quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Preso em Tucuruí foragido de Justiça do Mato Grosso


Policiais civis prenderam no início da manhã desta quarta-feira (28), em Tucuruí, Josemar Martins de Jesus (foto), conhecido co-mo “Vampirão”. Foragido da Justiça de Mato Grosso, ele é acusado da autoria de assassinatos em Água Boa, interior daquele estado. Josemar estava com mandado de prisão preventiva decretado pela Comarca Judiciária de Água Boa.
De acordo com o delegado Silvio Maués, diretor de Polícia do Inte-rior no Pará, a prisão do acusado resultou de investigações reali-zadas na região do Assentamento Bom Jesus 3, próximo a Tucuruí, durante a operação “Tuerê”, que resultou na captura dos irmãos Lindonjonson Silva Rocha e José Rodrigues Moreira, indiciados pelas mortes dos extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo Silva.
No curso da operação, as equipes envolvidas no trabalho investiga-tivo identificaram na região Josemar Martins de Jesus que, segundo informações apuradas, era foragido de Mato Grosso apontado como envolvido nos assassinatos de PMs. Os policiais tomaram conhecimento, durante a operação, que Josemar era bandido temido na região do projeto de assentamento. Em função disso, a Polícia Civil passou a acompanhar os passos do acusado na região, aguardando momento mais oportuno para abordá-lo. Até que, em determinado momento, ele saiu da área de assentamento e se deslocou até a cidade de Tucuruí.
Os policiais civis passaram a segui-lo no município até o momento da abordagem, na manhã desta quarta-feira, logo após ele sair da sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Tucuruí, na Avenida 7 de Setembro, Centro.
Segundo o delegado Carlos Magalhães Gomes, titular da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, os investigadores Acácio e Ricardo Rosário foram responsáveis em fazer campana para prender o acusado, que foi conduzido para a Seccional Urbana de Tucuruí para tomar ciência do mandado de prisão. Agora, Josemar está recolhido em Tucuruí à disposição da Justiça. (Ascom Polícia Civil)

Morte de mulher incendiada continua em mistério





A polícia continua investigando as causas da morte da mulher Maria de Jesus Ferreira Rodrigues, que por volta das 4 horas da madruga-da da última terça-feira (27), numa quitinete localizada na Rua Clara Nunes nº 246, Bairro da Paz, em Parauapebas, foi carbonizada num quarto localizado nos fundos da residência, depois que o imóvel foi incendiado.
De acordo com o que apurou a reportagem, a polícia trabalha com duas linhas de investigação: a primeira dá conta que a vítima chegou embriagada em seus aposentos, acendeu um cigarro e adormeceu, provocando o sinistro; já na segunda hipótese, a polícia levantou o nome de Dário Barbosa da Silva como sendo o autor da execução da mulher e tocado fogo na casa.
Segundo o delegado Antonio Miranda Neto, o indivíduo Dário Bar-bosa da Silva passou a noite ingerindo bebida alcoólica com Maria de Jesus Ferreira Rodrigues, que seria mulher de programa, retornou para a residência da vítima em companhia desta, e, por algum desentendimento, teria executado a mulher e ateado fogo no barraco de tábua, na intenção de não deixar pista.
Só que a polícia localizou sinais de sangue pelo chão, em pedaços de panos e noutros locais da residência, cujas evidências serão examinadas pelo Instituto de Medicina Legal (IML), para então a polícia saber se realmente o principal acusado, que deixou a cidade após o sinistro, é culpado ou não.
Procurado pelo CORREIO DO TOCANTINS, o sargento BM Oli-veira, do Corpo de Bombeiros, explicou que até então a corporação ainda não tinha levantado as causas do incêndio do imóvel, que culminou com a morte da mulher.
Sargento Oliveira explica que foi preciso a guarnição do Corpo de Bombeiros responsável pela operação rescaldo pedir ajuda de água num carro-pipa à empresa Clean, uma vez que a viatura dos bombeiros só tem capacidade para 2.500 litros de água. O apoio de ajuda foi imprescindível para evitar que o incêndio se propagasse para as casas vizinhas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Polícia apreende cerca de 25 mil mídias piratas de CD e DVD


Uma equipe da Polícia Civil, comandada pelo delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, apreendeu na manhã da última terça-feira (27) cerca de 25 mil mídias de CD e DVD piratas na Rua E, nas proximidades das agências bancárias do Bradesco e Banco do Brasil, Bairro Cidade Nova, e também no Bairro da Paz, próximo da agência do Bradesco.
Segundo o delegado de polícia, a apreensão das mídias piratas des-ta semana foi a maior já realizada individualmente nos últimos meses em Parauapebas, cujo tipo de crime vem diminuindo na cidade.
Ouvida pelo delegado Antonio Miranda, a reportagem tomou conhe-cimento que, a exemplo de outras ocasiões, o material apreendido será periciado e posteriormente incinerado em data ainda a ser marcada, tão logo a Justiça autorize este ato.
Indagado por que a cada operação deste tipo em Parauapebas é apreendido o maior número de produtos pirateados, tornando-se um ato comum na cidade, a autoridade policial respondeu que crimes deste tipo nunca vão acabar, até porque o papel da polícia é reprimir a criminalidade, reduzindo a ação dos acusados. (Vela Preta/Wal-dyr Silva)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Moradores voltam a protestar por falta de melhorias para bairro






