terça-feira, 31 de julho de 2012

Homem troca terreno por 950 gramas de maconha e vai em cana




Encontra-se preso na carceragem municipal do Rio Verde, em Parauapebas, à disposição da Justiça, o indivíduo Rone Moura da Silva, 23 anos, depois de ser flagrado por volta de 00h40 do último sábado (28) com dois pacotes contendo 950 gramas de maconha prensada e solta.
Segundo informou o soldado Cacilio, do Grupo Tático da Polícia Militar, a polícia chegou até o traficante por meio de uma denúncia anônima, dando conta que na invasão Nova Vitória havia um homem com aproximadamente um quilo de maconha. De posse das informações, uma guarnição do Grupo Tático da PM foi até o local descrito e flagrou Rone Moura com a droga.
Ouvido pela reportagem, Rone Moura da Silva informou que mora na invasão conhecida por Nova Vitória, às margens da estrada de acesso à ferrovia, sentido Vila Palmares Sul. Sobre a maconha, disse ter adquirida de um homem que não quis ou não soube informar o nome, na troca de um lote urbano. Segundo Rone, o entorpecente era para consumo próprio, “pois eu não sou traficante”. Só que a polícia não acreditou nessa história. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Acidente entre automóvel e caminhão deixa um morto




Uma violenta batida entre um automóvel modelo Celta (placa JWA 1045-Parauapebas) e um caminhão Mercedes Benz 1113 (placa HQG 6170-Redenção), trucado, provocou a morte de um dos passageiros do carro menor e levou para o hospital outro carona e o motorista do Celta. O acidente ocorreu por volta das 5h30 da madrugada de domingo (29), na rodovia PA 160, próximo do viaduto, perímetro urbano de Parauapebas.
A vítima fatal é Francisco Xavier Lima e as outras duas pessoas que escaparam com vida e foram encaminhadas ao hospital são o passageiro Marcigênio da Silva e motorista do Celta José Chagas Filho. O caminhão era conduzido pelo motorista Jonas de Oliveira, que saiu ileso do acidente.
De acordo com relato do agente Pires, do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), que fez o levantamento de praxe no local do desastre, o automóvel Celta transitava na contramão e colidiu contra o caminhão, cujo motorista ainda tentou evitar o acidente, deixando marcas dos pneus na pista. Segundo ainda o agente de trânsito, o condutor do Celta, José Chagas Filho, apresentava sinais de embriaguez.
No relato do motorista do caminhão, Jonas de Oliveira, ao agente de trânsito, ele disse que trafegava normalmente na rodovia quando de repente surgiu o Celta na frente dele, na contramão, ocasionando o abalroamento dos dois veículos. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Homicida foragido de Tucuruí é preso em Parauapebas


Cumprindo ordens da Justiça da Comarca de Tucuruí, a Polícia Militar prendeu e apresentou à Polícia Civil, por volta das 14h40 desta segunda-feira (30), no Bairro Vila Rica, em Parauapebas, o homicida Valdir de Queiroz Ferreira, 32 anos, acusado de, há quatro anos, ter cometido a golpes de faca o assassinato dos irmãos Deusdeth e Mazinho na cidade de Tucuruí, sudeste do Pará. A polícia chegou até o acusado por meio de denúncia anônima.
Em declarações prestadas à reportagem, o sargento PM Mesquita, do Grupo Tático da PM, explica que as duas vítimas tinham pa-rentesco com o matador Valdir de Queiroz Ferreira. O policial acrescenta que a Polícia Civil vai proceder a transferência do preso para Tucuruí, município onde ocorreu o duplo homicídio.
À reportagem, Valdir Ferreira contou que os irmãos Mazinho e Deusdeth eram meio irmãos da mãe dele, portanto, tios dele, e foram assassinados porque as vítimas perturbavam muita a mãe de Valdir, chegando a espancá-la. Mas diz estar arrependido. (Vela Preta-Waldyr Silva)

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Programa Desaparecidos


José da Graça Everton, nascido no dia 15 de agosto de 1971, está sendo procurado por sua família, residente no município de Arari (MA). filho de Benedito Raimundo Figueiredo e de Raimunda Marcimiana Everton.
O rapaz desapareceu em 1989, quando informou que iria trabalhar em uma fazenda de propriedade de um homem conhecido apenas como “Chico Lopes”, no município de Açailandia (MA).
Segundo informações, em outro momento ele partiu para trabalhar em Paragominas (PA), também pertencente a “Chico Lopes”.
Outras informações que foram levantadas pela família davam conta que hoje ele estaria no município de São Félix do Xingu (PA). Quem tiver informações sobre o seu paradeiro pode entrar em contato com o Disque Denúncia Parauapebas (3346 2250).

sábado, 28 de julho de 2012

Polícia prende no MA homicida que cometeu crime em Parauapebas



Em atendimento a mandado de prisão preventiva decretado no dia 13 deste mês pelo juiz Líbio Araujo Moura, titular da 3ª Vara Penal de Parauapebas, a Polícia Civil do Estado do Maranhão recolheu ao xadrez do município de Santa Inês (MA), semana passada, o então foragido Abraão Eduardo Ferreira Filho, 30 anos, conhecido por “Neguinho”, natural de Santa Inês, acusado de cometer crime de homicídio em Parauapebas no dia 28 de outubro de 2010.
De acordo com o delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, Abraão Eduardo Filho executou Inácio José Araújo de Oliveira, na época com 32 anos, a pauladas no quintal da casa onde a vítima morava.
O corpo de Inácio José foi encontrado pela polícia com uma estaca cravada na nuca, perfurações no corpo, todo ensanguentado, tendo ao lado recipientes com sinais de que o sangue da vítima tenha sido colhido para ser ingerido, conforme interpretação da polícia, num ritual diabólico.
Foram encontrados no local do crime dois vasilhames contendo san-gue, gargalo de garrafa de vidro na “boca” dos recipientes, folha de papel, caixas de fósforos e um coco verde com marcas de sangue.
A polícia de Parauapebas ficou de montar uma diligência para recambiar Abraão Eduardo Filho do município de Santa Inês para a comarca onde ele cometeu o crime de homicídio contra a vida de Inácio José Oliveira. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Inscrições para concurso público da PM encerram segunda-feira



