quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Deficiente mental se suicida e rapaz é executado na 'Rua do Meio'

Raimundo Viana Costa

Helk Lima de Lima

Raimundo Viana Costa, 27 anos, solteiro, natural de João Lisboa (MA), apoderou-se de uma espingarda calibre 20 e deu cabo da própria vida, disparando contra a cabeça. O trágico acontecimento ocorreu por volta das 9h40 da última terça-feira (27), na residência dos pais da vítima, localizada no residencial Alberto Maciel, qd. 14 e lt. 15, em Parauapebas.
De acordo com boletim de ocorrência registrado na delegacia por Edivan Viana Costa, irmão da vítima, Raimundo Costa tinha pro-blemas psicológicos. Por este motivo, já tinha sido internado por algumas vezes com problema de distúrbios mentais.
Ao tomar conhecimento do suicídio do irmão, Edivan Costa disse ter se deslocado para o local, mas ao chegar à residência dos pais já encontrou o mano sem vida, caído no chão com ferimento de arma de fogo na cabeça.
HOMICÍDIO
Na madrugada desta quarta-feira (28), por volta das 4h40, o indivíduo Helk Lima de Lima, que residia na localidade “Carne de Sol”, às margens da BR 222, município de Bom Jesus do Tocantins (PA), foi assassinado na Rua Fortaleza (Rua do Meio), Pa-rauapebas, em frente a um posto de saúde, com três disparos de arma de fogo, sendo dois deles na nuca e um na mão direita.
Segundo levantou a reportagem junto à polícia, Helk Lima havia chegado a Parauapebas na última terça-feira (27) e foi executado na madrugada de ontem (quarta-feira). A vítima já teria sofrido atentado a bala na localidade “Carne de Sol”, mas escapara da morte. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Comandante diz que violência diminuiu este ano em Parauapebas

Fazendo uma comparação dos casos de violência registrados no município de Parauapebas nos anos de 2010 e 2011, o comandante do 23º Batalhão de Policia Militar na cidade, ten-cel. Roberto Coracy Silva, chega à conclusão que o patrulhamento da polícia nas ruas este ano reduziu, em alguns casos, o índice de violência no município, em especial no último quadrimestre de 2011.
O comandante atribui a esta possível redução de criminalidade a aproximação cada vez mais da Polícia Comunitária com a população de Parauapebas, a realização de programas sociais da Polícia Militar, como o projeto “Campeões do futuro”, e o policiamento ostensivo nas ruas da cidade e nas proximidades de escolas.
Segundo levantamento de Roberto Coracy, em 2010 foram registrados 12 casos de estupro, contra 11 em 2011; 44 homicídios no ano passado e 47 este ano; 65 tentativas de homicídio em 2010 e 58 em 2011; 226 furtos em 2010 e 176 este ano; 116 roubos ano passado e 149 este ano; e 389 agressões em 2010 e 421 em 2011. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Insegurança obriga PMP a remover posto de saúde da ‘Rua do Meio’


Danilo Alves Aquino
Alegando falta de segurança para profissionais de saúde e até para famílias que procuraram o posto do Programa da Saúde Familiar (PSF) Fortaleza, localizado na Rua Fortaleza nº 60, conhecida popularmente por “Rua do Meio”, na divisa dos bairros Rio Verde e Da Paz, em Parauapebas, a prefeitura reduziu o funcionamento de atendimento da repartição pública, que funcionava durante todo o dia, para o período apenas das 8 horas ao meio-dia.
Conhecida como “região da cracolândia”, a popular “Rua do Meio” é um dos mais antigos logradouros da cidade onde funcionavam vários cabarés ao longo das últimas duas décadas, mas nos últimos anos se transformou numa perigosa área onde se localizam pontos de venda de entorpecente e também onde são registrados alguns homicídios.
É comum também em plena luz do dia a presença de usurários consumindo crack e outros tipos de droga livremente nas calçadas das residências, oportunidade em que comentem assalto a pessoas que passam no local.
Na última segunda-feira (26), por volta das 17 horas, quando tentava tirar algumas fotos externas do posto de saúde da Rua Fortaleza, um repórter deste jornal quase teve a câmera fotográfica apreendida e danificada por um bando de usuários de droga, sob a alegação de que o profissional de imprensa estivesse tirando foto do grupo, que se encontrava nas proximidades do prédio público.
Foi preciso a intervenção de uma senhora que mora vizinha ao posto, que defendeu o profissional de imprensa, afirmando que ele era repórter e que estava apenas tirando foto do posto de saúde.
Em declarações prestadas à reportagem, o coordenador técnico da unidade do PSF Fortaleza, Danilo Alves Aquino, confirma que já ocorreram vários episódios de violência dentro e na frente do posto de saúde, envolvendo usuários de drogas e pacientes.
O secretário adjunto de Saúde, Afonso Mata Vidinha, procurado para falar sobre o assunto, ratificou a falta de segurança no posto de saúde da Rua Fortaleza, tanto para funcionários como para usuários de saúde.
Por questões de insegurança, o secretário adjunto revela que a prefeitura acaba de contratar um imóvel, localizado a 600 metros do local, para transferir a unidade de saúde na próxima semana de janeiro por tempo indeterminado. Enquanto isso, o PSF Fortaleza vai passar por reforma e adaptação, obras que visam proporcionar segurança para servidores públicos e famílias que precisam do posto de saúde.
Ouvido pelo Jornal, o comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar em Parauapebas, ten-cel. Roberto Coracy Silva, declarou que até o presente momento não recebeu nenhum pedido oficial da Secretaria Municipal de Saúde para reforçar o policiamento ostensivo na rua onde fica localizada a referida unidade de saúde. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Foragido de Belém é capturado em Parauapebas