Um grupo de moradores do complexo que integra os bairros Guanabara, Caetanópolis, Bela Vista e Morada Nova, em Parauapebas, voltou a interditar, no início da manhã desta segunda-feira (26), as ruas Bom Jardim e VS 10, em protesto quanto à falta de infraestrutura básica naqueles logradouros.
Para bloquear as duas ruas, os manifestantes colocaram no meio da rua pneus velhos, pedaços de madeira e outros materiais inflamáveis e tocaram fogo, impedindo a passagem de veículo e até de pedestres no local.
Os moradores reivindicam parada de ônibus coberta, saneamento básico, ruas asfaltadas, energia elétrica, água tratada e outros benefícios básicos.
Ouvido pela reportagem, o professor Afonso Gilberto (Rua Ari Barroso, Bairro Caetanópolis) disse que a população desses bairros vem penando há vários anos com a falta de infraestrutura nas ruas, e a prefeitura não está nem aí com as reivindicações da comunidade. Ele observa que a cada dia que passa a situação de calamidade vai se agravando mais ainda naquele complexo de bairros.
Para o motorista de van que explora o serviço público de transporte de passageiros, Lindomar de Moura, “por causa da falta de proteção de chuva e sol nos pontos de parada de van os passageiros entram no coletivo bastante estressados, suados e com o juízo pegando fogo, discutindo com todo mundo dentro da van”.
No final de semana, os usuários de van colocaram num ponto de parada na avenida Bom Jardim, Bairro Caetanópolis, uma placa com os seguintes dizeres: “O prefeito promove parada gay, mais (sic) não promove parada de van”. Sobre esta iniciativa, Lindomar de Moura opina que um ato desses é bastante vergonhoso para os administradores do município que arrecadam um montão de dinheiro por mês e não fazem as benfeitorias necessárias.
Procurado pela reportagem, o morador Paulo Almeida, conhecido por “Grande”, admitiu ter participado do grupo de pessoas que afixou a placa reivindicando parada de van, “porque o prefeito não está cuidando da cidade, e por isso estamos com essa manifestação pra ver se chega alguém por aqui e dê uma satisfação pra gente”.
SEMOB
Na Secretaria Municipal de Obras (Semob), a reportagem foi informada por Orlando Menezes, secretário adjunto, que a prefeitura vai construir vários pontos de ônibus ainda neste verão, com novo modelo. Sobre o asfalto solicitado pela comunidade, o secretário informou que a Semob já iniciou os serviços no Bairro Bela Vista e no próximo mês nos inicia nos bairros Caetanópolis, Nova Vida e Liberdade II.
Indagado sobre a manifestação desta manhã, Orlando Menezes disse que encaminhou uma equipe técnica para conversar com os manifestantes e assegurar que os serviços de terraplanagem e asfaltamento vão ser iniciados no mês de outubro. A respeito da faixa pedindo parada de van, o secretário adjunto respondeu que não tinha nada a declarar. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 24 de setembro de 2011

Prefeito de Canaã é acusado de agredir cinegrafista e o próprio vice

Itamar Francisco da Silva
 
Idelson Gomes da Silva

Anuar Alves da Silva

O vice-prefeito de Canaã dos Carajás, médico Itamar Francisco da Silva; o cinegrafista Idelson Gomes da Silva, de Rio Maria; e os operadores de vídeo Renato Medeiros e Talles Negro Monte, ambos do Estado do Tocantins, registraram queixa na delegacia de Polícia Civil, dando conta que eles foram agredidos física e moralmente pelo prefeito de Canaã, Anuar Alves da Silva.
Em declarações prestadas à imprensa, Idelson Gomes, que é proprietário da revista Expressão Pará, com sede em Rio Maria, e de uma produtora de filmagem e edição de imagens, informou que foi contratado pelo vice-prefeito Itamar Francisco para produzir um documentário sobre algumas obras públicas do município, como escolas, postos de saúde, asfaltamento, entre outras, que teriam sido executadas com suposta irregularidade, quando, por volta de 9h30 desta sexta-feira (23), no Centro de Convivência de Idosos, foi agredido fisicamente, junto com o vice-prefeito e os demais operadores da equipe, pelo prefeito do município.
Segundo o cinegrafista, ele foi atacado por trás pelo acusado, que chegou a derrubar a câmera de filmagem, sofrendo escoriações em uma das mãos e pequenos arranhões em um dos braços. Neste instante, de acordo com Idelson Gomes, o vice-prefeito conseguiu se apoderar do equipamento e escapar da fúria do prefeito, fugindo do local, mas foi perseguido por um segurança do prefeito.
“Na confusão, um segurança do prefeito puxou uma arma de fogo e aí ficamos todos desesperados”, revela o cinegrafista, adicionando que tentou convencer o prefeito de que estava ali executando um serviço que tinha sido contratado pelo vice-prefeito.
Por sua vez, o vice-prefeito conta que, no momento em que saiu da confusão com a câmera de Idelson nas mãos, o prefeito Anuar Alves teria ordenado que o segurança conhecido por “Subtenente” corresse atrás dele e resgatasse o equipamento com as imagens gravadas.
“O policial chegou a apontar na minha direção uma pistola, ameaçando disparar, quando então pedi pra ele não fazer aquilo, e aí ele guardou a arma e saiu na carreira me perseguindo por uns três quarteirões, dizendo que só queria a fita da filmadora, e fui socorrido por um amigo, Antony Caetano Ferreira, que me levou até minha casa”, conta, ainda aflito, o vice-prefeito.
A reportagem tentou entrar em contato com o prefeito Anuar Alves, por meio de sua assessoria, mas nenhum dos números de celular completou a ligação. (Sandra Bispo/Waldyr Silva)