Encerra nesta segunda-feira (30) o período de inscrição para o concurso público da Polícia Militar no Estado do Pará. O certame oferece mais de 2,1 mil vagas para níveis médio e superior, com remuneração mensal de até R$ 4.083,69, para os cursos de Formação de Soldados, de Adaptação de Oficiais e de Formação de Oficiais.
As inscrições podem ser realizadas por meio do endereço eletrônico http://paginas.uepa.br/concursos. A taxa de inscrição custa R$ 60,00 (Curso Formação de Soldado), R$ 120,00 (Curso Adaptação de Oficial) e R$ 80,00 (Curso Formação de Oficiais). O concurso está sendo organizado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa).
No total, serão duas mil vagas para o Curso Formação de Soldados, das quais 1.800 são para o sexo masculino e 200 para o sexo femi-nino; 120 vagas para o Curso de Formação de Oficiais, sendo 108 para candidatos do sexo masculino e 12 para o sexo feminino; e 60 para Curso de Adaptação de Oficiais, sendo 52 vagas destinadas ao cargo de 2º Tenente de Quadro de Oficiais de Saúde e 8 vagas destinadas ao cargo de 2º Tenente do Quadro Complementar.
As provas escritas estão marcadas para o dia 19 de agosto. Depois, vêm os exames médicos e psicológicos, e, por último, o exame de educação física. Os candidatos selecionados nestas etapas vão cur-sar durante determinado tempo em escola preparatória da PM. A previsão é que a partir de junho do ano que vem os alunos apro-vados no Curso de Formação de Soldados comecem a trabalhar nos quartéis de Belém, Santarém, Marabá e Altamira.
Durante o Curso de Formação de Soldados, a remuneração será de R$ 622,00. Ao término dos cursos, o soldado já formado receberá mensalmente R$ R$ 2.052,60, acrescido dos benefícios que abran-gem a classe. Para os Cursos de Adaptação de Oficiais e de Forma-ção de Oficial, o rendimento será de R$ 4.083,69, mais benefícios da classe.
Além da exigência da escolaridade mínima, o candidato deverá ter idade mínima de 18 anos e máxima de 27, não haver sido condena-do criminalmente por sentença judicial e altura mínima entre 1,60 m (sexo feminino) e 1,65 m (sexo masculino), entre outras condições.
PARAUAPEBAS
Das vagas oferecidas para Marabá, o subcomandante do 23º Bata-lhão da Polícia Militar em Parauapebas, major Benedito Sabbá, espe-ra que pelo menos 100 praças sejam lotados em seu quartel, que abrange os municípios de Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldora-do do Carajás e Parauapebas.
“Nosso contingente policial em Parauapebas já se torna muito pe-queno para atender à demanda da população do município, que cresce assustadoramente. Com os novos soldados, vamos melhorar o policiamento ostensivo da cidade, seja montado em animal, em veículo ou mesmo a pé, oferecendo uma sensação de segurança à comunidade”, almeja o oficial.
No último concurso público da PM, em 2008, as 50 vagas ofertadas para Parauapebas não foram preenchidas, por falta de candidatos, ou mesmo por estes não serem classificados nas provas e testes.
“Aproveito para convocar os jovens desta cidade, que tenham al-gum interesse de seguir uma carreira militar, que aproveitem o concurso público e se inscrevam. Garanto que ao ingressar na Polícia Militar o candidato tem a possibilidade de ter um emprego por toda sua vida, desde que seja um policial exemplar, que cumpra com seus deveres e obrigações”, conclama o major Sabbá, ressaltando que a PM não contrata soldados, mas prepara-os. (Waldyr Silva)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Justiça absolve um dos acusados da morte de sindicalista garimpeiro




Depois da votação secreta dos membros do corpo de jurados, no placar de 4 a 3, a juíza Sara Augusta Pereira de Oliveira declarou absolvido o réu João Batista de Sousa, conhecido por “Joãozinho da Parabólica”, figurante no processo como um dos mandantes do assassinato do sindicalista garimpeiro Antonio Clênio Cunha Lemos, crime ocorrido em 16 de novembro de 2002, em Curionópolis.
A sessão do júri foi realizada nesta quarta-feira (25), no período das 9h30 às 16h30, no auditório da Câmara Municipal de Curionópolis.
Atuaram como defensores do réu os advogados Wandergleisson Fernandes Silva e Arnaldo Ramos de Barros Júnior, e como repre-sentante do Ministério Público o promotor Hélio Rubens Pinho Pereira.
Na sentença de absolvição, a magistrada diz que “o douto conselho de sentença reconheceu em favor do réu que não há provas de ter este concorrido para a infração penal”.
PRISÃO
Ex-assessor do ex-prefeito Sebastião Curió, “Joãozinho da Para-bólica” foi preso mo dia 25 de novembro do ano passado em Curionópolis e se encontrava recolhido no Crrama, apesar de o assassinato de Antonio Clênio ter ocorrido em 16 de novembro de 2002.
Ao ouvir o veredito da juíza Sara Augusta, João Batista se ajoelhou, chorou e ergueu as mãos para cima, agradecendo a Deus pela sua liberdade. A empolgação foi tanta, abraçando os parentes e amigos e sendo abraçado, que a polícia percebeu que Joãozinho estava do lado de fora do prédio, quando foi reconduzido para a sessão do júri, que ainda não havia encerrada.
Do lado de fora do prédio do Legislativo, onde ocorria o julga-mento, algumas pessoas amigas ostentavam faixas pedindo a absolvição de “Joãozinho da Parabólica”, que nesta quinta-feira (26) terá expedido o alvará de soltura.
Como o espaço da Câmara Municipal é exíguo, a Polícia Militar teve que controlar a entrada de pessoas para assistir à sessão, permitindo o acesso com quantidade limitada de pessoas, no tempo de apenas 10 minutos.
À reportagem. “Joãozinho da Parabólica” declarou que espertava pela libertação, pois sempre confiou em Deus e na justiça dos homens, “pois não cometi nenhum crime”. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Juiz expede mandado de prisão preventiva contra matador de colega