Em atendimento a mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça da Comarca de Belém, a Polícia Militar recolheu ao xadrez de Parauapebas, por volta das 17h30 desta quarta-feira (28), o foragido Daniel Felipe Santana de Vilhena, que atualmente residia na Chácara do Cacau, em Parauapebas, acusado de ter praticado homicídio contra uma pessoa na capital do Estado.
De acordo com o sargento PM Mesquita, o foragido Daniel Felipe Santana de Vilhena responde pelas penas do artigo 121 do Código Penal Brasileiro, por ter assassinado há cerca de três meses um homem de prenome Jacó no Bairro da Pedreira, em Belém, com dois disparos de arma de fogo.
O foragido, que ontem se encontrava trabalhando tranquilamente no estabelecimento denominado “Espetinho de Ouro”, nas proximida-des da Câmara Municipal de Parauapebas, foi preso pela guarnição composta pelo sargento Mesquita e soldados S.Barros, Alberto e Gilberto, do Grupo Tático da Polícia Militar.
Agora recapturado, o homicida se encontra preso em Parauapebas à disposição da Justiça de Belém, que ficou de transferir Daniel Felipe para a comarca daquele município ainda esta semana. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Delegado faz acareação com acusada de matar filho após nascimento



Depois de ouvir na última sexta-feira (23) a mulher Delma Pereira de Souza (foto), acusada de ter dado a luz a um bebê e após o parto ter matado o próprio filho no projeto Salobo, o delegado Bruno Fernandes de Lima, da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, fez nesta segunda-feira (26) uma acareação entre acusada e testemunhas sobre alguns pontos conflitados do depoimento da acusada.
A autoridade policial revela que após a acareação ele tirou algumas conclusões, que diz não poder ainda divulgar à imprensa, “mas até o momento ainda não temos elementos suficientes que possam configurar a que crime a acusada deve responder”.
Segundo ainda o delegado Bruno Fernandes, após a acareação Delma Pereira de Souza foi liberada, mas deve ficar sob observação da polícia, para eventual intimação. Somente hoje, terça-feira (27), é que o delegado deve se pronunciar sobre a culpabilidade ou não da acusada.
COMO ACONTECEU
O caso em que Delma Pereira está envolvida ocorreu na última quarta-feira (21), no Projeto Salobo, município de Marabá. Segundo depoimento colhido pela polícia, a acusada se encontrava alojada num dos aposentos de uma empresa que presta serviço no projeto, quando, aproveitando a ausência de companheiras de quarto, teve dores de parto, deu a luz ao bebê do sexo masculino e matou o próprio filho, usando um alicate de maquiagem, ferindo-o à altura do pescoço.
Delma Pereira escondia a gravidez, usando cinta apertada à altura da barriga, mas as colegas de trabalhos desconfiavam do comporta-mento dela, que andava enjoando certos tipos de alimentos.
Ao ser encaminhada às pressas, sagrando muito para o hospital Yutaka Takeda, as mulheres vasculharam o quarto e, para sua surpresa, encontraram o bebê já sem vida escondido numa gaveta do guarda-roupa do alojamento. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Motos se chocam e um dos pilotos morre na hora



Ao pilotar uma moto marca Honda, modelo Titan, de placa OFK 4569 (Parauapebas), Benedito Alexandre de Pinho Filho, 21 anos, natural de Paulo Ramos (MA), que residia na Rua Santos Dumont nº 300, Bairro Nova Vida, Parauapebas, se chocou com outra mota, uma Biz 125, de cor vermelho, de placa JVU 0973 (Parauapebas), e morreu na hora.
Acidente ocorreu por volta de meio-dia e meia do último domingo (25), na Rua José Piveta, Bela Vista, Parauapebas. O motoqueiro da Biz se evadiu do local.
De acordo com o investigador de Polícia Civil Almeida, depois de ouvir testemunhas no local do acidente, a vítima conduzia a moto em alta velocidade na Rua José Piveta, quando ocorreu o acidente, ao cruzar com a outra moto.
Com o baque, Benedito Alexandre, que pilotava a moto sem uso de capacete, bateu a cabeça no meio-fio e morreu. Minutos depois do acidente, uma terceira moto se chocou com as duas motos que se encontravam no chão. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Trabalhador rural é encontrado morto numa represa na zona rural




O trabalhador rural conhecido apenas pelo prenome de José foi encontrado morto por volta das 10 horas desta segunda-feira (26), numa represa, localizada no assentamento Jardim, município de Marabá, a 60 quilômetros do centro de Parauapebas, próximo do assentamento Carimã.
A morte de José foi comunicada à polícia por Josuel Amaro Ribeiro, patrão da vítima. À reportagem, que acompanhou o resgate do trabalhador, Josuel Ribeiro contou que José saiu de casa à tarde de sábado (24), para uma festa de aniversário de uma vizinha que durou até o outro dia, e na segunda-feira (26) foi encontrado afogado na represa.
“Não tenho o nome dele completo, pois a gente só conhecia por José. Mas ele dizia que era natural de São Geraldo do Araguaia (PA). Ele não tinha nem registro de nascimento”, explica o patrão da vítima, adiantando que José trabalhava com ele há uns seis meses na roça.
Josuel Ribeiro diz acreditar que José tenha batido a cabeça contra algum objeto dentro do lago e morrido afogado. (Vela Pre-ta/Waldyr Silva)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Acidentes automobilísticos aumentam nos finais de semana




O major Luís Cláudio Farias, comandante do Corpo de Bombeiros em Parauapebas, se diz preocupado com o índice de acidentes automobilísticos que vem sendo registrado nos últimos meses na cidade, principalmente nos finais de semana, quando muita gente sai para se divertir, envolvendo bebida alcoólica com volante.
Em 2010, a unidade do CB atendeu em Parauapebas 45 chamados para combate a incêndios urbanos e 33 para incêndios florestais; 189 pedidos de salvamentos, 809 atendimentos hospitalares (acidentes) e 525 pedidos para prevenção de auxilio.
Neste ano, até semana passada, foram registrados 29 combates de incêndios urbanos e 28 florestais; 61 pedidos de salvamento, 892 atendimentos hospitalares (acidentes) e 276 pedidos para prevenção de auxilio.
O comandante alerta às pessoas para que no momento de diversão não ingiram qualquer quantidade de bebida alcoólica, caso estejam dirigindo. Nos acidentes provocados, o condutor corre risco de morte da própria vida e de terceiros, além de perder pontos na carteira de motorista ou até mesmo ficar sem o próprio documento de habilitação.
Além desses cuidados básicos de não misturar álcool com volante, Luís Cláudio orienta aos motoristas que planejam viajar nestas festas de final de ano, fazendo revisão geral em seu veículo, sem se esquecer de verificar a situação dos acessórios de segurança, como extintor de incêndio, pneu estepe, óleo do motor, cinto de segurança e outros, como também a documentação do carro e do condutor.
Ele garante que o Corpo de Bombeiros de Parauapebas vai disponibilizar 15 homens de plantão à disposição da comunidade nos finais de semana de Natal e de fim de ano, além das viaturas de resgate. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Polícia Militar reforça segurança nas ruas de Parauapebas