Mulher desequilibrada ataca delegacia de polícia pela segunda vez




Mostrando-se possuir desequilíbrio em suas faculdades mentais, a mulher Rosângela Teixeira Caldeira, 28 anos de idade, natural de Araguaina (TO), atacou pela segunda vez a delegacia de polícia de Parauapebas, desta vez, disparando um tijolo no pára-brisa de uma viatura da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). O fato ocorreu por volta de meio-dia desta sexta-feira (23).
Segundo apurou a reportagem junto à polícia, Rosângela Caldeira estava promovendo arruaça num bairro da cidade, o fato foi denunciado à delegacia e uma viatura da Polícia Militar foi até o local, deteve a arruaceira e conduziu a mesma para a sede da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, onde ficou detida, sentada numa cadeira por alguns minutos, sob observação dos policiais.
Num descuido da vigilância, a mulher deixou a recepção da delegacia, apoderou-se de um tijolo e o disparou no pára-brisa da viatura da Deam. Após o dano, a mulher desequilibrada foi algemada numa cadeira, enquanto a autoridade policial buscava saber se a acusada tinha algum parente em Parauapebas.
Segunda vez
Esta não foi a primeira vez que Rosângela Caldeira atenta contra o patrimônio da delegacia de Polícia Civil em Parauapebas. No dia 28 de julho último, ela agrediu uma mulher na frente da delegacia, quando a vítima escapou e correu para dentro do prédio para se proteger e denunciar a agressão.
Minutos depois, a agressora entra na recepção da seccional e grita, perguntando se ali era lugar de briga. Neste ínterim, mostrando-se bastante descontrolada, Rosângela pega a televisão de 29 polegadas, onde as pessoas estavam assistindo programa, e joga o aparelho ao chão, quando então uma pessoa informou que a mulher era doida.
Ao presenciar o ato tresloucado da mulher, a cena que se viu no local foi uma correria sem precedentes: investigadores, escrivães, populares, delegada e até um repórter do CT que cobria o setor de polícia, que não registrou a situação porque saiu em desabalada carreira com medo de ser também agredido.
A mulher só foi controlada depois que um vigia resolveu enfrentar a fera e detê-la de sua fúria, mas ainda foi mordido em um dos braços pela mulher. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Bando assalta caminhão com alimento é e preso em Eldorado do Carajás

Antonio Fábio da Silva

 David Silva Oliveira

Francisco Santana
 

Três homens armados tomaram de assalto, por volta das 14h40 da última terça-feira (20), em Eldorado do Carajás, o motorista Raimundo Amorim de Oliveira (43 anos, residente na Rua Oliveira nº 373, Bairro Nova Brasília, Abel Figueiredo-PA) e levaram R$ 7,1 mil em espécie.
Os acusados são os indivíduos Antonio Fábio Machado da Silva (29 anos, residente na Rua A nº 691, Bairro Cidade Nova, Parauapebas), David Silva Oliveira (20 anos, residente na Rua Liberdade nº 54, Bairro Rio Verde, Parauapebas) e Francisco Santana (30 anos, residente na Rua Gaiapó nº 181, Bairro Laranjeiras, Marabá).
De acordo com o motorista Raimundo Amorim, ele conduzia o caminhão baú de marca Iveco e placa JVX 1983, fazendo entrega de frangos Ceará congelado, quando, ao sair de um mercadinho, em Eldorado, foi abordado pelos bandidos, que anunciaram o assalto.
No primeiro momento, conforme depoimento da vítima, os assaltantes surripiaram a quantia de 300 reais que se encontrava nos bolsos do motorista, e depois mais R$ 6.800 que estavam guardados num compartimento do caminhão.
Após fazer a coleta do dinheiro, os bandidos fugiram conduzindo um veículo de marca Ford e modelo Ka de placa JWE 4103. Ao chegar numa barreira policial na rodovia PA 275, sentido Curionópolis, os policiais rodoviários abordaram os condutores do veículo, apreenderam uma pistola calibre 380, parte do dinheiro roubado, dois cheques nos valores de R$ 320 e R$ 980 e reconheceram Francisco Santana como pessoa delinquente.
Pressionados pela Polícia Rodoviária Estadual, o trio confessou o assalto praticado contra o motorista do caminhão de frango Ceará, foi encaminhado à delegacia de Eldorado, mas não encontraram delegado de plantão. Em seguida, os acusados foram reconduzidos para a delegacia de Curionópolis e novamente não havia delegado no momento e por isso os assaltantes foram levados para a delegacia de Parauapebas, onde prestaram depoimento, confessaram o crime e foram recolhidos ao xadrez. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Operário cai de construção e morre



Um trágico acidente na construção de um prédio no Bairro Beira Rio II, em Parauapebas, acabou com a vida do armador Benedito Nascimento Costa, 69 anos, casado, natural de Arari (MA), que residia na Rua Manaus nº 224, Bairro Primavera, Parauapebas.
De acordo com Boletim de Ocorrência registrado pelo ajudante de construção Antonio Francisco Gomes dos Santos, 49 anos, residente na Rua A nº 404, Cidade Nova, a vítima estava trabalhando no primeiro dia de serviço na preparação das ferragens da laje do prédio, por volta das 15 horas do último sábado (17), quando se desequilibrou dos andaimes no quarto andar, caiu ao chão e morreu ali mesmo, sofrendo forte lesão na cabeça, sem tempo de receber socorro.
Homens do Corpo de Bombeiros foram chamados às pressas ao local, mas quando chegaram à construção o armador já se encontrava sem vida. O corpo da vítima, que era muito conhecida na cidade, foi enterrado no último domingo (18) no cemitério do Altamira com grande acompanhamento de familiares e amigos.
No momento em que a equipe de reportagem chegou ao local do acidente fatal, acompanhada de policiais civis, os proprietários do imóvel, que não foram identificados pelo Jornal, fizeram o maior mistério com a presença da imprensa, negando-se a fornecer quaisquer informações relativas ao sinistro. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