Wagner Feio dos Santos

O juiz Everaldo Pantoja e Silva, plantonista da 4ª Vara Cível da Comarca de Parauapebas, expediu na última sexta-feira (20) mandado de prisão preventiva contra Wagner Feio dos Santos, acusado de assassinar, no dia 24 de junho último, o colega de trabalho Manoel Sardo Neto, 41 anos, natural de Afuá (PA), no alojamento da empresa em que ambos trabalhavam.
No despacho do magistrado, a autoridade judicial ordena que as autoridades policiais localizem, prendam e recolham à cadeia publica de Parauapebas o acusado Wagner Feio dos Santos, que se encontra foragido, atendendo à decretação de sua prisão preventiva, por ter praticado delito do artigo 121 (homicídio), parágrafo 2º e inciso II do Código Penal Brasileiro (CPB).
O CRIME
O crime de homicídio contra a vida de Manoel Sardo Neto ocorreu por volta das 5 horas da madrugada do dia 24 de junho, no alojamento da empresa UTC Engenharia, localizado nas proximidades do Bairro Casas Populares II, em Parauapebas, depois de uma bebedeira entre a vítima e o acusado.
Consta no BO que, depois de uma discussão entre os dois amigos, Wagner teria desferido uma pedrada no rosto da vítima, mas os ânimos aparentemente se acalmaram. Minutos depois, Manoel e Wagner, embriagados,  saem do bar e seguem caminhando em direção ao alojamento da empresa, onde ocorreu o crime, com arma branca. (Waldyr Silva)

terça-feira, 24 de julho de 2012

Dois homens presos acusados de tráfico de droga

Adenilson Nerry Ferreira e Hugo Júnior dos Santos Silva

Depois de observar um adolescente de 16 anos de idade em atitudes suspeitas, na frente do prédio de uma igreja evangélica, no Bairro Liberdade, por volta de 00h30 da madrugada desta segunda-feira (23), uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo sargento Wanderlan e soldados Alves e P.Silva, abordou o jovem e o flagrou consumindo droga e portando uma faca na cintura.
Interrogado pelos policiais, o adolescente confessou que havia adquirido a droga dos elementos Adenilson Nerry Ferreira, 27 anos, natural de Viseu (PA), e Hugo Júnior dos Santos Silva, 26 anos, natural de Eunápolis (BA), que se encontravam naquelas proximidades. Procurados, com apoio do adolescente, os dois sujeitos foram localizados e detidos pela guarnição, que os conduziu para depor na Delegacia de Polícia.
Na abordagem, os PMs encontraram em poder de Adenilson Nerry, conhecido por “Gordo”, um revólver calibre 38 da marca Rossi, cheio de balas, e a importância de R$ 236 em espécie e mais R$ 200 com Hugo Júnior, que é conhecido por “Huguinho” e “Gaguinho”.
No trajeto para a delegacia, segundo declaração de sargento Wanderlan, a dupla tentou subornar a guarnição, perguntando quanto os policiais queriam para liberá-los, piorando a situação dos dois, que a polícia acha serem traficantes de droga.
Em depoimento, “Gordo” informou que havia comprado o revólver há duas semanas pelo preço de R$ 300 das mãos de um colono da região de Novo Brasil, município de Marabá. Com relação ao dinheiro encontrado com ele, “Gaguinho” respondeu que o mesmo foi adquiri por meio de trabalho de ajudante de pedreiro numa obra localizada no Bairro Cidade Jardim.
Por sua vez, “Gaguinho” respondeu que a importância em dinheiro encontrada em poder dele foi fruto de saque de FGTS que ele tinha direito por ter trabalhado numa empresa da cidade. Ambos negam ser traficantes de droga. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Paz volta à cidade com patrulhões realizados por órgãos de segurança



Com a realização de duas patrulhas no último final de semana pelas polícias Civil e Militar e outros órgãos de segurança pública, a paz voltou a reinar em Parauapebas, sem o registro de nenhum crime de homicídio.
Os patrulhões voltaram a ser realizados nos finais de semana em virtude do alto índice de criminalidade que vinha ocorrendo na cidade, contabilizando 15 assassinatos em apenas 21 dias.
Num balanço feito pelo delegado Antonio Miranda Neto à reportagem nesta segunda-feira (23), ele diz que as blitze efetivadas nas noites de sexta e sábado deste final se semana em bares e casas noturnas de Parauapebas fecharam cinco estabelecimentos que vendiam bebida alcoólica para menor de idade, apreenderam um automóvel e duas motocicletas com documentação irregular, e algumas detenções de pessoas embriagadas.
“O mais importante deste trabalho dos órgãos de segurança pública é que no final de semana não foi registrado nenhum caso de morte violenta”, comemora o delegado, adicionando que as blitze e os patrulhões vão continuar sendo desencadeados tanto na cidade como em vilas da zona rural do município.
Segundo ainda Antonio Miranda, os patrulhões noturnos fazem parte de um cronograma de ações determinado pela cúpula das polícias Civil e Militar em Belém, com o objetivo de cumprimento de mandados, apreensão de armas e de drogas, e fazer com que o cidadão de bem se sinta seguro na cidade com a família. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Criança de 4 anos morre afogada no Rio Parauapebas