Visando dotar o centro comercial de Parauapebas com maior segurança na movimentação de clientes nas festas de final de ano, o comando do 23º Batalhão de Polícia Militar reforçou no município o contingente de policiais, com policiamento ostensivo nos setores comerciais mais movimentados.
De acordo com o comandante local da corporação militar, ten-cel. Roberto Coracy Silva, a PM implantou na cidade a operação “Boas festas”, com ampliação da presença de homens nos principais pontos comerciais e nas áreas bancárias de Parauapebas, em torno de 40 policiais militares, inclusive do Grupo Tático.
Com relação a outros municípios de jurisdição do 23º Batalhão de Polícia Militar, como Canaã dos Carajás, Curionópolis e Eldorado do Carajás, Roberto Coracy assegura que os centros comerciais daquelas cidades também estão recebendo reforços de segurança neste período de festas de final de ano.
O comandante aproveita a reportagem para orientar as pessoas a não facilitar com dinheiro e objetos de compra na presença de estranhos, tanto nas lojas comerciais como nas agências bancárias, buscando sempre estar acompanhadas de pessoas de confiança e a colaboração da polícia em caso de qualquer suspeita. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Mulher é acusada de matar próprio filho após o parto



O delegado de Polícia Civil, Bruno Fernandes de Lima, de Parauapebas, está investigando a morte de um bebê recém-nascido ocorrida no início da noite da última quarta-feira (21), no Projeto Salobo, município de Marabá.
Segundo depoimento da testemunha Antonio Carlos Silva de Souza, inspetor de segurança da empresa Fiel Vigilância no Projeto Salobo, residente no Bairro Bela Vista, em Parauapebas, a acusada é a mulher Delma Pereira de Souza, que até esta sexta-feira (23) se encontrava hospitalizada no hospital Yutaka Takeda, em Carajás, onde foi ouvida ontem mesmo pelo delegado Bruno Fernandes.
De acordo com o depoimento de Antonio Carlos, a acusada Delma Pereira se encontrava alojada num dos aposentos de uma empresa que presta serviço no projeto, quando no início da noite da última quarta-feira (21), aproveitando a ausência de companheiras de quarto, teve dores de parto, deu a luz a um bebê do sexo masculino e matou o próprio filho recém-nascido, usando um alicate de maquiagem, ferindo-o à altura do pescoço.
Em conversa com as colegas de quarto da acusada, o inspetor de segurança apurou que Delma Pereira escondia a gravidez, usando cinta apertada à altura da barriga, mas as mulheres desconfiavam do comportamento da colega, que andava enjoando certos tipos de alimentos.
Após o parto, Delma Pereira pediu socorro e foi encaminhada às pressas sagrando muito para o hospital Yutaka Takeda. Desconfiadas da colega, as mulheres vasculharam o quarto e, para sua surpresa, encontraram o bebê já sem vida escondido numa gaveta do guarda-roupa do alojamento.
À reportagem do CT, o delegado Bruno Fernandes de Lima informou que está investigando o caso para saber se a criança já nasceu morta ou se foi assassinada pela própria mãe. O corpo do bebê foi encaminhado ao IML em Marabá para ser examinado. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Delegado reforça segurança na carceragem do Rio Verde



Prevenindo-se de suposta ameaça de que as dezenas de detentos enjaulados na carceragem municipal do Bairro Rio Verde, em Parauapebas, estariam planejando uma fuga em massa daquele xadrez às vésperas do Natal, o delegado plantonista Bruno Fernandes de Lima, que responde interinamente pela direção da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil no município, em substituição ao delegado Antonio Miranda Neto, que se encontra de férias, contratou nesta quarta-feira (21) um serralheiro e mandou reforçar com solda elétrica todas as grades e demais estruturas em ferro da antiga carceragem municipal.
No remanejamento dos presos de justiça para o pátio externo do presídio, com apoio do Grupo Tático da Polícia Militar, para execução dos serviços de solda, de acordo com o delegado, foram verificados vários indícios de tentativa de serragem de algumas grades da carceragem.
Além dos reparos básicos nas estruturas das celas, Bruno Fernandes mandou também instalar novas grades em pontos estratégicos do prédio, com intuito de impedir a evasão de presos neste final de ano.
No momento da remoção dos presos ao pátio para execução dos serviços, foi constatado que atualmente constam 14 presos na cela nova, 49 na cela do meio e 29 detentos no calabouço, totalizado 92 presos de justiça. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Traficante de drogas na cadeia



Uma equipe de policiais civis formada pelo delegado plantonista Bruno Fernandes de Lima, investigador Marcelo e o escrivão ad hoc Edilberto, prendeu Pedro Gomes da Silva, de 26 anos, acusado de traficar drogas na praça do Bairro Altamira, em Parauapebas.
Os policiais foram ao local e montaram campana por volta das 23 horas do último domingo (18), com a intenção de flagrar o suposto traficante. Durante a operação, a polícia disse ter avistado pessoas comprando a droga com Pedro Gomes.
Ao ter certeza de que Pedro Gomes realmente estava comercializando os entorpecentes, a equipe de policiais civis cercou o rapaz e anunciou a prisão. O acusado ainda tentou se desfazer das petecas de crack, atirando-as ao chão, mas isto não foi suficiente para salvá-lo da cadeia, onde se encontra à disposição da Justiça, enquadrado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e associação ao tráfico.
ACUSADO NEGA
Indagado pela reportagem sobre o crime, Pedro Gomes disse que ninguém o pegou com drogas. “Eles (a polícia) acharam as petecas no chão e já disseram que eram minhas. Eu estava com R$ 50, mas eles já falaram que o dinheiro tinha sido apurado com o tráfico, mas a grana era minha mesmo”, disse Pedro, assegurando que é trabalhador e exerce a função de diarista. (Vinícios Nogueira/Waldyr Silva)