MST interdita rodovias PA 275 e 160 durante seis horas


Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) interditaram, no período das 6 horas da manhã ao meio-dia de ontem (segunda-feira), trechos da rodovia PA 275, a 20 quilôme-tros de Parauapebas, sentido Curionópolis, na frente do acampamen-to “Frei Henri Burin des Roziers”; e da PA 160, na frente do acampa-mento “Dina Teixeira”, próximo à Vila Planalto, a 20 quilômetros de Canaã dos Carajás, formando enormes filas de veículos nos dois lados da pista.
No dia 23 de agosto último, no período das 14 às 19 horas, o trecho da PA 275 foi ocupado por dezenas de pessoas (homens, mulheres e crianças), provocando grandes transtornos para quem precisava passar por ali.
De acordo com Valdemar Pedro dos Santos, o popular “Baiano”, um dos líderes do movimento, a ação foi provocada pela ausência do governo federal, que não estaria enviando cestas básicas às centenas de famílias acampadas às margens das duas rodovias estaduais.
O agricultor alega também que o governo não tem atendido aos pleitos dos acampados na PA 275, no que tange à construção de escolas para alfabetização dos adultos e ainda das crianças que cursam desde o primeiro período até ao quarto ano do ensino fundamental. Segundo ele, apenas os estudantes a partir do quinto ano são levados em transporte escolar para Curionópolis, ficando os demais sem direito à educação.
“Baiano” explica que o MST construiu uma escola em madeira, barro e palha, e disponibilizou o imóvel à Prefeitura de Curionópolis, exigindo apenas o pagamento dos professores, mas a Secretaria de Educação não teria aceitado a proposta, situação que estaria causando mal-estar entre governo municipal e MST.
“Precisamos de terra para cultivar e ainda das cestas básicas, até que sejamos assentados em terras definitivas, pois todos aqui, além de pobres, não têm formação profissional, o que impossibilita a contratação em empresas”, explicou “Baiano”. (Francesco Costa/Waldyr Silva)

Incêndio destrói material escolar em depósito da prefeitura




Um incêndio ocorrido por volta das 13h30 do último domingo (18), num depósito da Prefeitura de Parauapebas localizado na Avenida Redenção s/nº, Bairro Linha Verde, às margens da rodovia PA 160, sentido Canaã dos Carajás, destruiu 100 jogos de carteiras de educação infantil, duzentas carteiras comuns, 160 mesas, dezoito aparelhos de ar condicionados, dezoito fogões industriais e um frigobar.

Homens do Corpo de Bombeiros foram chamados para apagar o incêndio, mas a corporação militar encontrou dificuldades para levar ao local água suficiente para extinguir as chamas e fazer a operação rescaldo.
Por causa da alta temperatura provocada pelo fogo, ocorreu curto-circuito na rede elétrica de alta tensão, ocasionando a queda de um poste de cimento que se posicionava em frente ao prédio do depósito e a falta de energia por várias horas no bairro.
Em nota distribuída nesta segunda-feira (19) à imprensa, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Educação esclarece que o incêndio não irá prejudicar de forma alguma a troca das carteiras escolares da rede municipal de ensino, já que a quantidade de carteiras queimadas foi considerada mínima.
Segundo ainda a nota da prefeitura, o depósito era apenas um ponto de apoio para distribuição das carteiras, uma vez que as carretas que as transportam são de grande porte e seu deslocamento pela cidade é inviável.
De acordo com o secretário municipal de Educação, Raimundo Ne-to, na quarta-feira (14) da semana passada foram descarregadas no depósito 3.484 carteiras, das quais 3.124 já tinham sido entregues em cinco escolas municipais nos dias 15 e 16.
Os motivos do incêndio e o valor do prejuízo ainda são desconheci-dos pela prefeitura, mas uma equipe do Corpo de Bombeiros estaria levantando dados para descobrir a causa do sinistro. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Polícia Civil apresenta matadores de extrativistas na Delegacia-Geral

José Rodrigues e Lindonjonson Rocha

Armamento apreendido

Foram apresentados neste domingo (18) o mandante e um dos executores do casal de extrativistas José Cláudio Silva e Maria do Espírito Santo Silva, crime registrado em 24 de maio deste ano, no loteamento Praialta-Piranheira, zona rural de Nova Ipixuna, sudeste do Estado.
José Rodrigues Moreira, 43 anos, natural de Almenara (MG), e o ir-mão dele, Lindonjonson Silva Rocha, 29, nascido em Bom Jesus do Tocantins (PA), foram presos após quatro meses de investigações. A captura de ambos é resultado de uma megaoperação integrada das polícias Civil e Militar realizada no domingo, em Novo Repartimen-to, sudeste do Pará.
Os dois estavam escondidos em um barraco no meio do mato, na localidade de Vila Maracajá, a 52 quilômetros da sede do município. A apresentação dos presos no auditório da Delegacia-Geral da Polícia Civil contou com as presenças do secretário de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha; do delegado-geral da Polícia Civil, Nilton Atayde; do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Mário Solano; do diretor de Polícia Especializada, delegado João Bosco Rodrigues, e do delegado-geral adjunto, Rilmar Firmino, responsável pela operação de prisão dos acusados.
Apreensões
Os dois estavam com mandados de prisão preventiva decretados pela Justiça de Marabá desde o início de agosto. José Moreira foi indiciado no inquérito instaurado pela Delegacia de Conflitos Agrá-rios de Marabá (Deca) como mandante do duplo homicídio. Já Lin-donjonson, conhecido por "Nato" ou "Natinho", é apontado como um dos executores do casal. O outro envolvido no crime, Alberto Lopes Teixeira Nascimento, está foragido.
A operação conjunta foi realizada no amanhecer deste domingo (18) com a participação de 60 policiais civis e militares. Estiveram em ação agentes do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar, Companhia de Operações Especiais da PM, Grupamento Aéreo (Graer) com apoio de um helicóptero, do Grupo de Pronto-Emprego da Polícia Civil, da Divisão de Investigações e Operações Especiais da PC e da Divisão Especializada em Meio-Ambiente.
À frente da operação, o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Rilmar Firmino de Sousa; do diretor de Polícia do Interior, delegado Silvio Maués, e do tenente-coronel Sandoval Bittencourt, do Comando de Missões Especiais (CME) da PM.
No momento da abordagem, os irmãos estavam armados e ainda ten-taram fugir, mas não foi possível porque o local já estava cercado. Com eles, os policiais encontraram três revólveres – dois de calibre 38 e um calibre 32 – e uma espingarda.
Os autores da morte do casal de extrativistas foram levados inicial-mente para Tucuruí, onde foram autuados em flagrante por posse ilegal de armas e munição. Depois, foram conduzidos para Belém, no helicóptero do Sistema de Segurança Pública. Após a apresen-tação, em entrevista coletiva a jornalistas, os presos foram encami-nhados a um presídio do Sistema Penitenciário do Estado. (Fonte: Ascom PC)