Num descuido do pai, que se encontrava lavando um carro no Rio Parauapebas, enquanto duas crianças tomavam banho na beira do rio, a menina Kaemilly Rebeca Rocha dos Santos, de 4 anos de idade, desapareceu nas águas do rio e morreu afogada. A morte da garotinha ocorreu por volta das 14 horas da última sexta-feira (20) na margem oposta do balneário City Park Club, em Parauapebas.
Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi chamada ao local tão logo tomou conhecimento do desaparecimento da menina, mas o corpo da pequena vítima só foi encontrado no final da tarde daquele dia, próximo do local de onde ela se afogara.
À reportagem, o soldado BM Braga, do Corpo de Bombeiros, explicou que o corpo de Kaemilly Rebeca foi localizado a uma profundidade de 5 a 6 metros, preso numas pedras.
O bombeiro disse ter lamentado não encontrar a criança viva, e orienta aos pais que quando levar crianças para tomar banho em rio coloquem coletes salva-vidas nos filhos e nunca os deixem sozinhos, longe da visão de pessoas adultas. (Waldyr Silva)

sábado, 21 de julho de 2012

Ladrão apanha de populares no centro comercial de Parauapebas




Depois de ser flagrado furtando numa residência nas proximidades do centro comercial do Bairro Rio Verde, em Parauapebas, por volta de meio-dia da última sexta-feira (20), um homem com idade acima de 20 anos levou uma tremenda peia de populares que se aproximavam do local.
Segundo apurou o blog no local do episódio, o ladrão acabara de arrombar uma residência localizada na Rua Tiradentes, próximo da Rua do Comércio, e furtar cerca de 500 reais.
Na hora da taca, com violentos socos e pontapés, o larápio pedia pelo amor de Deus que não fizessem aquilo com ele, pois sofria de asma, mas os agressores não atenderam ao apelo. A surra foi tão violenta que o rapaz desmaiou e ficou caído ao chão, sendo depois levado ao hospital municipal por uma viatura do Corpo de Bombeiros e depois à delegacia para prestar depoimento.
Segundo comentários no local da agressão, uma mulher, que sabia que o ladrão tinha furtado dinheiro na residência, meteu a mão no bolso do rapaz e furtou todo dinheiro que se encontrava em poder do indivíduo.
Uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo sargento Dias e cabo Santana, foi chamada ao local e impediu que os populares linchasse até a morte o ladrão azarento. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Nos últimos 21 dias, quinze pessoas foram assassinadas em Parauapebas




No período de 29 de junho até a última quinta-feira (19), quinze pessoas foram executadas com golpes de arma branca e disparo de arma de fogo no município de Parauapebas. No dia 29 de junho, fo-ram assassinados Jardson Pinheiro Souza, no Bairro Casas Populares I, e Francisco Sousa, no Bairro Cidade Jardim, enquanto no dia 30 de junho a vítima foi Jhonata da Silva, na Vila Palmares I.
No dia 2 de julho, foi vítima de homicídio Sérgio Jerônimo da Silva, no Bairro Primavera; dia 5 do corrente, Francisco, no Bairro da Paz; dia 8, Diogo de Jesus Montelo, no Bairro Liberdade; dia 12, as víti-mas de assassinatos foram Bruno Leite da Silva e Renan Pinheiro Ramos, ambos no Bairro Rio Verde; dia 14, Antonio da Conceição, na região conhecida por “Pé Inchado”; dia 15, foi a vez de Jailson Gomes da Silva, o “Lorinho”, ser executado; dia 16, a vítima de mor-te violenta foi Carlos Chaves do Amaral, conhecido por “Beterraba”, no Bairro Rio Verde; dia 17, um homem identificado apenas por “Velhinho”, na Vaquejada Chico Oliveira, zona rural; dia 18, Genival Costa e Silva, no Bairro Nova Vida. Por último, na última quinta-feira (19), foram executados Daniel Monte Silva, no Bairro Nova Vida, e um agricultor identificado apenas pelo prenome de Leandro, na zona rural (veja matéria nesta edição).
Diante deste alto índice de violência\no município, a reportagem procurou o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Benedito Sabbá, e o diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, delegado Antonio Miranda, para falar sobre o assunto.
Na avaliação do subcomandante da PM, mesmo com este alto índice de criminalidade na cidade, no período de janeiro a junho deste ano foram registrados 176 homicídios nos município de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás e região de Marabá, contra 202 no mesmo período do ano passado.
Com relação às mortes ocorridas até o dia 19 deste mês de julho em Parauapebas, major Sabbá admite que o índice de violência está muito alto, mas, segundo o oficial, a maioria das vítimas era formada por pessoas criminosas, envolvidas por tráfico de droga e outros tipos de crime.
O subcomandante garante que a Polícia Militar, em parceria com a Polícia Civil, está trabalhando para baixar o índice de violência na região, fazendo policiamento ostensivo nos bairros das cidades e investigando os crimes cometidos.
Para o delegado Antonio Miranda, a motivação que levou à ocor-rência de tantos crimes nos últimos dias é excesso de bebida al-coólica, acerto de conta com tráfico de droga e o efetivo policial reduzido para atender uma cidade com aproximadamente 200 mil habitantes.
Perguntado por que dos autores dos 15 homicídios só um se en-contra preso e os demais foragidos, a autoridade policial respondeu que 50% desses assassinos já foram identificados e devem ser presos a qualquer hora.
Provocado pela pauta da reportagem, Antonio Miranda Neto anunciou que nas noites de ontem (sexta-feira) e de hoje (sábado), a partir das 23 horas, as polícias Militar e Civil estariam deslanchando blitze em bares e casas noturnas de Parauapebas, com o objetivo de fazer com que a paz volte a reinar na cidade. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Dois homens são executados na cidade a na zona rural