Belenense furta objetos de ex-patrão e é detido na rodoviária




Após fazer uma “limpeza” na residência do ex-patrão, em Parauapebas, o indivíduo Antonio Carlos Nascimento de Sousa, 22 anos, solteiro, natural de Belém (PA), residente na Rua Felicidade, Passagem Belquior nº 5, Bairro Tapanã, em Belém, pegou mala e bolsa com os objetos roubados e quando tentava embarcar para a cidade de Canaã dos Carajás foi agarrado pela polícia.
A vítima, Valdir José Pereira de Vasconcelos, 39 anos, solteiro, natural de São João do Araguaia (PA), residente na Rua Rio Branco nº 78, Bairro Beira Rio, Parauapebas, registrou no boletim de ocorrência que Antonio Carlos furtou da residência dele quatro relógios de pulso, um aparelho de note book de marca Samsung, uma estatueta do Prêmio Mérito Lojista, um aparelho de solda, uma mala, uma bolsa de viagem e várias peças de roupa.
Segundo ainda Valdir José, esta foi a segunda vez que ele foi vítima de furto por Antonio Carlos. Na primeira vez, em 9 do corrente, o acusado  furtou da residência da vítima uma lixadeira e dois aparelhos de computador.
Na manhã desta segunda-feira (19), ao sentir falta dos objetos em casa, ele saiu à procura do suspeito e o encontrou na rodoviária com as malas, quando travou luta corporal com o mesmo, com a ajuda de um motorista de van, que acionou a polícia e esta prendeu o acusado.
Na delegacia, Antonio Carlos contou que chegou a Parauapebas há três semanas, tempo em que prestava serviço como diarista para Valdir José Pereira de Vasconcelos. Alegando não ter recebido os dias trabalhados, ele disse ter resolvido furtar os objetos da residência da vítima como pagamento do serviço prestado.
De posse do material furtado, Antonio Carlos seguiu para o terminal rodoviário com a intenção de viajar com a mala cheia para Canaã dos Carajás, mas foi detido pela polícia, na manhã desta segunda-feira (19), antes de pegar o transporte. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Homem é executado a bala e golpes de faca na madrugada


A polícia continua investigando a execução do maranhense Cícero Ediekson Bandeira de Freitas, 26 anos, natural de Barra do Corda (MA), assassinado por volta das 2 horas da madrugada desta segunda-feira (19), na esquina das ruas Jardel Filho com Ari Barroso, no Bairro Bela Vista, em Parauapebas, com disparos de arma de fogo e golpes de faca pelo corpo.
De acordo com o delegado plantonista Bruno Fernandes de Lima, a princípio, a polícia trabalha na linha de investigação que possa ter levado Cícero de Freitas a ser vítima de latrocínio ou acerto de contas. Para tanto, foram ouvidas algumas pessoas que presenciaram a cena do crime, para que a polícia possa chegar às características físicas do autor ou autores do crime.
Os parentes da vítima garantem que o rapaz não tinha nenhum envolvimento com drogas ou outro tipo de crime. “Pelo menos aqui na delegacia de polícia, ele não tinha nenhuma passagem, até porque Cícero Ediekson Bandeira de Freitas tinha chegado há pouco tempo do Maranhão em Parauapebas”, explica o delegado Bruno Fernandes. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ajudante de montagem é preso acusado de assalto e tráfico de drogas


A Polícia Civil colocou atrás das grades, na noite da última terça-feira (13), em Parauapebas, o indivíduo Edinaldo Alves Melo, conhecido por “Loiro”, ajudante de montagem, residente no Bairro Primavera, em Parauapebas, acusado de praticar assalto e venda ilegal de drogas na cidade.
De acordo com o delegado Antonio Miranda Neto, o acusado já vinha sendo investigado pela polícia por tráfico de drogas e associação ao tráfico, crimes que vinham sendo praticados por ele na companhia de outros elementos, um deles conhecido pelo prenome de Samuel, ambos acusados de terem praticado assalto a uma empresa na semana passada, de onde levaram a quantia de R$ 50 mil em espécie.
A polícia levantou que Edinaldo Alves reside no Bairro Primavera, nas proximidades do Clube Tiradentes, da Polícia Militar, e que trabalha numa empresa especializada em montagem de ferragens.
Segundo ainda o delegado, “Loiro” “trabalha” como “avião” para Samuel. Além do comércio ilegal de entorpecente, o acusado, Samuel e outros comparsas aterrorizam os usuários de droga no Bairro Primavera, nas proximidades da antiga ocupação denominada Riacho Doce, chegando a incinerar pertences dos viciados que devem dinheiro de droga.
“Ele trabalha como fachada durante o dia numa empresa e à noite passa a assaltar e a vender droga”, revela a autoridade policial, acrescentando que a polícia encontrou cerca de 300 gramas de droga em poder de “Loiro”.
À reportagem, Edinaldo Alves Melo sustenta não ter nenhum envolvimento de crime com Samuel. “Trabalho como ajudante de montagem na empresa Integral e por isso não tenho tempo pra praticar nenhum tipo de crime”, defende-se. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