sábado, 17 de setembro de 2011

Foragido de Pacajá é preso em Parauapebas


Donizete Laurentino Gomes e IPC Paulo Lima
Delegado Melquezedeque

A Polícia Civil prendeu em Parauapebas, na última quarta-feira (14), o foragido Donizete Laurentino Gomes, 29 anos, pedreiro, que resi-de na Rua 8 s/nº, Bairro Novo Progresso, cidade de Anapu (PA).

O mandado de prisão preventiva contra Donizete Gomes foi despa-chado em 31 de agosto último pelo juiz José Jonas Lacerda de Sou-sa, da Comarca de Pacajá.
No despacho, o magistrado relata que Donizete Gomes foi conde-nado à pena de 25 anos de reclusão em regime inicialmente fechado, acusado pelas penas impostas no artigo 312 do Código de Pro-cessamento Penal (homicídio) e se encontrava atualmente em local incerto e não sabido.
Ouvido pela reportagem, o foragido revelou que se encontrava em Parauapebas há três meses na residência do pai dele e que se sur-preendeu com o mandado de prisão preventiva contra sua pes-soa, “porque os próprios parentes da vítima me inocentaram da autoria do homicídio nas audiências, mas vou provar minha inocência”.
Ao contrário das declarações do acusado, o delegado Melquezede-que, que veio de Pacajá para levar o foragido para a comarca onde cometeu o crime, relatou à reportagem que Donizete Gomes é uma pessoa muito perigosa que faz parte de um grupo de traficantes e homicidas que atua em Anapu e Paracajá, e recentemente vinha ameaçando de morte o próprio delegado de polícia e o juiz de Direito José Jonas Lacerda de Sousa.
“Fazem parte da quadrilha ainda os elementos Antonio Marcos, o Marquinho, e Elizeu Laurentino Gomes, ambos irmãos de Donizete, entre outros, que a polícia anda também no encalço deles, acusados de latrocínio, tráfico de drogas e ameaças a autoridade”, explica o delegado de Anapu. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

‘Pé inchado’ é assassinado a facada



Até o fechamento desta matéria, no final da tarde de ontem (12), a polícia ainda não tinha identificado o corpo do homem que foi assassinado a facada por volta das 20 horas do último sábado (10) na local denominado “Costa pra Rua”, na Rua 13, Bairro Cidade Nova, em Parauapebas.
De acordo com o que apurou a equipe de reportagem do Jornal, a vítima foi executada com um certeiro golpe de faca à altura do peito direito por um companheiro de cachaça, que sumiu do local após a consumação do crime.
Testemunhas que presenciaram o homicídio disseram que a vítima costumava frequentar o local, à procura de parceiros para ingerir bebida alcoólica. O homem fazia parte de um grupo de moradores de rua viciados em cachaça e outros tipos de drogas, e por isso eles são chamados de “Pés-Inchados”. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Motoqueiro morre e garupa se encontra com traumatismo craniano





Um grave acidente envolvendo a moto de marca Yamaha modelo Lander 250 de placa JVJ 8451 (Parauapebas) e o Fiat Uno placa HQB 7463 (Parauapebas), conduzidos respectivamente por Antonio Croraiva Sales Lucas e Elton da Silva, levou o motoqueiro à morte e deixou o garupa com traumatismo craniano.
O choque entre os dois veículos ocorreu por volta das 14h45 do último domingo (11), numa curva da estrada entre o centro da cidade de Parauapebas e a Vila Palmares II, na zona rural. A vítima Antonio Croraiva tinha 22 anos, era pedreiro e residia na Rua Apóstolo Pedro, Bairro Betânia, em Parauapebas.
Na avaliação de Antonio Sales Lucas, irmão da vítima, os dois condutores estavam errados. “Meu irmão seguia na moto para a vila, quando ocorreu o acidente, numa curva da estrada. Ele ainda chegou vivo no hospital municipal, mas veio a falecer”, lamenta.
Elton da Silva, motorista do Fiat, explica que ele transitava com a esposa e filhos, quando aconteceu o acidente, à altura do km 4, depois que o motoqueiro “entrou na contramão e colidiu com a parte direita de meu veículo”, diz ele, revelando que o rapaz que pilotava a moto é vizinho dele.
Segundo ainda Elton da Silva, depois do acidente ele teve que abandonar o local, temendo alguma represália por parte da família da vítima, e ontem (segunda-feira) se apresentou à polícia, onde prestou depoimento e foi liberado.
Agentes do DMTT estiveram no local do acidente e fizeram os levantamentos de praxe. O rapaz que viajava na garupa da moto, Anilson Lima Santos, primo da vítima fatal, até esta segunda-feira (12) se encontrava no hospital municipal de Parauapebas com traumatismo craniano, aguardando leito para ser transferido para uma UTI no Hospital Regional de Marabá. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