Daniel Monte Silva

Leandro
Parauapebas volta a ser palco de mais dois homicídios. Desta vez, as vítimas fatais são Daniel Monte Silva, que foi assassinado com golpes de faca no peito e em uma das pernas por volta das 19h40 da última quinta-feira (19), no Bairro Nova Vida; e o produtor rural identificado apenas pelo prenome de Leandro, 26 anos, com disparo de arma de fogo e golpes no pescoço por volta das 11 horas da manhã, também na quinta-feira, nas proximidades da Vila Valentim Serra, a 40 quilômetros do centro de Parauapebas.
Conforme apurou a reportagem junto à polícia, Leandro havia poucos dias que estava trabalhando de juquira numa propriedade da Vila Valentim Serra, e por isso as informações sobre sua identidade são poucas, pois ele não tinha sequer documentos pessoais.
Em declarações prestadas à polícia, o produtor rural Raimundo de Araújo, 68 anos, informou que Leandro havia trabalhado por uma semana para ele, mas Raimundo não conhecia bem o rapaz, e por isso desconhece os motivos da morte do colono.
Com relação à vítima Daniel Monte Silva, este estava ingerindo bebida alcoólica em bar localizada no Bairro Nova Vida. Depois de uma discussão, sem motivo esclarecido, a vítima foi esfaqueada e morta no local por um desconhecido, que se encontra foragido. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Procurado pela polícia

Homem é assassinado a tiros por causa de droga





Encontra-se preso em Parauapebas desde esta quarta-feira (18), à disposição da Justiça, acusado de praticar homicídio contra a vida de Genival Costa e Silva, o indivíduo Cleber Souza Silva. O crime ocorreu por volta das 3 horas da madrugada de ontem (18), na Rua São Francisco, Bairro Bela Vista, Parauapebas.
À reportagem, Cleber Souza Silva, 28 anos, natural de São João da Baliza (RR), explicou que estava bebendo e consumindo droga com a vítima e outros amigos, quando houve uma discussão entre eles por causa de droga, momento em que Cleber Silva teria levado um tapa de Genival Costa, que insistia em querer consumir mais droga, mas não havia mais entorpecente com eles.
“Depois disso, peguei a arma de um amigo e disparei contra ele duas vezes”, revela Cleber Silva, adicionando que após o crime jogou o revólver dentro de uma rede e deixou o local, sendo preso minutos depois num ponto de mototáxi por uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo sargento Dias e cabo Santana.
A polícia está à procura de um segundo elemento, Lucas Rodrigues dos Santos, acusado de ter emprestado o revólver para Cleber Silva detonar a vida de Genival Costa e Silva.
OUTRO HOMICÍDIO
Por volta das 19h30 da última terça-feira (17), outra morte com arma de fogo foi registrada em Parauapebas, desta feita contra a vida de um homem conhecido até agora apenas pelo apelido de “Velhinho”, nas instalações do Parque de Vaquejada Chico Oliveira, no km 12 da rodovia PA 160, sentido Canaã dos Carajás.
Segundo depoimento de Daiany Pereira Jacobins, 19 anos, “Velhinho” foi assassinado pelo marido dela, Silvandel Carneiro Soares, tratador de cavalos, com dois disparos de espingarda, depois de uma discussão entre a vítima e um amigo de prenome Raimundo. Depois do crime, Silvandel Soares se evadiu do local sem dizer para a companheira dele para onde ia. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Pistoleiro executa travesti com três tiros na cabeça




Mais um crime de pistolagem foi registrado na via pública, desta vez tendo como vítima fatal o travesti Carlos Chaves do Amaral, 26 anos, conhecido popularmente por “Beterraba”, natural de Tauá (CE). O homicídio aconteceu por volta das 23h30 da última segunda-feira (16), na Avenida Brasil, nas proximidades da Rua Sol Poente, Bairro Rio Verde, Parauapebas.
De acordo com o que apurou a reportagem junto ao delegado plantonista Bruno Fernandes Lima, “Beterraba” foi trucidado por dois homens que chegaram numa moto, conversaram com a vítima e em seguida um dos desconhecidos puxou uma arma da cintura e fez os três disparos na cabeça do travesti, que morreu ali mesmo, antes mesmo de ser atendido.
Segundo ainda a polícia, “Beterraba” era velho freguês da cadeia de Parauapebas, por se envolver com o tráfico e consumo de droga e pequenos furtos praticados contra pessoas indefesas na cidade.
No momento em que foi assassinada, a vítima usava um vestido cur-to na cor preta, com detalhe de “x” nas costas, calcinha, pulseiras nos dois braços e sandálias de dedo. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Concluída primeira etapa de reforma da carceragem municipal



Representantes das polícias Civil e Militar, do Ministério Público, da OAB, da Susipe e do Poder Judiciário participaram, na manhã desta quarta-feira (18), de uma cerimônia simples de inauguração da re-forma e ampliação das instalações da carceragem municipal do Rio Verde, em Parauapebas.
As obras de reforma e ampliação da carceragem constam de reforço na laje das três celas, troca da cobertura (telhado), reforma de todas as grades, construção de quatro banheiros e reforma de outros dois existentes; construção de calçada externa, troca total das instalações elétricas e hidráulicas, além de pintura completa do estabelecimento.
Os serviços de reforma da repartição pública atendem a um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) lavrado no dia 29 de maio deste ano pelo Ministério Público Estadual e firmado com o Governo do Es-tado.
A cerimônia simples contou com as presenças do juiz Líbio Araujo Moura, titular da 3ª Vara Pela; promotores de Justiça João Batista de Araújo Cavaleiro Júnior e Bruna Rebeca Paiva de Morais; delegado Antonio Miranda Neto, agente prisional Zaqueu Costa e Silva, co-ordenador carcerário da Susipe em Parauapebas; advogado Gildásio Teixeira, representante da Subseção da OAB no município, entre outras autoridades.
Na oportunidade, o promotor João Batista Júnior destacou que a partir de agora os 80 presos de justiça vão contar com instalações novas da carceragem, situação que proporciona aos detentos mais dignidade. Ele lembrou que o Governo do Estado deve começar ainda este ano a construção de um novo presídio em Parauapebas, às margens da rodovia PA 160, sentido Canaã dos Carajás, com a oferta de 300 vagas.
Por sua vez, o juiz Líbio Moura ordenou que os presidiários, que foram colocados sentados na área externa do prédio para ouvir os pronunciamentos das autoridades, zelassem pelo patrimônio público que acabavam de receber, sob pena de serem responsabilizados por eventuais danos físicos que causarem. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 17 de julho de 2012