PM prende quadrilha especializada em falsificação de documentos



Após recebimento de telefonema anônimo da comunidade, dando conta que uma quadrilha instalada na Rua 3, esquina da Rua B, no Bairro Cidade Nova, em Parauapebas, estava planejando assaltar lojas ou bancos no núcleo urbano de Carajás, a Polícia Militar foi ao local indicado e prendeu cinco elementos.
Os acusados, que se encontram presos na carceragem municipal do Bairro Rio Verde, à disposição da Justiça, são os indivíduos Raimundo Nonato Costa Júnior, 22 anos; Maykon Vinicius Sousa Colins, 19 anos; Anderson de Castro Moura Fagundes, 25 anos; João Francisco Mota Sousa, 25 anos; e Izanilton F.B.Santos, todos residentes na Rua 3 nº 64, Bairro Cidade Nova, Parauapebas.
A prisão dos cinco homens ocorreu por volta das 2h50 da madrugada da última quinta-feira (8), no endereço citado acima.
De acordo com o sargento Pamplona, depois que a polícia tomou ciência do local onde a quadrilha se encontra, duas guarnições da Polícia Militar, integradas pelo cabo Alan e soldados Viana e F.Gledson, e pelo sargento Pamplona e soldado Nobre, se deslocaram ao endereço citado e abordaram os acusados, com quem apreenderam vários documentos falsificados, droga e carimbos.
Segundo Pamplona, durante a abordagem os acusados confessaram a prática de comercialização de entorpecente e falsificação de documentos, em especial carteira de trabalho e carteira de motorista, mas negaram a prática de assalto. O quinteto foi encaminhado à Polícia Civil, onde prestou depoimento e se encontra à disposição da Justiça.
No momento da abordagem, a polícia apreendeu 20 carteiras de trabalho “esquentadas”, oito carimbos de borracha, um aparelho de celular marca LG, uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa, em nome de Raimundo Nonato, dois papelotes de crack e R$ 32,00 em dinheiro no interior de uma porta-cédula de Maykon Vinicius. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Filho é acusado de furtar televisão da mãe para trocar por droga


Gilvani de Souza, 19 anos, residente na Rua Perpétuo Socorro nº 166, Bairro Rio Verde, em Parauapebas, foi recolhido ao xadrez no último sábado (10), sob a acusação de ter furtado um aparelho de televisão da mãe dele para trocar por droga.
À reportagem, Gilvani de Souza admitiu que é usuário de maconha, mas nega que tenha subtraído o eletrodoméstico da mãe dele para trocar por maconha. Segundo o acusado, ele precisava de R$ 30,00 “para acertar uns negócios”, e por isso pegou “emprestada” a TV e a empenhou com uma vizinha em troca do dinheiro, até dia seguinte, quando devolveria os R$ 30,00 e pegava a televisão de volta.
De acordo com a polícia, a televisão tinha sido emprestada por um amigo à mãe de Gilvani de Souza, dona Maria Madalena, que ficou aperreada com o sumiço do aparelho eletrônico.
“No dia seguinte, dei o dinheiro para minha mãe ir pegar de volta a televisão e devolver para o rapaz que tinha emprestado a TV pra ela”, tenta justificar o acusado, que, por força da lei eleitoral, foi liberado na manhã deste domingo (11). (Vela Preta/Waldyr Silva)

domingo, 11 de dezembro de 2011

Disque Denúncia já recebeu mais de 19 mil ligações este ano

Balanço parcial revela que, no período de janeiro a novembro deste ano, o sistema Disque Denúncia de Parauapebas recebeu, pelo telefone (94) 3346-2250, mais de 19 mil ligações da população.

De acordo com dados encaminhados à redação da Sucursal do CORREIO DO TOCANTINS em Parauapebas, essas quase 20 mil ligações geraram mais de 5 mil denúncias, a maioria oriunda do município, e outras em menor número das cidades vizinhas de Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás e até do município de Marabá.

Os crimes mais denunciados até agora pela comunidade são sobre excesso de barulho, violência contra mulheres e tráfico de drogas, seguidos de lesão corporal, ameaça, maus-tratos, suspeita de roubo e furto, posse ilícita de arma de fogo, roubo/furto a transeuntes e consumo de drogas.

Segundo ainda o levantamento do Disque Denúncia, durante as operacionalizações da denúncia quase duas mil delas obtiveram resultados positivos. Destes resultados, destacam-se a apreensão de nove armas de fogo, a detenção de 209 indivíduos e a retirada de grande quantidade de substâncias entorpecentes dos tipos crack e maconha (1 kg de crack e 400 g de maconha) que seriam comercializadas por traficantes de drogas na região.

Os bairros mais denunciados são, pela ordem, Rio Verde, Da Paz, Liberdade, Cidade Nova, União, Casas Populares, Guanabara, Primavera, Betânia e Novo Horizonte.

HISTÓRICO
O Disque Denúncia faz parte de um modelo já adotado em 18 países e adaptado do Canadá. No Brasil, o primeiro estado a implantar o serviço foi o Rio de Janeiro, em 1995, quando este vivia uma onda de sequestros.

Os resultados apresentados pelo sistema Disque Denúncia foram tão positivos que, assim que os sequestros foram controlados, o serviço se consolidou como uma importante ferramenta da sociedade para o combate ao crime. (Waldyr Silva)

sábado, 10 de dezembro de 2011

Traficante é preso pela PM com duas pedras de crack



Depois de vir sendo monitorado por alguns dias pela polícia, Pedro Magalhães de Souza Nascimento, 39 anos, residente na Rua Duque de Caxias nº 12, Bairro Rio Verde, Parauapebas, foi preso e autuado em flagrante delito por tráfico de drogas.
Em declarações prestadas à reportagem do CORREIO DO TOCANTINS, o delegado Antonio Miranda Neto explica que Pedro Magalhães foi preso com duas pedras de crack e encaminhado à 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, no final da tarde da última quarta-feira (7), por uma guarnição da Polícia Militar comandada pelo tenente Gledson.
Segundo ainda o delegado Antonio Miranda Neto, além do tráfico de entorpecentes, Pedro Magalhães tem várias passagens na polícia pela prática de outros tipos de delitos realizados nos últimos meses no município de Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Dupla assalta empresa que fazia pagamento a funcionários

No momento em que a empresa Multiservice fazia pagamento a seus trabalhadores, por volta das 16 horas da última quarta-feira (7), em Parauapebas, funcionários da prestadora de serviço foram surpreendidos com a ação de dois bandidos que chegaram armados e anunciaram um assalto.
Localizada na Rua 10, nas proximidades da Rua A, no Bairro Cidade Nova, em Parauapebas, a empresa passou o dia inteiro fazendo pagamento em espécie para dezenas de trabalhadores, fato que chamou a atenção dos bandidos para praticarem o assalto, que, segundo a polícia, rendeu entre R$ 40 mil e R$ 50 mil aos bandidos.
Em declarações prestadas à reportagem, o delegado Antonio Miranda Neto revela que um dos assaltantes da empresa foi identificado com o prenome de Samuel (foto), o qual está sendo procurado pela polícia e deve ser preso preventivamente para responder pelo crime que praticou.
Com relação ao assalto, o delegado Antonio Neto lamenta que empresas ainda usem a prática de fazer pagamento a trabalhadores com dinheiro em espécie, com a formação de filas do lado externo do escritório da empregadora, quando o mais correto seria por meio de agência bancária.
Procurados pela reportagem, representantes da empresa assaltada não quiseram falar sobre o assunto ao Jornal. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Assaltante tenta subornar polícia em troca de liberdade