sábado, 10 de setembro de 2011

Aniversariante mata convidada com um golpe de faca




Numa animada festa de aniversário que transcorria tranquilamente na tarde desta sexta-feira (9), a nataliciante, uma adolescente que completava 17 anos de idade, assassinou com um certeiro golpe de faca a convidada Francidalva de Oliveira. O crime ocorreu por volta das 17 horas na calçada da casa nº 1343 da Rua Apóstolo Paulo com Pio XII, Bairro Betânia, em Parauapebas.
De acordo com Fabrício Viana, a vítima era babá dos filhos da uma irmã dele. Ele conta que na hora em que as duas estavam brigando a moça se apoderou de uma faca e partiu para cima de Francidalva. “Minha irmã tentou separar as brigonas e quase é atingida por um gole de faca e aí a adolescente deu uma facada à altura do ombro esquerdo, na direção do coração da mulher, que morreu ali mesmo”, descreve Fabrício Viana, adicionando que depois de cometer o crime a menor fugiu do local.
Em declarações prestadas à reportagem, o sargento PM Gatinho explica que a polícia recebeu a informação pelo sistema Disque Denúncia. “Viemos ao local e constatamos o homicídio, motivado por bebedeira”, esclarece o policial militar, confirmando que o homicídio foi praticado por uma menor de idade que estava completando 17 anos nesta sexta-feira (9).
Segundo o delegado plantonista Timóteo de Oliveira Soares, a Polícia Civil está trabalhando no sentido de capturar a acusada do homicídio, ouvi-la em depoimento e encaminhá-la aos órgãos competentes, no caso o Conselho Tutelar, porque a mesma é menor de idade. “Apuramos que a vítima se encontrava no aniversário da adolescente e em algum momento ocorreu uma discussão, culminando no homicídio”, adianta a autoridade policial. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Quatro pessoas morrem afogadas no rio Parauapebas



Rodrigo Veciano


O feriado de 7 de setembro foi marcado em Parauapebas com a mor-te de quatro pessoas por afogamento nas águas do rio Parauapebas, três delas integrantes de uma mesma família.
No primeiro caso, as vítimas são o rapaz Raimundo Santos Andra-de, 26 anos; a namorada dele, Ludiane Lins Soares, que na próxima terça-feira (13) faria 16 anos de idade; e a criança Alana Patrícia, de 6 anos, sobrinha de Ludiane. Os três morreram afogados em um balneário conhecido por “Prainha” no rio Parauapebas, trecho localizado entre as ruas Pernambuco e Tocantins, no Bairro Liberdade I.
A tragédia aconteceu por volta das 12 horas do feriado de sete de setembro. Segundo informações colhidas pela reportagem, Ludiane Lins e a sobrinha Alana Patrícia tomavam banho no rio quando em certo momento a criança afundou. Ludiane tentou salvar Alana, mas também foi tragada pela água.
Ao ver a namorada e a criança sumirem nas águas, Raimundo Santos tentou salvar as duas, desaparecendo também segundos depois.
Homens do Corpo de Bombeiros foram ao local e fizeram as primeiras buscas, mas sem sucesso, pois não tinham equipamentos de mergulho. Amigos da família e o próprio pai da criança começaram a efetuar buscas aos corpos no mesmo dia. Os corpos de Raimundo e Ludiane foram encontrados no princípio da noite de quarta-feira (7), enquanto que a menina foi localizada na manhã da última quinta-feira (8).
Os corpos do casal de namorados foram encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML) de Marabá para exames de rotina e de lá seguiram para o Maranhão, onde foram velados e enterrados por familiares. A criança foi enterrada em Parauapebas.
No outro caso de afogamento, desta vez ocorrido no balneário denominado “Chácara do Padre”, na zona rural, foi vítima Rodrigo Veciano de Oliveira, que residia na Rua Luiz Gonzaga nº 192, Bairro da Paz, Parauapebas.
De acordo com boletim de ocorrência registrado na delegacia de polícia por Francisca Santos Silva, esposa da vítima, ela tomava banho numa correnteza do rio Parauapebas com o marido Rodrigo Veciano, quando de repente ambos caíram num buraco. A mulher conseguiu sair da armadilha e nadar para uma das margens, mas o marido dela não teve a mesma sorte, vindo a morrer afogado, desaparecendo no fundo do rio.
O corpo de Rodrigo Veciano só foi encontrado na manhã desta sexta-feira (9) por uma equipe de bombeiros, vinda de Marabá, formada pelos cabos Filho (mergulhador) e Belém (piloto) e os soldados Montes (mergulhador) e Santos (motorista). (Reporta-gem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Polícia identifica tarado que foi executado semana passada



A Polícia Civil identificou o homem acusado como tarado que foi executado no último dia 31 quando tentava estuprar uma mulher no Bairro Betânia, de Parauapebas. Trata-se de Orlando Gomes Chaves, conhecido por “Besouro”, 27 anos, natural de Santa Luzia (MA), que residia no Bairro da Paz e trabalhava numa empresa na cidade.
Orlando Chaves foi assassinado pelo segundo sargento PM Carlos Alberto, depois de uma perseguição após a vítima ter sequestrado uma mulher numa moto Biz de placa JTD 8821 e batido no carro do policial, um Gol de placa NSH 7653 (Belém-PA).
Na perseguição com troca de tiros, de acordo com depoimento do sargento, o suposto tarado reagiu e fez vários disparos de revólver na direção do policial, porém sem acertar nenhum tiro. O policial disse que só veio tomar conhecimento da morte de Orlando Chaves 30 minutos depois da perseguição.
Depois da morte do tarado, que teve a foto dele estampada na imprensa, a delegacia de polícia vem recebendo diversas denúncias de mulheres que reconheceram “Besouro” como sendo o tarado que vinha atacando suas vítimas na cidade, principalmente nos bairros Beira Rio, Betânia, Altamira e Novo Horizonte. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Polícia coloca na cadeia assaltantes de depósito de loja em Parauapebas




