segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Presidente da Associação de Imprensa de Parauapebas sofre tentativa de homicídio

O atual presidente da Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (Aicop), Francisco James Canário dos Santos, conhecido por Frank James, sofreu uma tentativa de homicídio neste sábado (18) nas dependências da sede da entidade, localizada na Rua Marabá, Bairro da Paz.

De acordo com as primeiras informações, era por volta das 12h10 quando um homem que estava pilotando uma motocicleta Biz de cor preta entrou na sede da Associação de Imprensa, onde também fica a sede do Jornal Tablóide, de propriedade de Frank James, e se deparou com um dos filhos do jornalista. Na oportunidade, o homem perguntou ao garoto onde o pai dele estava, e ele informou que estava na cozinha do imóvel.

Chegando lá, ainda de acordo com Frank, o elemento disse as seguintes palavras: “É você mesmo, vagabundo. Agora tu vai ver o que é bom”. O homem estava muito nervoso. Ao afirmar ao desconhecido que a polícia tinha chegado, Frank James conseguiu fugir do local, pulando o muro e caindo em cima de um telhado da casa de um dos vizinhos e se machucou com a queda.

Depois do ocorrido, imediatamente o presidente da entidade acionou a polícia e, em companhia de vários profissionais de imprensa, se deslocou para a Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, onde registrou ocorrência e pediu soluções para que o caso seja apurado.

No momento da tentativa de homicídio, além de Frank James, a esposa e mais três filhos estavam no local.

Coincidência ou crime articulado
Coincidentemente ou não, a tentativa de homicídio ocorre um dia depois de profissionais de imprensa ter impetrado uma ação popular para que se investigue a existência de supostos funcionários fantasmas encontrados na folha de pagamento da Câmara de Parauapebas, que tem como presidente o vereador e professor Josineto Feitosa (SDD). O protocolo está sob o nº 0011099-89.2014.8.14.0040. 

Cabe à polícia prender o autor da tentativa de homicídio, para que o mesmo indique o mandante de tal crime. Todos os meios de imprensa repudiam o atentado à vida de um colega de profissão e estarão cobrando das autoridades uma resposta positiva ao cerceamento da liberdade de imprensa. (Bariloche Silva)

sábado, 18 de outubro de 2014

Quatro pessoas presas acusadas de tráfico de drogas

As polícias Civil e Militar prenderam na noite da última quinta-feira (16) quatro homens (um deles menor de idade) na Rua 19, Bairro União, em Parauapebas, acusados de comercializar drogas.

Bruno Pereira Neto Santos, o “Gordo”, de 19 anos, e o menor foram enquadrados no crime de tráfico de entorpecentes. Já Joel Silva Ferreira, o “Foguinho”, 22 anos, e Murilo Sandes e Silva, de 21 anos, foram ouvidos pelo delegado de Polícia Civil, Paulo Junqueira, e até o fechamento desta matéria o procedimento contra eles ainda não havia sido concluído.

Segundo o delegado Paulo Junqueira, da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, várias denúncias haviam sido dirigidas à polícia, dando conta que “Gordo” realizava tráfico de entorpecentes em vários pontos da cidade.

Na noite de quinta-feira (16), o serviço de inteligência da Polícia Militar conseguiu achá-lo na Rua 19, Bairro União, com 38 gramas de crack, pequena quantidade de cocaína e diversos apetrechos para embalagem de entorpecentes para comercialização.

“A principio, ele está enquadrado no tráfico de drogas. Os demais, Joel e Murilo, estão sendo ouvidos, porque não foi achado nenhum tipo de drogas com eles, mas eles estavam em casa, porém deve ser apurado com bastante critério para podermos enquadrá-los no crime de associação”, detalhou Paulo Junqueira.

De acordo ainda com o delegado, o menor de idade, segundo testemunhas oculares, funcionava como “avião” do tráfico (transportador de droga) do “Gordo”. “Ele foi enquadrado no ato infracional de tráfico de drogas, registrado Boletim de Ocorrência. Como não foi feita nenhuma violência e grave ameaça, ele foi liberado”, explicou.

Paulo Junqueira contou que Joel é vizinho de “Gordo” e nega qualquer envolvimento com o mundo do crime. Assim como Murilo, Joel disse ao delegado que é trabalhador. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Pistoleiro assassina pastor evangélico com cinco tiros na cabeça

A população de Parauapebas ainda está perplexa diante do homicídio ocorrido na manhã desta quarta-feira (15), no Bairro Cidade Jardim, contra a vida do pastor evangélico Raimundo Nonato, que foi executado com cinco disparos de arma de fogo na cabeça, em frente a uma obra que ele coordenava.

A princípio, a polícia acreditou que se tratava de latrocínio (roubo seguido de morte), visto que o carro e alguns pertences do pastor haviam desaparecido. No início da tarde de quarta-feira (15), policiais encontraram o veículo da vítima em outro bairro.

O automóvel do pastor vai ser periciado para verificar a existência de eventuais digitais ou outros vestígios que possam indicar os envolvidos no crime. Testemunhas ficaram de ser ouvidas pela Polícia Civil, para dar prosseguimento às investigações, a partir das informações a serem colhidas.