Encontra-se preso à disposição da Justiça, desde a última quarta-feira (7), em Parauapebas, o indivíduo Luan Robert, acusado de praticar vários assaltos à mão armada e, por último, de ter tentado subornar a polícia com a oferta de R$ 2 mil, no intuito de se livrar da prisão.
De acordo com o delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, Luan Robert já vinha sendo investigado pela prática de vários crimes na cidade, entre estes o furto de um automóvel modelo Corola, preto, no mês passado, e a quantia de R$ 8 mil em espécie; além de “saidinhas de banco” e arrastões na madrugada em parada de vans.
Na hora em que foi detido pela polícia, segundo o delegado Antonio Miranda Neto, por volta das 11 horas de quarta-feira (7), na residência do acusado, no Bairro Betânia, Luan Robert ofereceu o dinheiro para a guarnição de policiais civis, composta pelos investigadores Rosivaldo e Marcelo, quando foi autuado em flagrante por crime de corrupção ativa. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Braçal é executado com três balaços



A Polícia Civil continua investigando a execução do trabalhador braçal Alexandre Silva Serra, assassinado a tiros por volta das 20 horas da última terça-feira (6) na esquina das ruas Afonso Arinos e Daniela Peres, Bairro Nova Vida, em Parauapebas.
Segundo apurou a reportagem no local do crime, Alexandre Silva circulava a pé pela Rua Afonso Arinos, quando foi seguido por dois homens. Um deles acompanhou a vítima e apontou uma arma.
O braçal ainda pediu para que o homem não atirasse nele, mas o pistoleiro não teve compaixão e disparou três vezes, um tiro no peito, um no queixo e outro próximo a um dos olhos. Após o crime, os bandidos saíram correndo.
Ferido, Alexandre ainda andou pela Rua Daniela Peres. Como a área é de declive, ele não conseguiu subir a ladeira e voltou cambaleando para a Rua Afonso Arinos, onde tombou morto. Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados, mas ao chegarem ao local do crime perceberam o óbito do ferido.
Como a polícia ainda não havia chegado ao local, os bombeiros isolaram a área ao redor do cadáver. Com a chegada do investigador Rosivaldo e do escrivão Paulo Lima, ambos da Polícia Civil, testemunhas foram indagadas em relação ao crime. Ainda na noite do crime, os policiais colheram depoimentos.
A morte de Alexandre confundiu os familiares dele, pois o rapaz era considerado uma pessoa bastante trabalhadora. Como a vítima era evangélica, a suspeita de qualquer inimizade era quase descartada, fato que mudou após a morte dele. (Vinicios Nogueira/Waldyr Silva)

Bandidos assaltam BB e promovem terror em Canaã dos Carajás







A agência do Banco do Brasil de Canaã dos Carajás foi assaltada por volta das 11h30 da última terça-feira (6) por oito assaltantes fortemente armados com armas de grosso calibre.
A quadrilha chegou ao banco num Fiat Uno prata, placa OCB 3474 (Fortaleza-CE). Quem estava nos arredores e dentro da agência foram tomados como reféns. Cerca de 50 pessoas foram obrigadas a fazer escudo humano do lado de fora para proteger a quadrilha de eventuais disparos feitos pela polícia.
Enquanto parte do bando estava no meio da Avenida Weyne Cavalcante, centro comercial, a outra estava dentro da agência, recolhendo todo o dinheiro. Os bandidos disparavam o tempo todo, deixando a agência destruída, além de uma loja de bijuterias localizada ao lado do banco. O assalto durou cerca de 20 minutos. De acordo com informações não oficiais, o bando levou cerca de R$ 2 milhões.
Informações dão conta que duas pessoas foram levadas como reféns, sendo a gerente do banco, de prenome Karina, e outro funcionário que ainda não teve seu nome revelado. O vigilante foi obrigado a tirar a roupa, ficando só de cueca. Os funcionários, ainda assustados, não quiseram gravar entrevista.
No interior da agência, um funcionário com escoriações na cabeça andava de um lado para o outro desnorteado. Na porta do banco, após o assalto, pessoas reencontravam seus familiares emocionados. A aposentada Maria Luiza, 60 anos, ia ser levada como refém pelos bandidos, mas passou mal e acabou sendo deixada na agência. Em estado de choque, a aposentada não conseguiu dar maiores detalhes sobre o momento difícil que viveu. Ela foi amparada pelo filho, que soube do assalto e foi para as proximidades do banco esperar tudo acabar, na esperança de encontrar a mãe com vida. Ela disse apenas que nasceu de novo e chorou nos braços do filho.
Populares invadiram o banco em busca de dinheiro que pudesse ter ficado para trás. No desespero, um senhor machucou um dos pés, tentando visualizar se havia notas por baixo dos caixas. Enquanto isso ocorria, os bandidos fugiam pela estrada que liga Canaã à Vila Jussara, uma estrada de chão em péssimas condições de trafegabilidade. Antes de sair da cidade, o bando ainda fez vários disparos pelas ruas de Canaã.
Depois de cerca de 20 minutos, a polícia apareceu no banco e foi vaiada pela população. A cena do crime já havia sido totalmente alterada, mas os policiais insistiam em dizer que não era para tocar em nada, para não alterar a cena.
Algumas pessoas abriram o carro em que os bandidos chegaram, encontraram um capuz de um dos meliantes e posavam para fotografias com ele. As cápsulas das balas encontradas na porta da agência também foram levadas por populares.
FUGA
Os bandidos fugiram levando os dois funcionários do banco e um veículo Pólo de um dos funcionários, carro este que estava conduzindo parte do dinheiro roubado. A cerca de 10 quilômetros de Canaã, a quadrilha liberou os reféns, atravessou o veículo em cima de uma ponte e ateou fogo nele. A polícia chegou em seguida, mas não pôde fazer muita coisa, pois precisaram esperar as chamas baixarem para seguir atrás do bando.
À reportagem, o comandante do destacamento da Polícia Militar em Canaã dos Carajás, capitão Robson, explicou que o contingente é composto por um efetivo de 18 policiais na cidade, e a demora em chegar até o local do assalto foi proposital, “para preservar a vida dos reféns que se encontravam em poder dos bandidos”.
Mesmo assim, capitão Robson assegura que a polícia ficou à distância acompanhando a movimentação dos assaltantes, até o momento da fuga. Segundo informação da polícia, após tocar fogo no veículo e libertar os reféns, os bandidos fugiram em dois carros, um deles em direção à Vila Nova Canadá e outro na direção à localidade de Sapucaia.
Na perseguição aos assaltantes, de acordo com o comandante, a polícia chegou a trocar tiros com os meliantes, mas estes conseguiram escapar do cerco em direção ao Estado do Tocantins.
Com relação aos seguidos assaltos ocorridos em várias lojas da cidade, logo após o ataque ao banco, à tarde, capitão Robson explica que não pôde fazer muita coisa para conter os assaltantes e colocá-los na cadeia, por falta de viatura, que acabara de “pregar”, e também pelo reduzindo número de policiais, em torno de quatro, uma vez que os demais se encontravam na operação de perseguição aos assaltantes do banco.
O apoio de outras guarnições policiais da região só chegou a Canaã dos Carajás em meados da tarde, por meio do Grupo Tático de Parauapebas e do COE de Marabá.
O comerciante José Faustino Santos, proprietário de um estabelecimento na cidade, lamentou a onda de violência que vem ocorrendo em Canaã dos Carajás, mas mesmo assim ele resistiu e não fechou a loja, quando várias delas foram assaltadas.
Ele lembra que no último dia 29/11 bandidos fortemente armados explodiram os dois caixas eletrônicos do posto avançado do Bradesco, em Canaã dos Carajás.
Para José Santos, o contingente policial que dá hoje segurança à população, em torno de 35 mil habitantes, é o mesmo de dez anos atrás, quando a cidade contava com apenas 6 mil habitantes.
Por sua vez, o bombeiro civil Josué Sales de Oliveira, disse que a esposa dele, Maria da Conceição Evaristo Mendes, momento antes dos assaltos às lojas teve uma motocicleta modelo Bis assaltada por bandidos, que passaram a usar o veículo nos assaltos e depois abandonaram a moto na periferia de Canaã. (Vela Preta/Waldyr Silva, com informações de Domingos Cardoso)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Lombada sem sinalização leva motoqueiro à morte