Rapaz é assassinado a tiros no meio da rua com revólver na cintura



Jailson Gomes da Silva, 22 anos, natural de Jacundá (PA), conhe-cido por “Lorinho”, que residia em Parauapebas, foi vítima de homicídio por volta das 5 horas da tarde do último domingo (15), no Bairro Bela Vista, com dois disparos de arma de fogo abaixo da orelha direita.
No momento em que “Lorinho” foi executado, ele se encontrava em movimento pilotando uma motocicleta, portava na cintura da bermuda um revólver carregado de balas e uma pequena trouxa de crack em um dos bolsos.
Dezenas de pessoas curiosas se aglomeraram no local do crime para ver de perto se conhecia a vítima fuzilada, dando muito trabalho para a polícia delimitar a área e fazer os primeiros levantamentos sobre o homicídio.
DISPUTA DE PONTO
De acordo com o que apurou a reportagem junto à polícia, a execução de Jailson “Lorinho” pode ter ligação com disputa de pontos de venda de drogas em Parauapebas, uma vez que a vítima, ainda segundo a polícia, seria “avião” (distribuidor de droga) de fornecedores de entorpecente em bairro da cidade, especialmente crack.
No inicio da noite de sábado (14), três suspeitos de serem integrantes de grupos antagônicos distribuidores de crack se enfrentaram a bala, na Rua Sol Poente, divisa dos Bairros da Paz e Rio Verde, saindo dois do tiroteio com ferimentos a bala.
Em depoimento à polícia, no hospital municipal de Parauapebas, Itamar Gomes Cândido (33 anos, motorista, natural de Portel-PA e residente na Rua Dom Pedro I, Bairro Rio Verde, Parauapebas), declarou que atirou contra Jonathan pensando que este fosse Jailson “Lorinho”, que teria lhe marcado de morte.
No tiroteio de sábado, Leandro Reis Monteiro e Jonathan da Silva Barbosa foram baleados, mas continuam vivos. No domingo. Jailson “Lorinho” foi alvejado e morto.
OUTRO HOMICÍDIO
Por volta das 15 horas de sábado (14), na área conhecida por “Pé Inchado”, Bairro Maranhão, em Parauapebas, Antonio da Concei-ção, 40 anos, natural de Bom Jardim (MA), foi alvejado com três tiros à queima-roupa, segundo Leonardo Moreira da Silva, tio da vítima, desferidos por um policial militar.
Conforme explicou o tio de Antonio da Conceição à reportagem, ele tomara conhecimento que houve uma briga entre um grupo de alcoólatras moradores de rua. A polícia foi chamada para apartar os brigões, mas na hora do chega pra lá a vítima se rebarbara e agrediu com um pedaço de madeira um dos policiais, que se defendeu, disparando três tiros contra Antonio da Conceição, que morreu ali mesmo no local. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 14 de julho de 2012

Rapazes são executados a bala por condutores de moto

Bruno Leite da Silva

Renan Pinheiro Ramos

Na noite de quarta para quinta-feira (12), mais dois homicídios foram registrados em Parauapebas, ambos no Bairro Rio Verde, em locais e horários deferentes, com disparo de arma de fogo.
As vítimas são os jovens Renan Pinheiro Ramos, 24 anos de idade, natural de Caratupera (MA), executado por volta de 0h40 com disparos de arma de fogo na Avenida Brasil, em frente a uma distribuidora de bebidas, nas proximidades do mercado municipal do Rio Verde; e Bruno Leite da Silva, 23 anos, assassinado por volta de 1h40 na Rua Marechal Rondon, Bairro Rio Verde.
Informações colhidas na delegacia dão conta que Renan Ramos estava bebendo e assistindo ao jogo de Coritiba e Palmeiras com amigos na noite de quarta-feira (11) numa residência localizada às proximidades do local do crime. Ao sair para comprar mais cerveja na distribuidora, Renan fora abordado na frente do estabelecimento por dois homens que chegaram numa moto, momento em que o sujeito da garupa fez os disparos.
A execução de Bruno Leite foi parecida com a de Renan Ramos. Segundo a polícia, Bruno andava sozinho a pé pela Rua Marechal Rondon, quando apareceram dois homens numa moto e um deles disparou a arma contra o rapaz.
Em declarações prestadas à reportagem, o delegado Antonio Miranda Neto se disse intrigado com o registro de duas execuções numa mesma noite, em circunstâncias semelhantes. “Estamos investigando para saber se os dois homicídios têm ligação entre si”, informou o delegado, garantindo que os pistoleiros serão localizados e punidos pela Justiça. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Polícia flagra desmonte de motos no Bairro da Paz