“Com a localização do veiculo, partimos para homicídio, justamente por não ter havido interesse patrimonial no bem que foi, supostamente, subtraído”, explica a delegada Raissa Belebone, acrescentando que os cinco disparos na cabeça também possam levar a crer que tenha sido execução.

Até agora, a polícia sabe apenas que os autores dos disparos eram duas pessoas em uma motocicleta. Após tirarem a vida de Raimundo Nonato, um dos suspeitos saiu na moto e outro levou o carro da vítima.

A delegada Raissa afirma que o caso chega a assustar, pelo fato de Nonato ser um pastor evangélico. “Estamos acostumados com situações que envolvem usuários de drogas ou crimes passionais, que envolvam outros ilícitos”, justifica.

A reportagem tentou falar com membros e representantes da Igreja Assembleia de Deus Madureira, da qual Raimundo Nonato era membro, mas nenhum deles quis comentar sobre o fato. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Acidente envolvendo carro e moto deixa dois mortos


Um grave acidente de trânsito ocorrido por volta das 15 horas desta quarta-feira (15), no cruzamento das avenidas Buriti e F, Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas, envolvendo uma picape Saveiro (placas MWA 5192 Palmas-TO) e uma motocicleta Jonny 50, tirou a vida de Carlos Roberto Bueno Santos, 55 anos. Por volta de 19h30, morreu outra vítima do acidente, Manoel de Jesus Bezerra dos Anjos, de 25 anos, que havia sido encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao hospital municipal.

Carlos Roberto e Manoel de Jesus estavam na mesma moto envolvida no acidente, que ocorreu em uma avenida onde outros acidentes já foram registrados, segundo moradores. O motorista do Saveiro fugiu do local e dentro do carro foi encontrada uma carteira de habilitação pertencente a Ayrton Soares da Silva.

O impacto do baque entre os dois veículos foi tão grande que Carlos Roberto e Manoel de Jesus, que estava na garupa da motocicleta, foram arremessados em um muro, tendo Carlos Roberto morrido na hora.

Segundo apurou a reportagem junto a uma testemunha, o motorista da picape trafegava ema alta velocidade e com o som ligado. “Eu tinha passado por ele 10 minutos antes do acidente”, conta a testemunha, acrescentando que é moradora do bairro e que a população chegou a fazer um abaixo assinado, pedindo melhor sinalização na área, como implantação de rotatórias, semáforos e redutores de velocidade.

Outra moradora do bairro disse ter ficado horrorizada em ver um acidente tão trágico. Ela afirma que o trecho é bastante frequentado por crianças, que precisam passar pelo local quando vão à escola.

No mês passado, um adolescente de 15 anos morreu depois de ser atropelado ali, quando saia de casa para a aula, atingido por um carro quando estava na esquina. Ele ficou dois dias na UTI, mas não resistiu e veio a óbito.

Maria do Carmo, mãe do adolescente, falou com a reportagem e se mostrou muito emocionada ao ver outro acidente no mesmo lugar em que o filho dela foi atropelado. “Pedimos que alguém tome providência, porque esse local está muito perigoso. O povo está morrendo e ninguém está fazendo nada. Espero que façam alguma coisa para não ter novas vitimas”, desabafou a dona de casa. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Viatura da Polícia Civil bate noutro veículo e capota na BR 155


O motorista de uma viatura da Polícia Civil perdeu o controle do carro em uma curva, colidiu contra outro veículo, caiu num barranco e  capotou. Apesar dos estragos materiais, ninguém ficou ferido no acidente, que ocorreu por volta de 12h40 desta segunda-feira (13) à altura do km 65 da BR 155, próximo da Vila Betel, entre Eldorado do Carajás e Marabá.

Encontravam-se na viatura três policiais civis de Parauapebas e um adolescente que estava sendo encaminhado para o Centro de Internação do Adolescente Masculino (Ciam), em Marabá.

Homicídio
O menor de idade que era transferido na viatura para Marabá foi apreendido em Parauapebas na quinta-feira (9), suspeito de ter participação na morte de Ângelo Souza da Silva (foto ao lado), ocorrida na mesma madrugada, às margens do Rio Parauapebas.

Conforme depoimento do próprio menor, ele estava bebendo com alguns amigos, dentre eles um homem identificado apenas como Randerson ou “Caveira”, quando Ângelo se aproximou acompanhado de outras pessoas e começou a beber com o grupo.

Ainda segundo o adolescente, Ângelo não tinha amizade com ninguém do primeiro grupo que estava no local, mas assim mesmo começou a dar em cima de uma amiga deles e chegou a pegar nos seios da garota. “Caveira”, então, teria pegado um punhal que estava em posse do adolescente e atingido a vítima.

