, está à disposição da Justiça para quaisquer esclarecimentos referentes a esta ação judicial”. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Mais um final de semana sangrento



O final de semana em Parauapebas e Canaã dos Carajás foi marcado por sete mortes violentas, sendo três por homicídios e quatro por acidente de trânsito. Entre as vítimas, uma criança de apenas 2 anos de idade.

No início da madrugada de segunda-feira (1º), o sexagenário Arlindo de Melo Moura, 62 anos, residente no Bairro Palmares Sul, em Parauapebas, foi surpreendido com a mulher conhecida por Meire Rose que arrombou seu estabelecimento (onde ele mora também) com um pé de cabra e furtou um pacote de cigarros e cerca de 500 reais em dinheiro.

Para defender seu patrimônio e a própria vida, Arlindo Moura enfrentou a invasora, tomou a faca das mãos dela e desferiu vários golpes até levar a mulher à morte.

De acordo com o advogado Antonio Araújo de Oliveira, defensor do ancião, a mulher assassinada possuía histórico de dependência química e que seu cliente agiu em legítima defesa. “Ela partiu para cima dele com a faca e ele não teve alternativa a não ser tomar a arma dela e reagir”, justifica o causídico.

Ex-presidiário
O ex-presidiário Antonio Paulo Fernandez Pereira, conhecido por “Manga Rosa”, foi assassinado com 12 facadas. O corpo da vítima foi encontrado na manhã desta segunda-feira (1º) no trevo da Vila Sanção, na zona rural, a 70 quilômetros do centro de Parauapebas, ao lado de um capacete e um par de sandálias.

Segundo a polícia, que ainda não chegou ao autor do homicídio, o crime pode ter ocorrido em decorrência de uma discussão que a vítima tivera em um bar da localidade naquela mesma noite.

De acordo com o cabo PM Aurélio, o pai de “Manga Rosa”, identificado apenas pelo prenome Domingos, informou que o filho havia cumprido pena de mais de três anos em presídio pelo crime de homicídio.

Canaã dos Carajás
Na madrugada de segunda-feira (1º), foi encontrado o corpo de Luís Galdino da Silva a poucos quilômetros da Vila Feitosa, zona rural de Canaã dos Carajás, com dois pedaços de madeira em cima dele. A vítima havia saído de um bar na companhia de um rapaz, não identificado, em uma motocicleta.

Depois de ouvir membros da família de Luís Galdino, a Polícia Civil tomou conhecimento que ele teria algum tipo de envolvimento com uma mulher casada, o que pode ter motivado o homicídio.

De acordo com o delegado Paulo Junqueira, de Canaã dos Carajás, testemunhas informaram que não houve nenhuma discussão durante o tempo em que a vítima esteve ingerindo bebida alcoólica no bar.

Acidente na PA 160
Uma colisão frontal envolvendo um jipe Troller e um automóvel Fiat Uno provocou a morte de três pessoas e deixou um adolescente ferido. O sinistro ocorreu na madrugada de sábado (30) à altura do km 27 da Rodovia PA 160, sentido Parauapebas/Canaã dos Carajás.

As três vítimas fatais foram Elizabete da Silva de Souza, 40 anos; Lindojohnson Siqueira de Souza, 30 anos; e a criança Lara Beatriz de Sousa Ribeiro, de apenas 2 anos de idade.

Um adolescente de 15 anos, não identificado pela reportagem, sofreu fratura na perna direita e foi levado de ambulância do Corpo de Bombeiros para o hospital municipal de Parauapebas.

Acidente de moto
Eder Ricardo, 27 anos, perdeu a vida após sua motocicleta colidir com um carro na madrugada de domingo (31), em Parauapebas. “Fomos acionados durante a madrugada sobre um acidente envolvendo uma moto e um veículo. Ao chegarmos ao local, constatamos que o motoqueiro já estava morto”, explica o subtenente Elielton, do Corpo de Bombeiros. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Funcionário público vendia droga em veículo oficial

Continua preso na carceragem do Rio Verde, em Parauapebas, o funcionário público Kenison Rodrigues Pereira, conhecido por “Magrinho”, motorista contratado temporário do Serviço Autônimo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep).

Kenison Pereira foi preso em flagrante delito na noite da última quarta-feira (27) vendendo droga num veículo plotado com a logomarca da autarquia, portando uma quantidade de droga. Junto com ele foi detida a mulher Daiane dos Santos Soares.

De acordo com o que informou o cabo PM José Ricardo da Silva Costa na Delegacia de Polícia Civil, a prisão do casal foi possível graças à denúncia anônima da funcionária de um bar, denunciando que estava sendo coagida por Kenison para vender droga no estabelecimento onde ela trabalha, no Bairro da Paz.

Conforme ainda o policial militar, foram encontrados 9 pacotes para “chopp” espalhados no porta-luvas do veículo, na alavanca de marcha e embaixo do tapete. Ao todo, a polícia apreendeu 4,2 gramas de cocaína e uma pedra de crack pesando 16,9 gramas, além de R$ 50 em dinheiro. Procurado, ele não quis falar com a imprensa.

Nota do Saaep
O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) vem a público informar que o servidor temporário Kenison Rodrigues Pereira foi preso no dia 27 de agosto de 2014, utilizando veículo desta autarquia em horário fora do expediente normal de funcionamento do órgão, por ter sido com ele encontrado quantidade de substância considerada pela autoridade policial como sendo ilícita (droga).

Comunicamos também que o veículo do Saaep estava sendo utilizado indevidamente, contrariando as normativas definidas na Circular nº 002/2014, expedida pelo diretor executivo do órgão, que vincula a utilização dos veículos fora do horário de expediente à expressa autorização do diretor executivo, autorização esta que não foi concedida ao servidor, sujeitando o infrator à rescisão do contrato administrativo de trabalho mantido com esta autarquia, por força da legislação que normatiza a gestão de pessoal no município de Parauapebas.

Informamos também que diante da situação de infração à determinação contida na legislação municipal e na Circular nº 002/2014, o Saaep procedeu nesta data à rescisão do contrato administrativo temporário firmado com o referido servidor, tendo por fundamento legal o disposto na alínea “A” da cláusula décima quarta do contrato firmado entre a autarquia e o servidor faltoso. Parauapebas, 28 de agosto de 2014. Paulo G.Galdino. Diretor executivo do Saaep. (Vela Preta/Waldyr Silva)