Depois de receber denúncia de uma das vítimas, uma guarnição da Polícia Militar comandada pelo sargento Wanderlan, com apoio do Grupo Tático da PM, flagrou na tarde desta sexta-feira (13) uma ofi-cina mecânica de moto que servia de fachada para desmontar veículos supostamente roubados.
A oficina, localizada na Rua Afonso Arinos, esquina com Rua Mara-bá, Bairro da Paz, Parauapebas, é de propriedade do mecânico Dickci Júnior Cavalere, 42 anos.
A denúncia foi feita à polícia por Jailton Delfino Ferreira, 21 anos, conhecido por “Olho Bonito”, residente na Rua São João Batista, Bairro da Paz. Segundo Jailton, ele teve a moto dele furtada no dia 4 deste mês, de marca Honda e modelo CG 150. Na última quarta-feira (11), Júnior Cavalere, dono da oficina, ligou para Jailton e disse que havia comprado uma moto com pneu furado por R$ 400 parecida com a dele.
De acordo ainda com Jailton, ele garantiu ao mecânico que daria os mesmos 400 reais para reaver a moto, mas quando chegou na ofi-cina o veiculo estava todo desmontado, e ai ele acionou a polícia, que foi ao local, flagrou o desmonte de outras cinco motos e prendeu Dickci Júnior Cavalere, que se encontra à disposição da Justiça.
Em declarações prestadas à reportagem, o delegado plantonista Bruno Fernandes Lima admite que o índice de furto de motos em Parauapebas é muito alto, mas a polícia vem localizando os locais de desmonte e colocando os criminosos na cadeia. Os acusados respondem pelas penas atribuídas pelo artigo 180, parágrafo I, por receptação qualificada.
Procurado pela reportagem para se defender ou assumir as acusa-ções de receptação e desmonte de motos em sua oficina, Dickci Júnior Cavalere preferiu não se pronunciar. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Piauiense é acusado de traficar drogas


Encontra-se preso na carceragem municipal do Rio Verde, em Pa-rauapebas, acusado de praticar tráfico de drogas, Eilton Ferreira da Silva, 33 anos, conhecido por “Bracinho”, natural de Rio Grande do Piauí (PI), residente na Rua 4, Bairro Primavera, Parauapebas.
A prisão de Eilton “Bracinho” aconteceu por volta das 13h30 do último sábado (7), após a detenção de um menor de idade portando duas petecas e três trouxas de crack, um aparelho celular marca Mobile e R$ 200 em notas de 10 e 20 reais.
Na abordagem, o adolescente informou à polícia que acabara de rece-ber o entorpecente para consumo próprio das mãos de “Bracinho”, por ter guardado para este as trouxas de crack. Quanto ao dinheiro, disse que havia recebido de um suposto traficante de prenome Sa-muel para passar para Eilton “Bracinho”.
A polícia apreendeu ainda em poder de Eilton Ferreira um aparelho celular marca Motorola e mais R$ 180,00 em espécie. O acusado ne-ga todas as acusações, afirmando que não conhece o adolescente e nem tampouco o suposto traficante de prenome Samuel. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Ocupantes da fazenda Itacaiúnas entram em acordo com gerente




Integrantes do movimento social que invadiram a fazenda Itacaiúnas, em Marabá, e representante da empresa dona das terras entraram em acordo na manhã desta terça-feira (10). O diálogo foi intermediado pelo delegado Victor Leal, titular da Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca), no sudeste paraense.
Cerca de 150 manifestantes permanecem acampados na entrada, sem, no entanto, impedir o ir e vir de pessoas no local. Os manifestantes se comprometeram com o delegado Victor Leal a não avançar para a sede da fazenda, fato presenciado pelo gerente da propriedade.
O secretário adjunto de Gestão Operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), coronel da Polícia Militar Mário Solano, ficou de ir a Marabá, a fim de avaliar pessoalmente a situação. Se for o caso, a Polícia Militar poderá tomar outras medidas para a resolução do ocorrido, da melhor maneira possível e em conformidade com as exigências legais.
O acordo começou a se desenhar quando uma equipe de policiais da Deca esteve na fazenda para averiguar a denúncia – feita por funcionários do Grupo Agropecuário Santa Bárbara, dono da fazenda –, sobre possível cárcere privado. As vítimas seriam os funcionários da propriedade, enquanto os autores do suposto crime seriam clientes da reforma agrária que ali estariam ocupando a propriedade rural.
Segundo o delegado Victor Leal, os integrantes do movimento social já estão instalados nas proximidades da fazenda Itacaiúnas há cerca de dois anos. Eles afirmaram que o embargo dos Títulos da Dívida Agrária (TDAs) por parte do jurídico da empresa os motivou a manter a ocupação na porteira da propriedade.
A liderança do acampamento, que tem como bandeira a Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri), afirma que a ocupação é pacífica. O objetivo seria chamar a atenção do Poder Judiciário para agilizar o processo que está em trâmite.
“Segundo representantes do movimento social, a porteira da fazenda estava fechada por medida de segurança e por controle dos próprios integrantes da reforma agrária. Diante da situação especificada, foi deliberada a possibilidade da porteira a partir daquele momento manter-se aberta, o que foi consentido pelo movimento social que ali está instalado”, conta o delegado.
Ainda segundo Victor Leal, o gerente da fazenda cedeu, conforme contaram os ocupantes, um gado para ser abatido e alimentar a população pleiteante. Após a conversa preliminar com os ocupantes da fazenda, policiais civis se deslocaram até a sede da propriedade rural para conversar com o gerente da fazenda e demais funcionários.
No local, o gerente afirmou que, apesar de não ter ocorrido nenhum fato preocupante, cometido pelos acampados, ele estava receoso com a situação deles. Além disso, os funcionários estavam temerosos em continuar as atividades de rotina. Os policiais informaram ao gerente que a partir daquele momento a porteira da fazenda Itacaiúnas permaneceria aberta para o livre trânsito, e que os funcionários poderiam voltar às funções.
O gerente da fazenda foi convidado a ir até o local da ocupação para conversar com os acampados, que se comprometeram a deixar a porteira da fazenda aberta durante o dia e fechada durante a noite, por motivo de segurança.
“Posteriormente, houve o compromisso da liderança da ocupação em não progredir mais para o interior da fazenda, até que a decisão da Justiça Federal seja divulgada. Ao final, houve a concordância de ambas as partes, permanecendo efetivo o processo de continuidade de pacificação do campo pela polícia especializada”, concluiu o delegado Victor Leal. (Fonte: Polícia Civil)