Em seguida, todos fugiram do local e o adolescente foi para casa, onde acabou sendo detido. O menor já possui outras passagens pela Polícia Civil, por furtos e agressão contra o próprio pai. (Vela Preta/Waldyr Silva) 

domingo, 12 de outubro de 2014

Homem é flagrado com petecas de crack

Após perceber movimentação estranha de pessoas na residência de Ednaldo Pereira Chaves Filho, localizada no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas, na madrugada de sexta-feira (10), uma guarnição da Polícia Militar fez uma busca no interior do imóvel e encontrou uma pedra de crack com 13 gramas, oito petecas da droga e a quantia de R$ 72 em espécie.

A operação de averiguação na casa do suspeito foi feita com apoio do Grupamento Tático de Operações (GTO) e Oficial Interativo, depois que a guarnição da PM percebeu um indivíduo não identificado saindo apressadamente do interior do imóvel e adentrando numa área de preservação ambiental próxima do local.

Com o flagrante, Ednaldo Filho, conhecido por “Gigolô”, foi detido pelos PMs e conduzido para a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, onde prestou depoimento e se encontra preso à disposição da Justiça.

De acordo com o Serviço de Inteligência Policial, o acusado é suspeito também de posse de arma de fogo, mas nenhuma arma foi encontrada pela polícia na casa dele. Procurado pela reportagem, “Gigolô” não quis falar com a imprensa. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Presa dupla que portava arma de fogo

Suspeitos de estarem cometendo assalto na cidade, foram presos na última sexta-feira (10) em Parauapebas, pela Polícia Militar, os sujeitos Diego da Conceição, de 19 anos, e Clemilton Batista de Souza, 23 anos, de posse de um revólver.

“Estes dois estavam aterrorizando a sociedade e fazendo graça com a cara da polícia, mas hoje a casa caiu pra eles, que tinham acabado de fazer um assalto na Rua 4 e foram capturados por nossa guarnição”, explica o sargento PM Ademilson.

Segundo ainda o policial militar, Clemilton Batista e Diego da Conceição pararam a motocicleta em um semáforo e foram mobilizados pela guarnição, que num gesto rápido desarmou Diego e prendeu a dupla, cuja moto tinha sido roubada há três dias.

Procurado pela reportagem, Diego da Conceição confessou que era dono da arma e que estava se preparando para assaltar, mas que nunca cometeu o crime antes. Por seu turno, Clemilton Batista disse que era parceiro de Diego, com quem planejava assaltar pela primeira vez. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Polícia coloca três na cadeia acusados de praticar arrombamento e receptação

Encontram-se presos à disposição da Justiça, em Parauapebas, desde a última sexta-feira (10), os indivíduos Maycom Carvalho de Souza, de 18 anos; e Geilson Costa de Lima, também de 18 anos, ambos acusados de crime de arrombamento na cidade; e a mulher Maria Domingas Lima, 45 anos, esta por crime de receptação (compra de objetos roubados).

De acordo com o tenente PM Costa, o trio foi localizado e preso após denúncia de uma vítima que disse ter a casa dela sido arrombada por uma dupla com as características de Maycom Carvalho e Geilson Costa, os quais furtaram da residência vários objetos, entre estes, botijões de gás, fogão, panelas, máquina de lavar roupa, aparelho de TV e de DVD, os quais foram recuperados pela polícia.

Procurados pela reportagem, Geilson Costa e Maycom Carvalho negaram as acusações. “Não roubei nada disto. A dona da casa está aí. Ela sabe que não fui eu”, tentou se defender Maycon, enquanto Geilson declarou que foi preso de graça. “Na noite passada eu estava andando com ele [Maycon], mas não tenho nada a ver com isso”, sustentou.

Maria Domingas admite ter comprado botijões de gás de um conhecido dela, mas não de Geilson e Maycom. “Comprei alguns botijões e troquei outros com bebidas, pois tenho um bar, mas não sabia que eram roubados”, explicou a acusada. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Informante da polícia é assassinado com cinco tiros pelas costas

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil em Parauapebas continua investigando o assassinato de Jesse Vale de Lima, 38 anos, conhecido por “Dezenove”, ocorrido na madrugada de sábado (4).

Segundo o delegado Nelson Alves Júnior, titular da especializada, Jesse Vale foi alvejado com cinco tiros pelas costas na rua principal do Bairro Paraíso, em Parauapebas.

A autoridade policial supõe que a vítima tenha sido assassinada por algum conhecido que a chamou para ir ao local onde ocorreu o homicídio. “Estamos ainda fazendo o rastreamento das ligações efetuadas no celular de Jesse, porque acreditamos que ele foi chamado para o local, já que a vítima não residia naquele bairro”, avalia o delegado Nelson Júnior.

Ainda de acordo com a polícia, ao perceber que havia caído em uma emboscada, “Dezenove” ainda tentou fugir do local em sua motocicleta, mas foi alvejado nas costas pelo pistoleiro, que após o crime escapou para rumo ignorado.

O delegado Nelson Júnior confirmou à reportagem que “Dezenove” era informante das polícias Civil e Militar em Parauapebas. “Mas não podemos ainda afirmar e nem negar se a morte tem a ver com esse trabalho que ele exercia”, pondera, revelando que a vítima já tinha se queixado de ter sido ameaçada por traficantes. (Vela Preta/Waldyr Silva)