Já se encontram presos os quatro homens acusados de terem as-saltado um depósito das lojas Leolar em Parauapebas na madrugada do último domingo (4) e depois sequestraram e assassinaram o vigia Cristiano da Costa Nascimento, nas proximidades da Vila Sororó, município de Marabá.
Os acusados são o funcionário da Leolar Robert Fabiank Rego Ro-drigues, o ex-empregado Gilson Magno dos Santos, Cláudio e um quarto elemento cujo nome não foi passado pela polícia à imprensa.
Robert Fabiank foi preso na tarde desta segunda-feira (5) em Pa-rauapebas, enquanto os outros três foram detidos na cidade maranhense de Santa Luzia do Tide, para onde os assaltantes haviam levado o produto do assalto, cerca de 40 aparelhos televisivos LCD e outros tipos de eletrodomésticos.
O delegado Antonio Miranda Neto, responsável pela investigação do assalto, ficou de viajar na manhã desta terça-feira (6) em aeronave do grupo lojista para a cidade de Santa Inês (MA) com o objetivo de resgatar os assaltantes que foram presos pela polícia do Maranhão.
De acordo com o delegado Antonio Miranda, o ex-funcionário Gilson Magno havia pedido demissão da empresa há 30 dias com o intuito de planejar o assalto ao depósito da loja em Parauapebas, que fica localizado na Avenida Liberdade, na saída da cidade.
À reportagem, Robert Fabiank revela que é funcionário do grupo de lojas e que o assalto foi planejado há 20 dias pelo colega de quarto Gilson Magno e ex-funcionário do depósito. Sobre a execução do vigilante Cristiano da Costa, com três tiros, informou que o mesmo foi executado por Gilson, quando a vítima tentava fugir. A merca-doria roubada foi colocada num caminhão baú marca Ford de placa NTA-4618 de propriedade da própria Leolar.
O jornal procurou em Parauapebas familiares do vigilante executado no assalto, mas foi informado que estariam para Belém, onde o corpo da vítima seria sepultado nesta segunda-feira (5).
Por causa da morte do vigilante, as lojas do Grupo Leolar não foram abertas nesta segunda-feira em Parauapebas, portando tarja preta nas portasa dos estabelecimentos em luto pela perda da vida do fun-cionário. (Reportagem: Vela Preta; redação: Waldyr Silva)

Enteado mata padrasto com golpe de punhal



Elson Prata Campelo, 36 anos, nascido em Bom Jardim (MA), foi assassinado na noite do último domingo (4) com um golpe de punhal no peito desferido pelo próprio enteado, Alan Dhones Mendes Santos, filho de Regiane Mendes Santos, companheira da vítima.
O crime aconteceu no final da Rua Fortaleza nº 238, bairro Rio Verde, em Parauapebas, na frente da residência da família de Regiane Mendes, que também é acusada de participação no crime, assim como um tio dela, Francisco Mendes de Sousa, conhecido por “Pirula”.
Conforme apurou a equipe de reportagem, a vítima tinha três filhos com Regiane Mendes, que já mantinha outros filhos do primeiro relacionamento. A relação de convivência do casal sempre foi marcada por brigas motivadas por ciúmes e constantes separações.
Segundo a polícia, há poucos meses Regiane prestara queixa na Delegacia de Parauapebas, afirmando que havia sido agredida por Elson Campelo, que chegou a ficar preso por um dia, mas a mulher decidiu não continuar o procedimento, ocasionando a liberação do acusado.
Na noite da tragédia, Elson foi até a casa da família de Regiane para tomar algumas satisfações de assuntos não resolvidos. Euzanira Mendes dos Santos, mãe de Regiane, disse à polícia que a vítima chegou ao local afirmando que mataria a sogra e Regiane. Ao ouvir as palavras de fúria de Elson, Alan Dhones se apossou de um punhal e acertou a vítima no peito, precisamente na região do coração.
Segundo informações colhidas pela polícia, “Pirula” também parti-cipou do crime, ao segurar a vítima para que Alan Dhones acertasse o golpe. Regiane é acusada de ser conivente com o crime e nada ter feito para evitar o homicídio. Após o assassinato, as três pessoas fugiram do local correndo. (Waldyr Silva)

Incidente de trânsito leva um para hospital com tiro na barriga





Um batida de carro envolvendo os veículos Fiat modelo Palio de placa JHD 0374 (Brasília-DF), conduzido por Leonardo Azevedo Pacheco de Souza, 29 anos, e um Gol Trend de placa JVG 8105 (Parauapebas-PA), dirigido pelo soldado PM C.Freitas, acabou levando o condutor do Palio ao hospital com um tiro na barriga.
O acidente envolvendo os dois veículos ocorreu por volta das 11 horas do último sábado (3), na rodovia PA-275, Bairro da Paz, quase em frente ao supermercado Hiper Sena, em Parauapebas.
Em declarações prestadas à reportagem, o soldado PM C.Freitas explicou que trafegava no sentido viaduto/centro da cidade. Ao diminuir a velocidade do veículo, para passar sobre um quebra-molas, o Pálio veio em alta velocidade e bateu na traseira do Gol.
Após a batida, de acordo com o policial, ele desceu do carro para ver o que tinha ocorrido, pois conduzia crianças no interior do automóvel, e nesse momento o condutor do veículo ordenou que ele tirasse o carro do local, pois iria acionar o pessoal da seguradora.
“Falei pra ele que eu não poderia tirar o veículo dali, porque ia entrar em contato com a Polícia Rodoviária Estadual. Mas no momento em que eu estava telefonando, o homem arrancou bruscamente com o veículo dele pra cima de mim, bati com a cabeça no pára-brisa e caí ao chão, aí tive que efetuar três disparos (dois na lateral esquerda e um no pneu dianteiro esquerdo) na direção do veículo do rapaz, mas ele continuou em disparada na pista”, descreve o policial militar.
Depois disso, C.Freitas disse que saiu em perseguição ao rapaz, que estava com o pneu esquerdo dianteiro do carro furado, só alcançando o condutor no semáforo da Rua do Comércio, Bairro Rio Verde, quando percebeu que um dos tiros havia acertado a barriga dele.
“Ofereci socorro, mas o rapaz disse pra eu não me preocupar porque ele era parente de um desembargador do Estado do Pará e ele já havia ligado pra Belém e estavam providenciando ambulância para socorrê-lo”, explica o soldado, acrescentando que em seguida se apresentou na delegacia de polícia pra prestar depoimento e ao quartel da PM para apresentar a arma, que pertence ao estado. A reportagem não conseguiu manter contato com a vítima, que não estaria correndo risco de morte. (Reportagem: Vela Preta; reda-ção: Waldyr Silva)