Centro de Formação de Praças do CB tem novo comandante



O Centro de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Pra-ças “Major Henrique Rubim” (CFAE) recebeu seu novo comandante na manhã de quarta-feira (11), em ato marcado por uma solenidade militar presidida pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Pará (CBMPA), com a presença de vários oficiais da corporação.
O evento iniciou com a chegada do comandante geral do CBMPA, coronel QOBM João Hilberto Sousa de Figueiredo, que na ocasião recebeu a tropa formada pelo efetivo do CFAE e por alunos do Curso de Formação de Sargentos combatentes e condutores e operadores de viaturas, apresentada pelo subcomandante do centro de ensino, capitão QOBM Diniz.
A sequência da solenidade se deu com a leitura dos atos oficiais do comandante substituído e do substituto, como portaria de exonera-ção e de nomeação dos comandantes, respectivamente; despedidas do comandante que estava deixando o comando e a leitura do cur-rículo do novo comandante do CFAE.
O ten-cel. BM Hayman, comandante substituído do CFAE, proferiu algumas palavras de despedidas, antes do ato de transmissão do cargo. “Iniciei minha carreira neste centro de formação, em 2003, e no ano de 2012 assumi o comando do CFAE. Agradeço a oportunidade em contribuir na formação de alunos soldados, cabos, sargentos, que recebem a especialização no centro de formação ‘Major Henrique Rubim’”, e reiterou com a frase: “Desejo sucesso ao novo comandante, pois a corporação necessita do CFAE, porque é o sustentáculo da nossa instituição, devido atuar na formação dos militares. Meu muito obrigado”, disse o comandante substituído.
O momento marcante da solenidade foi o ato de transmissão do cargo do comando do CFAE do ten-cel. BM Hayman para o maj. BM Edivaldo, na presença da bandeira nacional, conduzida pelo tenente BM Campos, sob a presidência do comandante geral do CBMPA.
Após a transmissão do cargo, os comandantes substituído e substi-tuto apresentaram-se ao comandante geral do Corpo de Bombeiros, que na sequência fez uso da palavra.
“Desejo ao novo comandante do CFAE, major BM Edivaldo, um bom trabalho, e que consiga melhorar a motivação dos alunos, para contribuir no processo de conhecimento. É também necessário que faça adaptações nas grades curriculares para oferecer uma boa estru-tura às gerações futuras. Agradeço também pelo trabalho realizado pelo ten-cel. BM Hayman, e desejo sucesso na nova missão”, decla-rou o comandante geral. (SD BM Damasceno; fotos: subtenente BM Cardoso)

terça-feira, 10 de julho de 2012

Homem é assassinado com golpes de faca no Bairro Liberdade


Até o fechamento desta matéria, a Polícia Civil ainda não tinha ele-mentos suficientes para desvendar o assassinato de Diogo de Jesus Montelo, 23 anos, natural de Redenção (PA), que residia na Rua Rogério Cardoso, Bairro Liberdade II, Parauapebas. O homicídio ocorreu por volta das 5 horas da madrugada do último domingo (8), no final da Rua Boa Esperança, Bairro Liberdade, Parauapebas.
Em declarações prestadas à equipe de reportagem, o delegado plantonista Bruno Fernandes Lima informou que a polícia vem encontrando dificuldades em desvendar o crime, em virtude da falta de testemunhas oculares que eventualmente tenham informações que possam ajudar a polícia a elucidar o homicídio.
Outra dificuldade apontada pelo delegado Bruno Fernandes é a falta de familiares da vítima, que até o final da tarde de ontem (9) não havia aparecido ninguém na delegacia para prestar alguma informação sobre Diogo de Jesus.
“Precisamos saber alguma coisa sobre o passado da vítima, se ela tinha algum envolvimento com droga, se tinha inimigos ou se envolvera em alguma discussão”, enfatiza a autoridade policial. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Motorista bate na traseira de moto e mata piloto





Uma violenta batida de um Gol na traseira de uma moto levou o piloto à morte no local do acidente, ocorrido por volta das 14h40 do último domingo (8) na rodovia PA 160, próximo da entrada para o Bairro dos Minérios, em Parauapebas.
O automóvel Gol (placa JVE 3261-Parauapebas) era conduzido pelo motorista Celso Magalhães, enquanto que a moto atropelada, sem placa, estava sendo pilotada pelo soldador Joaquim Antonio dos Santos (51 anos, natural de Vitória-BA, que residia na Rua Argen-tina, Bairro Vila Rica, Parauapebas), que morreu na hora, antes mesmo de ser socorrido.
De acordo com Jaime Mendes dos Santos, irmão de Joaquim Antonio, os dois transitam em veículos diferentes pela rodovia PA 160, com Jaime um pouco atrás da vítima, quando de repete percebeu a violenta batida do Gol na traseira da moto do irmão, fazendo com que Joaquim Antonio, que geralmente andava sem capacete, voasse e batesse com a cabeça no para-brisa do automóvel e depois ao chão.
No final da tarde de domingo, por volta das 18 horas, o automóvel atropelador foi misteriosamente incendiado ainda no local do acidente.
Procurado pela reportagem, na delegacia de polícia, Celso Magalhães informou que transitava normalmente pela pista central da rodovia, sentido Casas Populares/Bairro dos Minérios, quando inesperada-mente o piloto da moto saiu da pista lateral para a central, na frente do Gol, e este bateu na traseira da moto. “Ainda tentei evitar o acidente, mas não consegui”, justifica Celso Magalhães.
Segundo informou o delegado Antonio Miranda Neto, o motorista do Gol atropelador foi autuado por crime de homicídio doloso (com intenção de matar) por trafegar embriagado, ficando à disposição da Justiça. Quanto ao incêndio do automóvel, Antonio Miranda adiantou que a família da vítima vai responder no próprio inquérito policial por danos ao patrimônio alheio. (Vela Preta/Waldyr Silva)