Sem perceber um quebra-molas construído há uma semana e ainda sem sinalização na Rua 16, esquina da Rua G, Bairro União, o construtor José Antonio da Silva Júnior, 43 anos, conhecido popularmente por “Veneno”, natural de Imperatriz (MA), que residia na Rua Jerusalém nº 1843, Bairro Betânia, Parauapebas, perdeu o controle da motocicleta, caiu, bateu a cabeça no meio-fio e veio a falecer no local.
O trágico acidente ocorreu por volta de 00h15 do último sábado (3). Segundo apurou a reportagem no local do acidente, na hora do baque o capacete se desprendeu da cabeça do motoqueiro.
“Veneno” era uma pessoa muito conhecida em Parauapebas, cujo velório, que ocorreu na casa de uma irmã da vítima, localizada no Bairro Maranhão, foi marcado pela presença de vários amigos, que acompanharam o corpo até o cemitério de Vila Rica.
Indignado com a perda brusca do irmão, Antonio José de Jesus Silva, o “Candiru”, disse à reportagem que no dia anterior à morte de “Veneno” houve um acidente com outro motoqueiro no mesmo local, mas sem muita gravidade para o piloto.
Segundo Antonio José, o quebra-molas foi construído pela prefeitu-ra uma semana antes, mas não foi colocada nenhuma sinaliza-ção. “Meu irmão era muito conhecido aqui em Parauapebas, aonde chegou e viveu seus últimos 20 anos de vida”, lamenta “Candiru”.
Ele assegura que os demais membros da família dele estão muito indignados com a perda do ente querido, e por isso devem entrar com uma ação na Justiça reivindicando indenização pela morte de José Antonio, “que foi vítima de armadilha instalada pela prefeitura”. (Vela Preta/Waldyr Silva)

‘Nego’ degola e decepa orelha de ‘Neguinho’ por causa de melancia



Ao tomar conhecimento que o “amigo” de prenome Samuel, conhecido por “Neguinho”, andava furtando algumas melancias de sua propriedade, na zona rural de Parauapebas, o agricultor Márcio da Silva, conhecido por “Nego”, 27 anos, natural de Bacabal (MA), afiou um facão, degolou e cortou a orelha direita de “Neguinho”.
O homicídio ocorreu na noite do último domingo (4), na vicinal de acesso ao assentamento Cachoeira Preta, distante oito quilômetros da Vila Palmares II, zona rural de Parauapebas.
Segundo apurou a reportagem, na noite do crime “Nego” e “Neguinho” bebiam juntos na vila. Ainda no bar, Márcio teria dito a Samuel que se ele soubesse quem era o ladrão que estava furtando suas melancias ele o mataria, momento em que Samuel teria confessado o crime.
Na volta para o assentamento, “Nego” se apoderou do terçado e aplicou vários golpes na garganta da vítima, degolando e retirando inclusiva a orelha direita de “Neguinho”, além de outros golpes desferidos nas costas.
O corpo da vítima foi resgatado na manhã de domingo (4) por agentes de uma funerária da cidade, com apoio dos investigadores de Polícia Civil Rosivaldo e Marcelo e o escrivão Paulo, que colheram informações no local do crime e levaram testemunhas para depor na 20ª Seccional Urbana de Parauapebas. (Waldyr Silva, com informações de Vinicios Nogueira)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Barranco soterra e mata operário em obra da prefeitura