sábado, 3 de setembro de 2011

Operador de máquinas é vítima de acidente de moto



Oscar de Morais Silva, 29 anos, operador de máquinas pesadas, morreu em acidente de moto por volta das 3h30 da última quinta-feira (1), na Rua Paulo Afonso, Bairro da Paz, em Parauapebas.
Segundo apurou a reportagem, Oscar Silva saiu por volta de meia-noite da residência dele, informando à esposa que iria sair com amigos, mas logo voltaria, haja vista que iria trabalhar no turno das 6 às 15 horas.
Quando estava trafegando pela Rua Paulo Afonso, voltando para casa, a vítima perdeu o controle da moto, uma Fan de cor vinho (recém-adquirida), bateu no meio-fio e depois colidiu contra uma árvore. A polícia avalia que o operador de máquinas estava sem capacete, equipamento de segurança de motociclistas.
Oscar Silva ainda foi socorrido e levado às pressas ao Hospital Municipal de Parauapebas, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no começo da manhã de quinta-feira (1). (Waldyr Silva)

Carceragem de Parauapebas será reformada e ampliada






Somente depois de muita pressão por parte do Conselho da Comu-nidade de Parauapebas, uma entidade formada por representantes de vários segmentos organizados, e da 3ª Vara Penal da Comarca local, o Governo do Estado prometeu esta semana reformar e ampliar as antigas e precárias instalações da carceragem municipal, que funciona no Bairro Rio Verde, próxima do setor comercial da cidade e de casas residenciais.
As obras, que ainda não têm data certa para serem iniciadas, pois dependem de locação de recursos públicos e de todo sistema burocrático de licitação, consistem na reforma das cinco celas existentes do cárcere, inclusive de um calabouço, e construção de mais duas novas celas, ampliando o espaço para mais 25 detentos, chegando ao total de 100 vagas.
Para se ter uma ideia da situação carcerária em Parauapebas, nesta sexta-feira (2) pela manhã o xadrez acumulava 104 detentos, mas sete deles foram transferidos ontem mesmo para Marabá, restando ainda 97 presos, para um espaço de apenas 70 pessoas.
REUNIÃO
Na tarde de ontem (sexta-feira), o juiz Líbio Araujo Moura, titular da 3ª Vara Criminal da Comarca de Parauapebas, recebeu em seu gabi-nete o titular da Superintendência do Sistema Penitenciário do Esta-do do Pará (Susipe), major Francisco Bernardes; o delegado Anto-nio Miranda Neto; o presidente do Conselho da Comunidade, advo-gado Helano Farnesi da Cunha; o vice-presidente da Associação Co-mercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (Acip), José Rinaldo Carvalho; o chefe-de-gabinete da Prefeitura, João Eduardo Fontana; representantes da mineradora Vale; entre outros, para discutir o assunto segurança pública no município.
Durante a reunião, o titular da Susipe explicou aos presentes as dificuldades burocráticas que o setor de segurança pública enfrenta para investir na área, a preocupação do Governo do Estado em ampliar as casas penais e acomodar com dignidade a população carcerária, e que estava ali para tomar ciência da situação enfrentada pelos gestores da área, em busca de soluções para amenizar os problemas.
Na oportunidade, o juiz Líbio Moura informou que esta semana havia entregado um relatório ao secretário de estado de Segurança Pública em Marabá, relatando toda a situação de calamidade existente na carceragem municipal, situação que pode ter provocado a entrega de uma viatura nova para conduzir detentos, três para a Polícia Militar e uma para a Polícia Civil, cujos veículos foram oficialmente entregues no final da tarde de ontem (2).
A viatura do sistema penal vai ser utilizada para condução de presos de Parauapebas para o Crama, em Marabá, e vice-versa, e ainda para levar detentos ao Tribunal do Júri, a hospital ou em caso de reconstituição de crimes.
Líbio Moura lembrou que algumas vezes foi obrigado a suspender interrogatórios de presos no Fórum por falta de transporte seguro da penitenciaria de Marabá para Parauapebas, especialmente no caso de Ana Karina.
Sobre a reforma e ampliação do cárcere do Bairro Rio Verde, o superintendente da Susip ratificou os entraves burocráticos do governo para alocação de recursos, na expectativa que ainda neste semestre as obras sejam realizadas, mas não soube revelar os valores previstos para a reforma do prédio.
CASA PENAL
Durante a reunião, o chefe-de-gabinete lembrou aos presentes que a prefeitura já doou no início do ano uma área de um alqueire localizada a cerca de 20 quilômetros de Parauapebas, às margens da rodovia PA 160, sentido Canaã dos Carajás, para a construção de uma casa penal para abrigar os detentos do município.
Após ouvir a explanação, Germano Salustiano, representante da Vale, entregou ao major Francisco Bernardes, titular da Susip, a planta arquitetônica da futura cadeia pública de Parauapebas, que será construída no ano que vem pelo Governo do Estado, em par-ceria com a prefeitura municipal e iniciativa privada. (Waldyr Silva)