No momento em que se encontrava trabalhando no interior de uma vala nas proximidades do mercado municipal do Bairro Rio Verde, em Parauapebas, o operário Lourenço Fontinele Albuquerque, 60 anos, empreiteiro, natural de Martinópolis (CE), que residia na Rua Sol Poente nº 403, Bairro da Paz, Parauapebas, morreu soterrado dentro do canal. O acidente com vítima fatal ocorreu por volta das 17 horas da última quinta-feira (1º).
Bastante emocionado, Kennedy Albuquerque, 21 anos, filho da vítima, contou à reportagem que o pai dele trabalhava na companhia de quatro operários na escavação do canal, quando aconteceu a tragédia, com o barranco desmoronando e caindo sobre o corpo de Lourenço Albuquerque, levando-o à morte instantânea, pois a pressão do aterro impulsionou uma alavanca de ferro, que bateu sobre a cabeça da vítima.
Lourenço Albuquerque era proprietário de uma pequena empresa de construção civil que prestava serviço para a Etec, que por sua vez é contratada direto da Prefeitura de Parauapebas.
De acordo com o sargento Alves, do Corpo de Bombeiros, uma guarnição da corporação militar foi chamada ao local, onde os bombeiros tentaram reanimar o operário, mas ele não reagiu, pois já se encontrava morto. “Constatamos que no momento do desmoronamento do barranco a vítima se encontrava trabalhando com uma alavanca, que pressionou a cabeça do trabalhador, causando traumatismo craniano encefálico”, explica o sargento do Corpo de Bombeiros.
Procurado pela reportagem, o engenheiro Roginaldo Rocha, servidor da prefeitura, explicou que o pessoal da Secretaria Municipal de Obras já havia alertado sobre os cuidados que os operários deveriam ter com relação a possível desmoronamento de barranco, mas, infelizmente, “por excesso de confiança do empreiteiro Lourenço Fontinele Albuquerque, um profissional bastante habilidoso, aconteceu a fatalidade”.
O engenheiro acrescenta que no momento do acidente havia outros trabalhadores no interior da vala, mas eles conseguiram escapar com vida. Roginaldo Rocha assegura que a prefeitura está dando total apoio à família da vítima. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Oficial de Justiça se passa por advogado para visitar preso

O oficial de Justiça Segisnando Pinto de Araújo Filho, recém-concursado e lotado na Justiça do Trabalho em Parauapebas, foi denunciado na última quinta-feira (01) de se passar por advogado para visitar um preso na carceragem municipal do Bairro Rio Verde.
De acordo com depoimento à Polícia Civil da servidora pública estadual Nilcélia de Sousa e Silva, agente prisional da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), Segisnando Filho chegou à carceragem se apresentando e assinando o livro de presença como advogado de defesa do preso de justiça José Cosmo de Oliveira.
Autorizada a entrada à cadeia pública, o suposto advogado, que apresentou carteira da OAB do Ceará, conversou por cerca de 15 minutos com o detento, afirmando a José Cosmo que trabalhava para um advogado do mesmo nome dele, Segisnando, e apresentou um documento para o preso assinar.
Desconfiada da ação do visitante, a agente prisional disse que entrou em contato com uma amiga sua, advogada, e pediu que esta fizesse uma pesquisa na Subseção da OAB em Parauapebas para saber se Segisnando Filho era mesmo advogado. Na pesquisa, foi constatado que Segisnando é advogado no Estado do Ceará, mas não é regularizado no Pará, e teria passado em recente concurso público na Justiça do Trabalho.
No dia seguinte, ainda de acordo com Nilcélia de Sousa, Segisnando Filho retornou à carceragem, desta vez, acompanhado da mãe e de uma irmã do detento, com o qual manteve nova entrevista.
Neste ínterim, a agente prisional da Susipe telefonou para o presidente da Seccional da OAB local, advogado Ademir Donizete Fernandes, que imediatamente, em companhia do advogado Dácio Antonio Gonçalves Cunha, se deslocou até a cadeia e pública, onde presenciou Segisnando em entrevista com o detento. Indagado pelo presidente da OAB local, Segisnando revelou que era oficial de justiça na Vara de Trabalho de Parauapebas.
De posse desta informação, Ademir Fernandes entrou imediatamente em contato com o delegado Antonio Miranda Neto, que ao chegar à carceragem não encontrou mais Segisnando Filho no local.
À reportagem, delegado Miranda Neto informou que o acusado deve responder por crime de falsidade ideológica, cujo processo está sendo investigado por uma equipe de Polícia Civil. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Foragido troca tiro com PM e leva pior




Três dias depois de empreender fuga com mais três companheiros de cela da cadeia pública de Eldorado do Carajás, Antonio Araújo Chagas, 30 anos, foi flagrado na madrugada da última quinta-feira (01) assaltando um estabelecimento comercial naquela cidade (O Boticário).
Comunicada sobre o assalto, uma guarnição da Polícia Militar, formada pelo sargento Erivaldo e cabos Severo e Osmar, chegou ao local e deu ordem de prisão ao indivíduo, que reagiu e disparou com uma pistola tipo garrucha contra os policiais, mas foi alvejado e morreu no local.
A guarnição da PM encontrou em poder do assaltante uma arma de fogo tipo garrucha, quatro cartuchos calibre 36, duas folhas de cheque do Banco da Amazônia (Basa), uma do Banco do Brasil e outra do Banco Real; uma faca de mesa, uma câmera digital marca Samsung, uma porta máquina digital e 30 reais em dinheiro.
FUGA
Antonio Araújo Chagas fugiu da cadeia pública de Eldorado do Carajás na última segunda-feira (28) em companhia dos companheiros de cela José Odílio Bonfim de Souza, 19 anos, assaltante; Manoel da Conceição Fonseca Pereira, 45 anos, estuprador; e Augusto Correia, 52 anos, estuprador.
Para escapar da cadeia, os quatros presos serraram três grades, a primeira delas da própria cela onde os detentos se encontravam presos, a segunda que dá acesso à área de sol e a terceira grade a que protege o teto da área, por onde escaparam, usando redes para a formação de uma escada. (Vela Preta/Waldyr Silva)